Nissan: tirando o chapéu para suas alternativas energéticas

A Nissan anda desenvolvendo alternativas energéticas bastante interessantes para seus carros elétricos, inclusive no Brasil

motor nissan e power carro eletrico shutterstock 1244844544
Nissan investe em opções energéticas para seus elétricos até no Brasil (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
15 de março de 2021 07:30

Eu tiro o chapéu para Nissan em termos de projetos para alternativas energéticas, um dos primeiros carros elétricos do mundo e que hoje é o mais vendido, é o Nissan Leaf.

Mas ela desenvolve outras tecnologias, uma delas aqui no Brasil em parceria com duas universidades. Por que?

Ela quer o carro com célula a combustível que já existe, abastecido com etanol ao invés do hidrogênio. Um carro elétrico que, ao invés de bateria, recebe etanol no tanque.

Para o Brasil é a solução ‘sopa no mel’, mas ela já lançou uma outra novidade, o e-Power.

Um híbrido com um pequeno motor gasolina que movimenta um gerador que carrega as baterias, que movimentam o carro eletricamente. É a maior eficiência térmica do mundo para motores a combustão, pois se nenhum outro foi além de 40%, com esse a Nissan chegou a 50% de eficiência térmica

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
9 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
AUGUSTO CÉSAR MOTTA 21 de março de 2021

Penso qua a célula de combustível a etanol seja a melhor alternativa para o Brasil. Digamos que o aproveitamento da energia química do etanol na velula de combustivel seja de 75% e que o rendimento do motor eletrico seja de 90%. Isso se traduz em um rendimento global de 0,75×0,9 = 0,675 isto significa um rendimento de 67,5%, superior aos 50% estimado para os veículos híbridos. Claro que a conversão direta dos carros com motor eletrico acionados pelas baterias teria rendimento mais alto, mas não teriam a flexibilidade operacional da célula de combustivel. Desta forma justificou minha preferência pela célula de combustivel.

Avatar
Wanderley 17 de março de 2021

Venho aqui pedir um help
Comprei um Nissan march 2018/2019
Comprei na localiza seminovos em BH MG
Comprei com 37,000, km
Hoje está com 122,000 km rodados
Ascendeu luz de infecção
Levei a oficina
Já troquei bobinas,velas bicos
Fiz o cabeçote
E nada resolve o problema do meu carro
Quem tiver uma solução e se puder me ajude

Avatar
Pedro 21 de março de 2021

Se está com infecção, leva em um médico, para dar um antibiótico.

Avatar
Thiago 22 de março de 2021

Amigo, se fizeram plaina no cabeçote e provável que nao vá conseguir resolver seu problema. Este cabeçote nao pode plainar. Deve ser trocado. Tem que descobrir qual defeito está acusando e fazer um disgnostico. Muito mecanico condena cabecote pq nao consegue achar o defeito ai o cabeçote sobe atoa por “ACHISMO”.
Boa sorte

Avatar
Jecefran Martins 16 de março de 2021

Pois a nossa empresa a Rnova, reengenharia e inovação é proprietário de uma tecnologia 100% eficaz. O nosso projeto é um veículo auto recarga e sem precisar de qualquer motor a combustão. A patente já está em tramitação e procuramos algum investidor de peso para esse é outras inovações.

Avatar
Raphael Mendes 16 de março de 2021

Conte me mais sobre essa tecnologia.

Avatar
Celso 16 de março de 2021

Autorecarga usando que energia?

Avatar
Ismael Martins da conceicao 15 de março de 2021

Nissan pode ser uma das melhores agora ter um carro rodando nas estradas e nao ter peca de reposicao e brincadeira ne fica ai minha indignacao da montadora nao ter pecas de acabamento no mercado para o nissan tiida sei que faz tempo que saiu de linha mais poderia ter ja que ouvi que a demanda de certas pecas de acabamento dele sao altas…

Avatar
Fabio 15 de março de 2021

É isso mesmo. O Brasil tem que pensar fora da caixinha. E pensar fora da caixinha é associar-se com quem quer fazer negócio conosco. Se deixar pelos europeus, eles virão com os carros elétricos, sem demonstrar quanto polui uma carro com baterias. Como é feita a reciclagem. A bateria é enviada para o país de origem? Nós temos o proalcool ha muito tempo. Isso é uma evolução. A partir do lançamento, mereceria um imposto menor. Os outros fabricantes que sigam a nossa inovação.

Avatar
Deixe um comentário