Citroën Xantia continua ‘campeão de estabilidade’ 20 anos depois?

O modelo quebrou recordes no teste do alce em 1999; e o Mercedes Classe A que tomou bomba nesse 1997? Ele também foi testado

citroen xantia activia teste do alce
A suspensão hidropneumática com controle ativo faz o Xantia rolar pouco (Foto: YouTube | Reprodução)
Por Eduardo Rodrigues
27 de agosto de 2021 10:20

Muito se fala de quem falhou no teste do alce, como o Mercedes-Benz Classe A, o Jeep Grand Cherokee e a Toyota Hilux. Mas e quem brilha nesse teste? Por muitos anos o recordista de velocidade nesse teste de mudança de faixa não foi um esportivo e sim um pacato e confortável Citroën Xantia.

O teste do alce simula uma manobra de emergência para desviar de uma animal que invada a pista. O processo é de ir aumentando a velocidade em que a troca de faixa é realizada para determinar a estabilidade do carro. Hoje esse teste também é utilizado para testar a calibração do controle de estabilidade.

VEJA TAMBÉM:

Refazendo o teste com o Citroën Xantia

A publicação espanhola km77 fez uma nova bateria de testes do alce e decidiu refazer o teste com o Citroën Xantia e também com o Mercedes-Benz Classe A. De 1999 para cá o protocolo do teste mudou, então a velocidade de 85 km/h que o Xantia conseguiu na época não pode ser utilizada como parâmetro contra os carros testados hoje.

O carro do teste antigo era o topo de linha Xantia Activia V6. Os espanhóis conseguiram três unidades do Xantia para refazer o teste, um de cada fase do modelo e todos com a suspensão hidropneumática. O mais antigo com a versão mecânica da suspensão e os dois mais novos com a versão com controle eletrônico ativo da suspensão.

No teste feito em 1999 os caros tinham mais espaço para se movimentar nas faixas, o padrão atual é mais exigente e delimita faixas mais estreitas. Isso traz mais precisão para o teste. A km77 inicia o teste com a velocidade de 77 km/h, mas para os Xantia o teste começou em uma velocidade mais baixa por causa da idade dos carros. Outra diferença entre 1999 e 2021 são os pneus, os compostos evoluíram nesses 22 anos.

O Xantia contra o alce

Apenas os dois mais novos foram testados. O primeiro a ir para a pista falhou no teste, perdendo a traseira a 70 km/h. Os culpados foram os pneus, esse Xantia estava com pneus diferentes em cada eixo e os do eixo traseiro eram piores. O piloto reforça que a direção do Xantia é mais comunicativa que a de qualquer carro atual entretanto.

O segundo Xantia estava equipado com pneus melhores e conseguiu a melhor velocidade no teste: 73 km/h. Longe dos 85 km/h de 1999, mostrando o quanto que o protocolo de teste ficou mais exigente. O primeiro Xantia foi testado com os pneus do segundo, conseguindo uma velocidade de 71 km/h.

citroen xantia verde parado
O Citroen Xantia foi vendido entre 1995 e 2001, se destacando pela suspensão hidropneumática (Foto: Citroen | Divulgação)

Os recordistas atuais do teste do alce são o Ford Focus e o Tesla Model 3, com 83 km/h, e o Kia Stinger GT, com 82 km/h. O melhor Citroen Xantia empatou com o Ford Ka+ e o Mercedes-Benz CLS. Um número respeitável para um carro sem controle de estabilidade.

O Mercedes-Benz Classe A saiu melhor?

O Classe A foi o primeiro Mercedes-Benz de tração dianteira e trazia um conceito inovador: a carroceria era compacta mas trazia um amplo espaço interno. Em contrapartida, o carro era alto. O centro de gravidade alto fez que o carro capotasse no teste do alce realizado pela revista Teknikens Värld.

A Mercedes fez um recall para instalar o controle de estabilidade em todos os carros vendidos, colocou o item de série e refez o acerto de suspensão. Graças a eletrônica e ao acerto novo, o Classe A passou com louvor no teste do alce na segundo tentativa.

De volta a 2021, os espanhóis da km77 conseguiram um A210 Evolution para refazer o teste do alce. Essa era a versão esportiva da linha, com suspensão mais firme, rodas de 17 polegadas, motor mais potente, interior completo e um teto solar com funcionamento similar ao do SkyWindow do Fiat Stilo.

O carro estava equipado com pneus Tristar na dianteira e Roadstone na traseira. A primeira passagem foi feita com o proprietário ao volante, a uma velocidade de 71 km/h. O carro atropelou alguns cones mas sem demonstrar risco de capotagem, a suspensão firme deixou a carroceria rolar pouco.

mercedes benz calsse a classic verde frente teste do alce
Depois de ser reprovado, a Mercedes-Benz gastou 300 milhões de marcos alemães para deixar o Classe A seguro em manobras emergências (Foto: Mercedes-Benz | Divulgação)

O melhor desempenho foi com o piloto de testes da publicação, conseguindo realizar o teste a 75 km/h. O piloto elogiou o controle de estabilidade, que não atuou de forma invasiva. O resultado do Classe A empatou com o do novo Fiat 500e.

A publicação km77 está testando carros do passado com os parâmetros atuais para mostrar a importância dos avanços em segurança que vem sendo feitos. O Classe A e o Xantia são exemplos de carros que eram bons em sua época, em outros carros a diferença pode ser maior.

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Rodolfo 27 de agosto de 2021

Essas comparações não fazem o menor sentido… pois:
1. Carro tem que ser testado em perfeitas condições de segurança, ou seja, suspenção nova (amortecedores e molas), pneus novos com no máximo 6 meses de fabricação, controle de estabilidade funcionando perfeitamente, fluido de freio com no máximo 12 meses de fabricação.
2. Comparar carro mal conservado com 0 km não tem a menor graça.

Avatar
Deixe um comentário