Edição de despedida do Dodge Challenger Hellcat poderá usar etanol

Após mais de uma década no mercado, a Dodge está preparando uma edição de despedida do Challenger e rumores aponta para o etanol como combustível

dodge challenger srt super stock laranja lateral em movimento
A Dodge terá muscle cars elétricos em breve, mas o V8 terá uma despedida em grande estilo (Foto: Dodge | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
11 de julho de 2022 15:04

O etanol veio como uma alternativa a gasolina durante a crise do petróleo, mas ele também se mostrou útil de outra forma: é ideal para veículos preparados render ainda mais potência. Agora os norte-americanos da Dodge parecem ter descoberto a antiga receita de preparação, rumores apontam que Challenger Hellcat terá uma versão a álcool.

A Dodge já confirmou que o futuro de seus muscle cars será elétrico, mas isso não impede de fazer uma despedida em grande estilo com versões ainda mais forte de seu tradicional V8 Hemi. Segundo fontes do site Mopar Insiders, essa edição final movida a etanol será limitada assim como foi o Challenger Demon.

dodge challenger srt super stock cofre do motor
A versão mais potente do Hellcat feita até hoje tem 819 cv, com o etanol deverá passar de 850 cv (Foto: Dodge | Divulgação)

VEJA TAMBÉM:

E falando no diabo, digo, Demon, esse modelo trazia a opção de poder rodar com gasolina de competição com 100 octanas. Esse combustível fazia o V8 6.2 sobrealimentado com compressor mecânico produzir 819 cv. Ele é até hoje o carro mais potente da marca, o Challenger SRT Super Stock atual fica apenas 1 cv atrás.

O site prevê que esse Challenger a etanol produza mais de 850 cv, sem a necessidade de procurar um combustível especial em pistas de corrida. É importante lembrar que o etanol vendido nos EUA é levemente diferente do que temos no Brasil. Ele se chama E85 por contar com 15% de gasolina, para permitir a partida em dias frios sem ter o tanquinho no cofre do motor ou aquecimento dos injetores.

A Dodge já teve história com motores V8 a álcool no Brasil

caminhao dodge a alcool trabalhando em canavial carregado e levantando as rodas dianteiras
Os caminhões nacionais da Dodge usaram motor V8 a álcool (Foto: Facebook | Reprodução)

A Dodge do Brasil foi pioneira nos estudos de motores a álcool, um 1800 movido por esse combustível rodou por 8 mil km em uma viagem de Campinas (SP) a Manaus (AM) em 1976. Porém nenhum carro de passeio da marca foi lançado oficialmente no mercado com esse combustível.

O motor V8 de 318 pol³ (5,2 litros) da Dodge foi convertido para rodar no etanol nos caminhões. O propulsor de 176 cv de potência liquida (a versão a gasolina produzia cerca de 140 cv usando esse padrão) chegou já no fim da marca no Brasil durando de 1981 até o final de 1984.

A Volkswagen Caminhões já era dona da Dodge do Brasil e reaproveitou o motor V8 movido pelo combustível vegetal em seu 22-160. Hoje é difícil encontrar um desses caminhões a álcool, muitos trabalharam até acabar nos canaviais enquanto outros tiveram o motor trocado por algum a diesel.

Curte Dodge? O Boris apresenta esse Dart nacional da primeira safra:

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário