Carro elétrico é sinônimo de arrependimento para 46% dos proprietários

Novo estudo revelou quase metade dos donos de EVs querem abandonar seus veículos devido à infraestrutura de carregamento

byd dolphin carro eletrico recarga 3
Pesquisa da McKinsey & Co. contou com mais de 30.000 participantes em 15 países, que correspondem a mais de 80% do volume de vendas mundiais (Foto: BYD | Divulgação)
Por Julia Vargas
Publicado em 15/06/2024 às 13h02
Atualizado em 26/06/2024 às 17h35

Parece que o frisson, o encantamento, que muitos tem pelo carro elétrico está se esvaecendo em todo o mundo. A verdade é que esse tipo de veículo é muito vantajoso no plano das ideias, com sua economia, tecnologia e impacto reduzido ao meio ambiente. Entretanto, na prática, a história é outra.

Segundo uma nova pesquisa da McKinsey & Co., empresa de consultoria empresarial americana, 46% dos donos de veículos elétricos nos EUA escolherão um automóvel a combustão na sua próxima compra. O estudo contou com mais de 30.000 participantes em 15 países, que correspondem a mais de 80% do volume de vendas mundiais.

VEJA TAMBÉM:

Já pensando em uma escala global, cerca de 29% dos proprietários de EVs vão optar pelo motor a combustão em sua próxima compra. Há também um grupo considerável que rejeita totalmente esse tipo de veículo, ele corresponde a 21% dos participantes de todo o mundo.

Infraestrutura, ou a falta dela, é o calcanhar de Aquiles

No estudo, o principal fator apontado para essa rejeição sobre o carro elétrico é a situação da infraestrutura pública de carregamento, ou em muitos casos a falta dela. Além disso, também são citados com frequência os elevados custos de manutenção e a necessidade de um automóvel mais adequado para viagens longas.

Nos EUA, o resultado da pesquisa mostra que quase 1 em cada 2 proprietários foram prejudicados pela lenta implementação do programa americano de infraestrutura de EVS elaborado pelo departamento de energia estadunidense. Em escala global, apenas 9% dos participantes estão satisfeitos com a expansão da rede pública de carregamento em seu país ou região.

Outra informação coletada é que a média da expectativa de autonomia mínima entre os consumidores cresceu de 435 km para 469 km.

Apesar da insatisfação dos que já possuem EVS, cerca de 38% dos proprietários de carros a combustão consideram comprar um híbrido ou um elétrico. Esse número representa um aumento de 1% em comparação a 2 anos atrás.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify YouTube PodCasts YouTube PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
35 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Marcela Pinto 19 de junho de 2024

Eu tenho um carro elétrico (Yuan BYD) e estou adorando! Trabalho fora da minha cidade (vou quase todos os dias de Salvador para Camaçari), tenho carregador na minha garagem. Foi minha melhor compra!

Avatar
giorno lima 19 de junho de 2024

Bem, impossivel não ver que há problemas de infraestrutura. O tempo de carregamento é inviável para quem realmente utiliza, não para quem sai e anda alguns km. Não há onde recarregar… E outra, se diz uma energia limpa, mas na verdade não é. Se tu parar para pensar, um exemplo a Alemanha, onde sua energia elétrica é gerada por queima de carvão em 30% dos casos. Para gerar energia vc precisa danificar algo também. Precisam melhorar o processo da energia e baterias, dai vira algo para um futuro um pouco distante.

