Carro de menor consumo no Brasil não é um compacto 1.0?

Toyota, criadora do primeiro carro híbrido de produção em massa e, agora, do primeiro veículo híbrido flex, acredita na sustentabilidade socioambiental

toyota prius flex
Por AutoPapo
25 de fevereiro de 2019 08:10
CONTEÚDO PATROCINADO

Apesar de maiores e mais pesados que os veículos compactos, os carros híbridos são os que têm os menores consumo de combustível e emissão de poluentes. A tecnologia é muito mais eficiente do que um motor a combustão, mesmo se for um 1.0. Assim, os híbridos também contribuem mais com o meio ambiente.

Entre os fatores que contribuem para a eficiência dos híbridos é o recurso da frenagem regenerativa, que recarrega a bateria. Os veículos da categoria são equipados com esse sistema, colocando em uso a energia despendida pelo atrito dos freios que, em carros a combustão, seria desperdiçada.

Além disso, os carros híbridos podem andar, por algum tempo, consumindo apenas eletricidade. Ou, caso contrário, estão combinando a energia do motor a combustão com a eletricidade. No primeiro caso, não emitem nenhum poluente. No segundo, vão reduzir significativamente a quantidade de químicos expelidos.

Criadora do primeiro carro híbrido de produção em massa e, agora, do primeiro veículo híbrido flex, a Toyota acredita na sustentabilidade socioambiental.
Toyota Prius é o primeiro híbrido flex do mundo.

Um exemplo é o Toyota Prius, o modelo híbrido mais vendido do mundo, e também o primeiro a chegar, em massa, ao mercado. Ele é equipado com um motor elétrico de 72 cavalos de potência e 16,6 kgfm de torque, e outro a gasolina 1.8 16V, com potência de 98 cv e torque 14,2 kgfm. A potência combinada é de 123 cv.

Segundo testes do Inmetro, o consumo de combustível do modelo, na cidade, é de 18,9 km/l. Já na estrada esse valor diminui, o que também é característico dos carros híbridos: 17 km/l. Em comparação, o carro 1.0 com menor consumo de gasolina na cidade é o Renault Kwid, que roda 14,9 km/l.

Assim, vemos que os carros híbridos, como o Prius, contribuem mais com o meio ambiente. Neste sentido, a Toyota é uma fabricante que sempre se destacou. O Prius foi o primeiro carro híbrido produzido em larga escala, em 1997, no Japão. Desde então, o modelo chegou a dezenas de outros países e, hoje, é o híbrido mais vendido do mundo.

Mais recentemente, a Toyota também se destacou por criar o primeiro motor híbrido flex do planeta. A fabricante está desenvolvendo dois modelos com a nova tecnologia, um Prius e um Corolla. Este último será o primeiro a ser lançado, no fim de 2019.

O primeiro motor híbrido flex do mundo foi concebido pela Toyota do Brasil e, além de contribuir para o meio ambiente e evolução da tecnologia, também traz distinção para o país.

“Este é um trabalho que […] destaca o Brasil no cenário mundial das alternativas para a eletromobilidade, como produtor de um dos automóveis mais limpos do mundo, em consonância com o Programa Rota 2030”, declarou Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil, durante a cerimônia de apresentação do Prius híbrido flex, em Brasília (DF).

Carros híbridos refletem preocupação da Toyota com o meio ambiente

Ao investir no desenvolvimento de carros híbridos e de tecnologia que os tornem um bem prático e adaptado à realidade brasileira, a Toyota está honrando um compromisso que fez com a sociedade e o meio ambiente. Em 2015, a fabricante japonesa criou o Desafio Toyota 2050, um conjunto de metas que visam a sustentabilidade da cadeia produtiva.

Os objetivos definidos pela marca devem ser alcançados até o ano de 2050, e envolvem o lançamento de novos veículos e fábricas com zero emissão de gás carbônico (CO2); otimização do uso da água na produção; adoção de sistemas baseados em reciclagem; e o investimento de uma sociedade em harmonia com a natureza.

