Tecnologia altera as práticas para se manter um automóvel

Alguns dos produtos mais beneficiados pela tecnologia são os óleos lubrificantes, que permitem prazos de troca mais longos

Por Boris Feldman 20/11/20 às 19h15
jeep renegade 2021 limited motor flex
motor-Jeep-Renegade (Foto Jeep | Divulgação)

A evolução tecnológica é a responsável pela mudança dos costumes e das recomendações ao motorista. Bom exemplo são os novos motores, que não precisam mais ser “amaciados” até quatro ou cinco mil quilômetros.

Ou aquela prática de esquentar o motor pela manhã, também já aposentada. Uma outra é o prazo para troca de óleo do motor: está lembrado que no Fusca era a cada 1.500 quilômetros? Pois é. Hoje, com a evolução dos motores e dos óleos lubrificantes, há um consenso para se trocar a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, o que vencer primeiro.

Preste atenção, porque algumas fábricas não mudaram nem o motor e nem o óleo para o motor. E mesmo assim, estenderam o prazo de troca de seis para 12 meses. Se o seu manual recomenda o prazo de seis meses, pode consultar o seu mecânico de confiança ou sua concessionária e estendê-lo para um ano.

motor-jeep-renegade-2021-limited-flex
Graças a tecnologia, os motores não precisam mais serem ‘amaciados’. – Foto Jeep | Divulgação
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Mister Gasosa 21 de novembro de 2020

    Os fabricantes dos carros testam os óleos nos motores com combustível padrão, ou seja, de qualidade. Aí o dono do carro abastece no posto mais barato que encontra e leva combustível batizado por solventes (gasolina) ou por água (etanol). Então o óleo degrada muito mais rápido que o previsto e por consequência o motor desgasta muito mais rápido que o esperado.
    Já vimos este filme no Fiat Marea 2.0 – 20V, que a recomendação era de troca a cada 20.000 km, mas isso seria na Europa onde não se batiza gasolina, já aqui no Brasil creio que de 10 posto, 8 batizam. E uma coisa que observei, troquei o óleo do meu Onix 1.4 após 6 meses e 1500 km rodados e o motor ficou mais silencioso, logo, o óleo que estava nele já não prestava.

    • Avatar
      Leandro 23 de novembro de 2020

      Por isso aboli o etanol no meu carro, se for pra abastecer com combustível batizado que seja com mais etanol e não água kkkkkkk

Avatar
Deixe um comentário