Avatar
Roberto 19 de junho de 2024

Carro elétrico é ótimo.
O problema até para quem utiliza apenas nas cidades é o carregamento da bateria. Para carregar 100% da bateria de um Tesla demora mais de 8 horas na tomada (é verdade que se consegue carregar até perto de 80% do total em tempo bem menor).
O maior problema é para aqueles que moram em prédios de condomínio. No meu prédio, por exemplo, para atender a maior demanda de energia, haveria necessidade de redimensionar a instalação elétrica, desde os transformadores da rua. Imaginem se metade dos moradores de um prédio comprarem carros elétricos e todos resolverem recarregar as suas baterias durante a noite?
Já quem mora em casas, sítios ou fazendas esse problema é menor e mais fácil de resolver.
Vai sobrar problema para as concessionárias de energia que terão de construir novas subestações e reforçar as linhas de distribuição.
Outra coisa que me preocupa é a evolução tecnológica e o descarte das baterias usadas. Novos tipos de baterias podem ser viabilizados e as baterias utilizadas hoje podem se tornar obsoletas em poucos anos, talvez, menos de 3-5 anos.

Avatar
Solriomesmo 18 de junho de 2024

É uma vergonha mesmo tudo que vem para beneficiar o povo tem vários espertinhos querendo destruir. Carro elétrico é uma sensacional invenção que veio para poder melhorar o padrão de vida do ser humano

Avatar
Marcos Paulo 18 de junho de 2024

https://www.autoguide.com/auto/featured-articles/who-s-driving-electric-inside-the-satisfaction-of-ev-owners-44610133
Aparentemente, o auto papo tá vendido mesmo. Pega uma matéria e a faz como se fosse consenso.

Avatar
Eric 19 de junho de 2024

Percebi o mesmo.

Avatar
Daniel Mingossi Mantovani 18 de junho de 2024

Estamos na 5° tentativa de emplacar algo que não será uma mudança de paradigma, e sim apenas mais um meio de transporte mais caro com danos ambientais superior ao de fontes fósseis. Infelizmente não será desta vez. Se quiserem saber mais, me sigam na minha página do LinkedIn onde, diariamente, abordo esta questão.

Avatar
Wanderley 18 de junho de 2024

Auto papo se vendeu

Avatar
Wanderley 18 de junho de 2024

Carro eletrico muito bom. Pena o auto papo com tanta credibilidade se vendeu

Avatar
Eric 19 de junho de 2024

Reportagem totalmente tedenciona.

Avatar
Wagner rocha 17 de junho de 2024

Também estou acompanhando a evolução dos elétricos, principalmente falando de brasil, pode ser totalmente interessante no futuro próximo

Avatar
Raian Junior 17 de junho de 2024

Tenho um pra uso urbano e posso falar, não tem nada melhor ao meu ver, ando praticamente de graça e quando o carro chegar a 200 mil km já vai ter se pagado posso jogar no ferro velho e não vou ter perdido nada.

Avatar
Roberto 17 de junho de 2024

Estive no mês passado nos Estados Unidos. Passei pela Califórnia, Nevada, Arizona e Utah.
Na Califórnia notei que os Teslas são muitos. Muitos mesmo, vários modelos. Até andei num Tesla pelo Uber.No Tela que andei, o painel é central, como no Etios, com a diferença que ele mai parece a tela de um monitor de 15” na vertical. Nos outros estados via Teslas, mas em número bem menor.
O que me chamou a atenção foi a impressionante arrancada e, também o painel que mostra os carros ao redor. Quando parado no semáforo numa avenida de 4 faixas, mostrava as silhuetas dos carros a frente, ao lado e atrás. Até dos carros que cruzavam a avenida.
Em Lós Angeles e São Francisco, muitos shoppings e supermercados tinham estações de recarga grátis e boas filas para recarregamento.

Avatar
Carlos Alberto Ranieri 17 de junho de 2024

Sou um forte defensor do carro elétrico mas, por ora, quem tem deve ter consciência de suas limitações.

Avatar
Alan Fabiano 16 de junho de 2024

moro em Cajamar-SP e vou todos os dias para Santo André-SP e minha esposa para a Av Paulista….. Nós dois temos carros elétricos e foi a melhor escolha….implantamos sistema fotovoltaico em casa e antes tínhamos custo de mais ou menos R$ 4.000,00 por mês em combustível, hoje temos custo R$ 0,00.
Vejo muito dizerem que ficam na mão com o carro elétrico nas estradas por falta de ponto de recarga…fato!
Mas o problema não é o carro, e sim a falta de investimento na criação deste tipo de estrutura.
Na Europa temos visto pontos de recarga (muitas vezes gratuitos) à cada esquina

Avatar
Rogerio 16 de junho de 2024

Precisa de planejamento.