A Fundação Arara Azul, em parceria com a Toyota, luta pela preservação desta e outras espécies na área do Pantanal.

Estes itens, contudo, não são apenas palavras ao vento. A empresa vem tomando diversas atitudes no sentido de alcançar suas metas. Além do desenvolvimento de novos modelos e tecnologias de carros híbridos, a Toyota implementou a coleta de água da chuva em duas de suas fábricas; reduziu o consumo de água e produção de resíduos com a fabricação de carros; a reciclagem de toneladas de baterias; e a coleta de milhares de pneus no Brasil para destinação correta.

Além disso, desde 2009, a companhia mantém a Fundação Toyota do Brasil, organização que patrocina programas de preservação ambiental e formação de cidadãos. A fundação também  a coordena, hoje, programas ecológicos que a companhia já mantinha no país desde a década de 1980.

Zona de proteção ambiental em Tamandaré (PE): Criadora do primeiro carro híbrido de produção em massa e, agora, do primeiro veículo híbrido flex, a Toyota acredita na sustentabilidade socioambiental.
A área de proteção ambiental da Costa dos Corais, em Tamandaré (PE), também tem o apoio da Fundação Toyota.

Entre os projetos da Fundação Toyota do Brasil, está uma parceria com a Organização Não Governamental (ONG) SOS Mata Atlântica, que tem o objetivo de preservar o bioma mais ameaçado do país. A empresa também colabora com o Instituto Arara Azul, que luta pela preservação desta e outras aves do Pantanal; e com o SOS Pantanal, outra ONG dedicada é conservação da região do Pantanal.

Outros parceiros da organização incluem a área de proteção ambiental Costa dos Corais e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Fundação Toyota do Brasil também investe em ações sociais

Além de desenvolver carros híbridos, tecnologias de zero emissões, e investir na preservação do meio ambiente, a Toyota também coordena programas sociais. Através da Fundação Toyota do Brasil, a companhia mantém diversos projetos nas cidades onde possui fábricas.

Assim, as ações beneficiam comunidades de Guaíba (RS), Indaiatuba (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Sorocaba (SP).  Os projetos englobam as áreas como a educação, meio ambiente e cultura, e incluem a participação de funcionários como voluntários.

Vitrine Cultural, em Guaíba (RS), é um espaço que visa promover o desenvolvimento cultural e turístico da cidade.

Em Guaíba, a Toyota criou a Vitrine Cultural a partir da restauração de um imóvel histórico conhecido como “Casa do Juiz”. O novo espaço, aberto ao público, passou a servir como área de exposições de arte, lançamentos de livro, oficinas e palestras, com o objetivo de promover o desenvolvimento turístico e cultural da cidade.

Já em São Bernardo do Campo, a Fundação Toyota do Brasil está realizando a ampliação e modernização da Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato. Um investimento de R$ 4,5 milhões foi feito na reforma do edifício, a praça e locais em seu entorno.

A nova biblioteca contará com espaço infantil, sala temática e plataforma elevatória para pessoas com mobilidade reduzida, além de uma sala multiuso com assentos para 120 pessoas.

Espetáculo circense promovido durante o Dia das Crianças da Toyota.

Além disso, desde 2009, em Indaiatuba e Sorocaba, a Toyota realiza um evento público no Dia das Crianças. A programação inclui atividades voltadas para a conscientização ambiental relacionadas aos projetos ambientais da empresa, como o Arara Azul.

O Dia das Crianças da Toyota também inclui teatro de fantoches, jogo de xadrez humano, um contador de histórias, oficinas ecológicas, atividades circenses e apresentações do circo Vox.

Imagens Toyota | Divulgação

SOBRE
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
mariog 30 de março de 2019

a toyota precisa urgente de um modelo hibrido com tracao puramente eletrica e bateria barata. vejam o nissan e-power. solucao em uso em locomotivas diesel-eletricas desde 1970.

Avatar
Deixe um comentário