Aprenda a escolher a bateria apropriada para o seu carro

As especificações, como capacidade da bateria e selo do Inmetro, devem ser consideradas; é preciso cuidado ao instalar acessórios que exijam muita energia

Por Laurie Andrade 17/07/18 às 14h50

A bateria é um dos componentes do carro que tem vida útil. Formada por um conjunto de pilhas ligadas em série ou em paralelo, ela dura, em média, de dois a três anos. Por alimentar o motor de arranque, as luzes e o sistema de ignição, as baterias são de total importância para o funcionamento dos veículos. Explicamos qual a maneira adequada para escolher o componente.

É de suma importância considerar que cada modelo de veículo disponível no mercado tem necessidades distintas e demanda uma bateria específica. Para saber qual a ideal para o seu carro, o motorista deve pesquisar, no manual, as características elétricas e os parâmetros do componente.

Feito isso, de acordo com o diretor de Engenharia do Grupo Moura, Antônio Júnior, é preciso checar a Capacidade Nominal contida no rótulo do produto. O item se refere à capacidade de acumular energia.

Versões diferentes de um mesmo modelo de automóvel, por exemplo, podem demandar mais ou menos energia para manter seus componentes elétricos em perfeito estado. Isso porque quanto mais acessórios, maior a necessidade de energia. “Caso a bateria comprada esteja fora dos padrões do fabricante, o motorista terá problemas elétricos”, explica o especialista.

As dimensões da bateria também devem ser levadas em conta. Mesmo com amperagens iguais, os componentes podem ter tamanhos distintos.

Outra dica é checar o selo do Inmetro: a certificação de baterias automotivas é obrigatória no Brasil, nenhuma bateria importada ou produzida por aqui pode ser comercializada sem a aprovação do órgão. Escolhendo uma bateria certificada, o consumidor tem a garantia de que o componente possui a mesma qualidade e vida útil do que a instalada na fábrica.

Caso tenha alguma dúvida, o motorista deve procurar a ajuda de especialistas. Júnior acrescenta: “Os carros mais modernos possuem algumas exigências na hora da troca da bateria, tais como tecnologia exclusiva e necessidade de parametrizações no sistema elétrico do veículo. Se os procedimentos não forem respeitados, itens como computador de bordo e injeção eletrônica podem ser desprogramados”.

A bateria é um item essencial para o carro. Listamos quais os parâmetros do componente devem ser analisados na hora da compra.
Foto Renault | Divulgação

Depois de comprar o conjunto de pilhas, deve-se confirmar a posição do polo positivo para garantir que a instalação seja adequada no espaço reservado para o componente. Existem riscos de pane em peças importantes e incêndio caso os polos sejam trocados na hora da instalação. Os prejuízos podem ser grandes.

Entenda as siglas

As especificações da bateria vêm descritas no rótulo do objeto. Eles são designados por meio de siglas, que têm um significado específico. Entenda o que cada uma delas quer dizer:

  • Ah – Ampère/hora – medida da capacidade de armazenamento elétrico que a bateria é capaz de proporcionar;
  • CCA – Corrente de arranque a frio – indica a corrente máxima que o componente pode fornecer na partida.
  • CA – Corrente de arranque – mede a corrente da bateria à temperatura de 25 ºC. O teste ainda não possui regulamentação, mas consta em algumas baterias do mercado brasileiro.
  • RC – Reserva de capacidade – determina o tempo (em minutos) que o produto plenamente carregado pode fornecer 25 ampères até uma tensão final de 10,5 Volts.

O que acontece quando uma bateria com amperagem superior ou inferior à indicada é instalada no carro?

A escolha de uma bateria com uma capacidade nominal maior ou menor que o indicado resultará em uma vida útil mais curta e na falha precoce da bateria. Segundo Antônio Júnior, normalmente, o resultado é um baixo nível de carga acompanhado de defeitos como sobrecarga, sulfatação das placas da bateria ou descarga.

Instalação de acessórios

A instalação de acessórios que não venham de fábrica é uma questão sensível. O veículo sai com um balanço energético apropriado para os componentes originais e a instalação de novos dispositivos, como sons e DVDs, pode afetar o componente. De acordo com diretor de engenharia, “a troca da bateria por uma de maior capacidade nominal não é garantia de um sistema balanceado e a bateria poderá ter sua vida útil comprometida”.

Incluindo mais acessórios, é preciso analisar a capacidade do alternador. Se os novos acessórios demandarem muita energia, ele poderá não ter potência suficiente para alimentá-los e ainda conseguir recarregar a bateria.

12 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Willian 8 de maio de 2020

    Tenho um accord 2005, é necessário aquela bateria de 50ah caixa alta, queça mais fina. Estou na dúvida de Heliar ou Duracell.
    Me ajudem por favor.

  • Avatar
    Leandro 18 de agosto de 2019

    Não ficou claro a reportagem, comprar uma bateria de valor maior de carga em Ampere.Hora e não Ampere/hora (erro no uso de unidade) não implica em maior valor de ddp na saída da bateria (no brasil são todas de 12V), talvez o problema fique no tamanho da bateria para a instalação. Acredito que o alternador não seria o problema pois enquanto o carro estiver rodando ele irá alimentar a baterial com corrente. A reportagem deveria se resumir consulte o manual do fabricante e veja a bateria em Ah a ser comprada.

    • Avatar
      Benvenutti 18 de janeiro de 2020

      Quanto maior a bateria, mais tempo o alternador vai precisar para encher ela totalmente, (12.7 amperes). São vários fatores que pode influenciar no processo de carga, o principal é o alternador.

      Um veículo que roda pouco por exemplo, muito provavelmente a vida útil dela será precoce.

  • Avatar
    Thiago siqueira 17 de junho de 2019

    Tudor instala e esquece a melhor 4 anos tranquilo

  • Avatar
    cesar thereza 28 de maio de 2019

    tenho uma livina 2011 qual seria a bateria ideial visto q tenho multimidia e cx selada

  • Avatar
    Edna 20 de março de 2019

    comprei meu carro em 2011, ele ja tinha sido rodado a um ano, mas a bateria estava de fabrica . Moura, agora que vou trocar , 8 anos de duracao .

  • Avatar
    Claudio 10 de janeiro de 2019

    Esta de bateria de maior capacidade vai ter vida mais curta ou causar problemas elétricos me deixa em dívidas. Sempre li que bateria maior não vai trazer problema nenhum e por maior capacidade de reserva pode durar ainda mais.

  • Avatar
    Flavia 12 de dezembro de 2018

    Melhor bateria que ja enconttrei no mercado foi a da Bosch… nenhuma dor de cabeça e estou com ela a 3 anos. recomendo

  • Avatar
    Anderson 19 de setembro de 2018

    Se você não quer se incomodar com bateria compre HELIAR ou DURACELL bateria de qualidade e durável melhor CCA do mercado,tive um Palio comprado zero km veio com bateria Moura não durou 2 anos e o Borne positivo e negativo sempre com zinabre isolando contato com cabos e gerando dificuldade na partida, troquei a bateria por outra Moura a mesma situação Moura e só propaganda,toquei de carro um Renault Sandero estou com ele a quatro anos bateria original de fábrica HELIAR,sem nenhum problema,ou seja HELIAR e muito superior,vejam que HONDA, TOYOTA,NISSAN, RENAULT só usam HELIAR em seus carros zero km.

    • Avatar
      Benvenutti 18 de janeiro de 2020

      Prezado Anderson, sem contar que uma bateria que tem vazamento …o estrago que faz no veículos é inreparável.

      • Avatar
        Benvenutti 18 de janeiro de 2020

        Irresponsável**

  • Avatar
    Andre 17 de julho de 2018

    Fiat Vivace 1.0 bateria ideal.

Avatar
Deixe um comentário