Porém eu moro em AP. Não tem. Como carregar em casa. Moro em um grande condomínio com 500 AP.

Ter 500 ponto de recarga e muita estrutura.

Certo dia precisei sair de quaianases para Atibaia. De Atibaia para Osasco e de Osasco para quaianazes, emergência então parei no posto abastecimento o tanque e fui.

Entende carro elétrico nesse atual momento e para quem é rico no país. Pq eu não posso ter dois carros.

Então ele é inviável.

Tipo ao invés de pega meus 160 mil e compra um carro a combustão compro o elétrico. Nesse dia como eu iria fazer esse caminho. Ia ficar na mão. Aonde trabalho não tem posto de recarga. Na minha casa não tem posto de recarga. Entende. E muito investimento.

O futuro seria carro a álcool com motores 100% a álcool.

Elétrico depende de cada pais

Avatar
Luís 17 de junho de 2024

Trabalha à noite?

Avatar
Raoni 16 de junho de 2024

Eu tô muito satisfeito com meu elétrico. Tenho carregador em casa me planejo e nunca passei perrengue, sempre faço viagens ida e volta 300km e da super de boa, quando preciso ir em lugar que não tem infra a mais de 300km (parentes que moram no meio do nada) alugo carro e ainda assim tô em um lucro absurdo… Recomendo muito, caminho sem volta, o único risco para o consumidor, que ainda não tem carro elétrico, é o Lobby contra os carros elétricos.

Avatar
Luis 17 de junho de 2024

Qual é o carro?

Avatar
Telmo Jose Ribeiro 16 de junho de 2024

Não vejo o porquê da discussão. A indústria automotiva não bota para perder. Vejamos a evolução dos carros a combustão, de verdadeiras carroças a bolidos eficientes. O mesmo vai acontecer com os carros elétricos. No caso das baterias o desenvolvimento para baterias muito mais eficientes está acontecendo, ajudando também toda uma cadeia produtiva que dependem também deste equipamento mais eficiente. Ainda não comprei meu carro eletrificado, mas num futuro próximo, com certeza o farei.

Avatar
Rafael 16 de junho de 2024

Se reclamam da infraestrutura nos EUA, o que dá dor de cabeça em viagens longas, imagina aqui no Bostil? Tô fora. Acho muito legal, mas não dá nem pra cogitar ter um agora.

Avatar
Waslon 16 de junho de 2024

Seria interessante observar os dados nos mercados mais maduros, onde os EVs chegaram há mais tempo.

Avatar
Ronaldo 16 de junho de 2024

Carro elétrico era o futuro enquanto estava nas mãos da velha indústria. Quando perceberam que podem morrer porque a nova indústria é muito mais competitiva, de repente, começaram as propagandas contrárias à tecnologia, lobby por barreiras comerciais. O resto é estória.

Avatar
Silvio 16 de junho de 2024

E não é só a velha indústria, os grandes trilhonarioos produtores de petróleo compram a opinião dos sites especializados para atrasar o máximo possível a adesão aos ELÉTRICOS.

Avatar
Luiz Carlos 16 de junho de 2024

Ontem mesmo li uma matéria citando uma pesquisa recente feita por um instituto sério nos EUA. Ela dizia que 80% dos entrevistados pretendem comprar um EV nos próximos anos. Na verdade existe uma tremenda polêmica sobre carro elétrico. Taí um assunto que só o tempo definirá.

