Elétricos: investimentos gigantescos

Brasil deve ter, até 2023, uma frota com mais de 1 milhão de veículos elétricos. Para isso, será necessário investir na geração de energia

Veículo elétrico
Veículo elétrico (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
20 de agosto de 2021 07:32

A Anfavea (Associação das fábricas de automóveis) apresentou na semana passada um estudo que encomendou ao BCG (Boston Consulting Group), sobre a descarbonização do mundo, ou seja, como aplacar o efeito estufa com a redução do CO2 e as diversas alternativas energéticas imaginadas no mundo e no Brasil.

Um dos pontos interessantes deste estudo foi a confirmação de que no Brasil – ao contrário do que muitos pensam e afirmam – todo setor de transportes é responsável por apenas 13% das emissões de CO2.

A tendência mundial de se migrar para veículos elétricos é fato também no Brasil. Mais lenta, porém se estima em 2023, uma frota de cerca de um 1, 3 milhão deles.

VEJA TAMBÉM:

Mas os investimentos deverão ser gigantescos, pois para abastecer toda essa frota, deveremos ter instalados 150 mil postos de recarga que exigirão aportes de R$ 14 bilhões. Além disso, um acréscimo de 1,5% na geração de energia elétrica no país, que corresponde a 7,5 milhões de gigawatts!

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Antonio 28 de agosto de 2021

Uma correção de unidade. Não seria 7,5 milhões de gigawatts (GW – unidade de potência), seria 7,5 milhões de gigawatts.hora (GWh – unidade de energia).
E mesmo assim, o valor da suposta energia consumida não bate, pois o consumo anual de energia no Brasil está ao redor de 500 TWh (500 mil gigawatts.hora), e 1,5% disso seria 7,5 mil gigawatts.hora.
sds

Avatar
Antonio Carlos 28 de agosto de 2021

Uma correção de unidade. Não seria 7,5 milhões de gigawatts (GW – unidade de potência), seria 7,5 milhões de gigawatts.hora (GWh – unidade de energia).
E mesmo assim, o valor da suposta energia consumida não bate, pois o consumo anual de energia no Brasil está ao redor de 500 TWh (500 mil gigawatts.hora), e 1,5% disso seria 7,5 mil gigawatts.hora.
sds

Avatar
Antonio Carlos 28 de agosto de 2021

Uma correção de unidade. Não seria 7,5 milhões de gigawatts (GW – unidade de potência), seria 7,5 milhões de gigawatts.hora (GWh – unidade de energia).
E mesmo assim, o valor da suposta energia consumida não bate, pois o consumo anual de energia no Brasil está ao redor de 500 TWh (500 mil gigawatts.hora), e 1,5% disso seria 7,5 mil gigawatts.hora.

Avatar
Clovis 20 de agosto de 2021

Aposto meu braço direito que o governo (qualquer que seja) está esperando o momento certo para dar o bote cobrar um imposto estratosférico que vai encarecer os carros elétricos e como senão bastasse vai atacar também na eletricidade, pode apostar que para cobrar imposto eles vão ser criativos.

Avatar
Sir.Alves 20 de agosto de 2021

Sem duvidas o processo de eletrificação já seria lento antes do vírus chinês… agora… as mais promissoras expectativas se transformaram em utopia da eletrificação…

Avatar
Deixe um comentário