Polícia rodoviária manda “avião encostar” por problema no documento

Um comboio que estava transportando um avião desmontado do Paraná para o Mato Grosso teve a viagem interrompida por causa de 1,30m

prf carreta aviao
A enorme fuselagem estava regularizada, mas as asas estavam com medidas diferentes na documentação (Foto: PRF | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
25 de agosto de 2021 17:47

O transporte de carga especiais é uma atividade que exige precisão: quando um caminhão passa da medida regular prevista no CTB é preciso um planejamento e documentação especial para garantir que a carga irá chegar ao seu destino. A viagem para transportar um avião Boeing 727 de São José dos Pinhais (PR) para Cuiabá (MT) foi interrompida no Mato Grosso do Sul por causa de 1,30 m.

VEJA TAMBÉM:

O comboio era composto por dois caminhões, um levando a fuselagem do avião e outro com as asas. Os caminhões foram parados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no quilometro 240 da BR-267 para uma checagem.

Confira um vídeo do comboio:

A nota fiscal da carreta com as asas constava a medida de 5 metros de comprimento, na checagem foi aferido 6,30 m. Essa medida maior exige uma Autorização Especial de Trânsito (AET), documento que não estava presente. A carga ficou retida pela PRF até a obtenção da AET e a situação ser regularizada.

Segundo a nota oficial da PRF, o responsável pelo transporte alegou que a medida no documento estava certa na partida e a movimentação da carga na viagem fez ela crescer os 1,30m. A fuselagem do avião continuou a viagem. O avião servirá como estrutura para um restaurante em Santo Antônio do Leverger (MT).

Falando em avião, não use a gasolina deles em seu carro! O Boris explica:

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Zelito 16 de novembro de 2021

Acho que a Lei no Brasil peca por valorizar o que não tem valor.
Transportar um gde avião e suas asas, devido às dimensões por certo exige pelo menos 2 batedores e transito fluindo em meia pista e/ou parado em certos trechos devido ao tamanho e baixa velocidade das carretas.
Se na NF cita um avião de gde porte, que diferença faz se a asa tem 5, 6,30 ou 10 mts a mais?
Vai parar tudo e causar transtornos aos usuarios mesmo, porque transportar uma lata velha dessa de uma cidade só serve pra gastar dinheiro e dificultar quem está usando a rodovia.
Mas de qualquer forma independente do tamanho, deixa isso ir embora pra ficar livre do problema. Reter não tras beneficio pra ninguém.
É a maquina BRASIL que gosta de se agarrar a problemas.

Avatar
Paulo Do Espírito Santo Barbosa 26 de agosto de 2021

Será que entendi?
Durante a viagem as asas do avião lamentaram de tamanho é isso?
Então, se a carga se moveu a esse ponto, poderia até causar uma acidente.
Ou não?

Avatar
Sir.Alves 25 de agosto de 2021

“Segundo a nota oficial da PRF, o responsável pelo transporte alegou que a medida no documento estava certa na partida e a movimentação da carga na viagem fez ela crescer os 1,30m.” … Pode isso Arnaldo? 0.o

Avatar
Deixe um comentário