Avatar
Luis souza 16 de junho de 2024

Podem ser bons pra rodarem pouco tenh 2 leafs perdidos por causa da bateria carros com 110.000 ja perderam a garantia prejuizo de 40.000 euros , falta muito ainda principalmente tranparencia !!
Leafs sao porcarias nao comprem a bateria tem 2 garantias essa historia de 160.000km é pra perda de pontencia o resto so tem 100.000 km pra carros que rodam 300km por dia nao serve pra nada.
Eu nao aconselho comprar eletricos se for usar muitos kms por dia

Avatar
Ricardo Regadas 15 de junho de 2024

No Brasil a rede dos carregadores DC ainda precisa ser muito ampliada, principalmente nas estradas para tornar as viagens mais tranquilas. A manutenção é mais barata que o carro a combustão. O único custo que ainda preocupa é a possível troca da bateria daqui alguns anos. Até lá deve ter seu custo reduzido. Sobre a autonomia atual desejável está diretamente relacionada a rede de carregadores DC nas estradas. Atualmente no Brasil considerando o padrão Inmetro entre 500km a 600km seria ótimo!

Avatar
Marcelo Aragão 15 de junho de 2024

Carro elétrico é um caminho sem volta, uma realidade futura no presente devido a questões ambientais e da provável escassez de petróleo, apesar da boa eficiência do renovável etanol e da incerteza quanto a reciclagem das baterias desses veículos. O problema é o mercado que como sempre é voraz e quer estar sempre a frente na ânsia de faturar bilhões de dólares e sendo indiferente na questão estrutural inexistente e principalmente no impacto ambiental que poderá causar esses veículos caso não haja local totalmente adequado para reciclar suas enormes baterias…

Avatar
Transeunte 15 de junho de 2024

Cada bateria de lítio precisa de 26 mil litros de água para ser produzida, de regiões semi-desérticas, o que destrói fauna e flora.

Avatar
Marcelo Aragão 15 de junho de 2024

Mais um agravante na questão ambiental más fabricantes e compradores são indiferentes a degradação ambiental, são como uma colmeia de cupins…

Avatar
João Augusto 15 de junho de 2024

Carro elétrico é bom prá os Enzo ir em academia, fazer crossfit, só isso…Status

Avatar
Antonio Aparecida 15 de junho de 2024

A bateria em forma de cartucho encarece muito, as Despesas com a troca de todo seu conjunto. Elas deveriam serem reaproveitadas, sendo reconhecidas, pelo mecânico de baterias, ficando as baterias dentro do veículo, para um melhor manuseio. Isso, também, evitaria o excesso de lixo descartavel. Como era feito anteriormente no 1°carro elétrico brasileiro da Gurgel.

Avatar
Rogerio Silva 15 de junho de 2024

Comprei meu carro elétrico hahá meses e estou satisfeitíssimo com ele. Como tenho telhado fotovoltaico tenho andado com custo baixíssimo. Além disso ele vem com 8 anos de garantia nas baterias e cinco anos de revisão grátis. Não vejo como uma pessoa pode se arrepender de custos elevados nessa condição. Lembrando que no Brasil tem muito mais luz solar que nos Estados Unidos durante o ano todo. Meu único medo, que não foi citado na matéria, é da desvalorização do carro ao fim da vida útil das baterias. Mas vou deixar para me preocupar a partir do sétimo ano de uso.

Avatar
Fabio Lima 16 de junho de 2024

Estou na mesma situação que a sua, rodo 3000km por mês a custo zero. Essa nova leva de carros elétricos veio com muito mais qualidade. Pra mim é a melhor solução, contas feitas, decisão tomada. Quem ouve muito influênciadores e auto bate papo, sequer fez um test drive ou foi pra ponta do lápis. Concordo plenamente que a infraestrutura impede muitos de tê-los, mesmo com as inúmeras vantagens. Eu criei a minha própria infraestrutura e pronto. Ainda mantenho outro carro a combustão, mas fica parado a maior parte do tempo.

Avatar
Dilberth Leandro 15 de junho de 2024

Eu tô acompanhando há alguns anos a situação dos elétricos, pra ver se vale a pena… Por enquanto, mantenho o meu carro a combustão

Avatar
Deixe um comentário