Veículos importados podem receber isenção de impostos

Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados quer garantir a dispensa até 2022; objetivo é auxiliar a recuperação do setor

Por AutoPapo 26/11/20 às 10h43
Com Agência Câmara de Notícias
Volvo XC40 Plug-In Hybrid R-Design branco frente
Volvo é a fabricante que mais importou veículos no Brasil em setembro (Foto: Volvo | Divulgação)

O Projeto de Lei (PL) 5221/20 quer isentar os veículos de transporte de passageiros do imposto de importação até 2022. Pelo texto, o benefício será aplicado a automóveis de passageiros e outros veículos concebidos para transporte de pessoas, incluindo os veículos de uso misto e os de corrida. A proposta não inclui os veículos importados de transporte para mais de dez pessoas, como ônibus.

LEIA MAIS

O autor do projeto, deputado Luis Miranda (DEM-DF), afirma que a pandemia prejudicou setores como o de venda de veículos importados, que tem sofrido não só com o encolhimento da economia, mas também com a alta do dólar.

“É uma forma de viabilizar a manutenção desse importante segmento da economia, que não apenas colabora para a competitividade do setor automobilístico, mas também para o alinhamento do Brasil à tendência mundial de substituição dos veículos movidos a combustão pelos não poluentes”, destacou Miranda.

Queda nas vendas de veículos importados é real?

As quinze marcas filiadas à Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, com licenciamento de 5.780 veículos nacionais e importados, anotaram em outubro último queda em suas vendas de 5,6% em relação a setembro, quando foram vendidas 6.123 unidades. Ante outubro de 2019, quando foram comercializadas 6.878 unidades, a retração é de 16%. Com esses resultados, o acumulado dos primeiros dez meses do ano fechou com queda de 15,7%: 46.206 unidades contra 54.809 emplacamentos de veículos importados e produtos fabricados no país.

4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
luiz silvio tripotti battistetti 26 de novembro de 2020

Impostos sobre lanchas, aeronaves e outros que só ricos têm não se cobra nada.

Avatar
Joao lima 1 de dezembro de 2020

Na realidade é uma questão de arrecadação mesmo, hoje em dia até quem tem condições não compra carros
De luxo 0km, eles acabam preferindo comprar seminovos, nessas tantas lojas de carros de luxo, com isso o governo deixa de arrecadar muito dinheiro em imposto, então é viável diminuir os impostos pro país vender mais carros de luxo 0km e arrecadar mais em quantidade. Um exemplo disso é o mustang que está custando 380k novo e você consegue achar com 2 anos de uso e pouca quilometragem por 280k, uma diferença de 100 mil reais.

Avatar
luiz silvio tripotti battistetti 26 de novembro de 2020

imposto, congelar benefício,.,, é: ricos deitam e rolam. Cadê o imposto sobre grande fortunas que está desde 1988 autorizado na CFB e os parlamentares não fazem nada.
Tem que diminuir imposto para todos, assim consome-se mais.

Avatar
Johnathan 26 de novembro de 2020

Acho que é irreal. Os principais carros que antes eram importados foram nacionalizados, como Jeeps, BMW série 3, X1, Mercedes classe C. Estes agora são produzidos no Brasil. Os importados agora em sua maioria são carros de nicho ou de status mais elevado, como suvs de maior porte e luxo, além de carros esportivos. A indústria nacional se tornou competitiva e produz carros de melhor qualidade, segurança e atualizados ao que vendem no exterior (salvo excessos, é claro). Ainda somos um país pobre em que a maioria dos carros vendidos são de menor custo e isso se reflete na qualidade. Mas mesmo os mais acessíveis são muito melhores do que se vendia 10 anos atrás. Retirar os impostos de importação nesse momento só tende a prejudicar a indústria nacional nesse momento de crise, da qual ainda estão se reerguendo.

Avatar
Deixe um comentário