Carro pegou fogo, e agora?

Entenda como identificar um possível incêndio, agir de forma prudente e o momento certo para acionar o Corpo de Bombeiros

carro pegou fogo, saiba o que fazer como prevenir
Não tente combater um incêndio se você não tiver treinamento (Foto: Shutterstock | AutoPapo)
Por Julia Vargas
Publicado em 08/07/2024 às 10h17

Na última quarta-feira (03), a cantora Wanessa Camargo passou por um susto quando estava indo para uma gravação. Acontece que o seu carro pegou fogo durante o percurso, mas o incêndio foi rapidamente contido e ninguém se feriu. Essa situação, mesmo sem nenhum dano grave, é alarmante, perigosa e mais comum do que parece.

Segundo dados da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), houve uma alta de 17% no índice de carros que pegaram fogo nas rodovias paulistas em 2023 em comparação ao ano anterior. No ano passado foram registrados 513 casos, enquanto em 2022, cerca de 439.

VEJA TAMBÉM:

Dentre as principais causas para os incêndios veiculares, estão: problemas como falhas mecânicas, vazamentos de combustível, panes no sistema elétrico e, em alguns casos, ações criminosas. Dessa forma, é importante saber como identificar um possível incêndio, o que fazer caso seu carro esteja pegando fogo e como se prevenir para que isso não aconteça.

O que faz um carro pegar fogo?

Existem alguns fatores que causam um incêndio veicular, como:

  • Falha mecânica
  • Aumento de temperatura do veículo
  • Vazamentos de combustível
  • Curtos elétricos

De acordo com o Tenente Henrique Barcellos, porta-voz do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, um dos principais é o aumento da temperatura. Com o funcionamento do motor, há um aquecimento natural das partes que compõem toda a motorização do carro e o líquido de arrefecimento entra em cena para percorrê-las e resfriá-las.

Assim, sem um arrefecimento adequado, ou seja, sem o resfriamento dos sistemas mecânicos do automóvel, a temperatura interna pode aumentar e causar incêndios. Além disso, outro defeito comum e que pode fazer seu carro pegar fogo é uma pane no sistema elétrico. Fios desencapados, estado dos chicotes e da caixa de fusíveis podem facilmente dar curto-circuito e  virar focos de incêndio.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros ainda destaca:

Os veículos trabalham com diversas partes combustíveis, como por exemplo os pneus, diversos compostos de borracha e até os próprios estofados que trabalham com espuma. Tudo isso é muito inflamável e em um incêndio gera propagação das chamas com facilidade e rapidez.”

Como identificar que o carro está pegando fogo?

Na direção, o motorista tem que ficar sempre atento ao painel do carro ou aos  indicadores de temperatura, pois jamais deve-se conduzir o veículo com alguma alteração desse tipo. Nos veículos antigos, por exemplo, o ponteiro da temperatura não pode sair do meio da marcação, que é justamente o local de trabalho ideal, a faixa de temperatura ideal.

Quando esse ponteiro vai para o vermelho ou acende um alerta nos painéis mais modernos é sinal de problema grave e possível incêndio. Além disso, indícios de fumaça ou cheiro de queimado podem indicar que algo está pegando fogo.

O que fazer se o carro pegar fogo?

  1. Pare o carro: se você estiver trafegando, encoste distante de outros veículos e de outras pessoas imediatamente;
  2. Saia do veículo: desligue o automóvel e retire a chave da ignição, em seguida, destrave as portas, retire o cinto de segurança e saia do carro auxiliando demais ocupantes;
  3. Acione o Corpo de Bombeiros: se distancie do automóvel e ligue para o número 193;
  4. Não tente apagar o incêndio: não é indicado que pessoas sem treinamento façam combate às chamas, a não ser que seja no princípio do incêndio e que a pessoa disponha de um meio extintor adequado.
  5. Espere o socorro chegar

O ponto mais crítico desse procedimento é a saída do veículo. Ela deve ser feita  com agilidade e com o devido apoio às crianças que podem estar em cadeirinhas ou aos idosos com dificuldade de locomoção. Isso deve ser feito o mais rápido possível porque o incêndio pode derreter e causar curto em sistemas elétricos de trava do carro, dificultando a saída.

Mas e o extintor de incêndio?

A Resolução 919/2022 estabelece que o extintor de incêndio é um equipamento facultativo em automóveis de passeio e veículos utilitários. Mas, ele continua obrigatório para caminhões, veículos de transporte de produtos inflamáveis e todo veículo utilizado no transporte coletivo de passageiros. Devido à decisão, a grande maioria dos carros de passeio hoje são comercializados sem o equipamento, que pode ser comprado e instalado pelo proprietário.

A grande questão desse item de segurança é que ele só deve ser utilizado no combate às chamas por quem saiba utilizá-lo, tiver algum treinamento ou no princípio do incêndio. Nesses casos, para utilizá-lo, é preciso retirar o pino do extintor, apontá-lo para a base da chama do fogo e  pressionar o gatilho, descarregando para extinguir o princípio do incêndio.

Outro ponto importante é que a mesma resolução do Contran que tornou o extintor veicular facultativo, prevê que se ele estiver instalado no carro, deve ser obrigatoriamente carregado com carga de pó químico do tipo ABC. Essa especificação é mais apropriada para combater incêndios em materiais sólidos e líquidos, bem como equipamentos energizados.

Além disso, o item deve estar dentro da validade, que é de cinco anos, com indicador de pressão em ordem, integridade do lacre preservada e presença de marca de conformidade do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Também não deve haver pontos de ferrugem, amassados ou outros danos e o extintor deve estar devidamente fixado no local de instalação.

Caso o condutor seja pego com o extintor de incêndio fora dessas especificações, ele está cometendo uma infração grave. Dessa forma, de acordo com o artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), isso pode lhe render 5 pontos somados à CNH e multa de R$ 195,23.

Como se prevenir de um incêndio veicular?

Segundo o Tenente Henrique Barcellos, para evitar que seu carro pegue fogo, é preciso estar com as manutenções em dia. A revisão periódica na parte elétrica, principalmente nos fusíveis e bateria do veículo impede o início de um incêndio por curto-circuito, por exemplo.

Além disso, é preciso ficar sempre atento aos indicadores de temperatura, já que o aquecimento dos sistemas mecânicos pode gerar um incêndio. Se o carro apresentar algum problema nesse sentido, o recomendado é que o motorista não circule com o veículo e procure imediatamente uma oficina para revisar o sistema de arrefecimento.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify YouTube PodCasts YouTube PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário