Acordo automotivo com a Europa não terá reflexos rápidos no mercado

Mas essa melhoria no nosso setor de automóveis não vai ocorrer de forma instantânea, mas sim, de forma gradual

carros importados rio rj acordo mercosul uniao europeia
Por Boris Feldman
31 de julho de 2019 19:30

Foi finalmente assinado, há um mês, o histórico e famoso acordo Mercosul-União Europeia, que vai afetar a nossa economia e o nosso mercado automotivo. Pois veículos fabricados na Europa serão importados isentos do imposto de importação de 35%.

Mas pode tirar o cavalinho da chuva, porque isso vai demorar a acontecer. Nos sete primeiros anos, depois de ratificado o acordo, o imposto será reduzido apenas a metade, 17,5%, mas o Brasil terá uma cota de apenas 32 mil carros por ano.

Do oitavo até o 15º ano, acabam-se as cotas, mas o imposto começa sendo reduzido gradualmente dos 35% até zerar. Ou seja, só 15 anos depois de ratificado o acordo, os europeus desembarcam aqui sem o imposto de importação.

importacao carros acordo mercosul uniao europeia setor automotivo brasil

Você sabia que o AutoPapo também está presente em suas redes sociais favoritas? Clique e confira:

TikTok YouTube Facebook Twitter

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário