‘Detran’ dos EUA libera carros sem volante no país; entenda

Entidade é responsável pelo controle de trânsito nosEUA e dispensou controles de direção manual para protótipo de carros autônomos

Conceito carro autônomo Volkswagen ID Vizzion
Conceito carro autônomo Volkswagen ID Vizzion (Foto: Volkswagen | Divulgação)
Por Bernardo Castro
11 de março de 2022 16:30

A NHTSA (Administração Nacional de Tráfego e Segurança Rodoviária), órgão que rege as leis de trânsito nos Estados Unidos, definiu um conjunto de normas de segurança para protótipos de carros autônomos dispensam motoristas.

Agora, esse tipo de automóvel não precisa mais dos controles de direção manual — como volante e coluna de direção, por exemplo — para atender à regra dos padrões de colisão do país. Os desenvolvedores de carros autônomos tinham dificuldade de implantar o sistema nos veículos devido aos padrões de segurança que deviam ser seguidos e pressupunham que uma pessoa estava no controle do carro.

VEJA TAMBÉM:

Em fevereiro, a Cruise, unidade de tecnologia de direção autônoma da General Motors, solicitou à NHTSA permissão para construir e implantar o Origin , um ônibus autônomo, sem controles manuais.

Agora, de acordo com a agência “Para veículos projetados para serem operados exclusivamente por um ADS [sistema de direção autônoma], os controles de direção operados manualmente são logicamente desnecessários”.

Por isso, foi revisado o trecho que diz que os carros sempre devem ter um banco para o motorista, um volante e coluna de direção, ou apenas uma posição de assento do passageiro dianteiro. Apesar da alteração, a nova regra enfatiza que os carros autônomos devem oferecer aos ocupantes o mesmo nível de segurança que os automóveis conduzidos por humanos.

À medida que o motorista muda de pessoa para máquina em veículos equipados com ADS, a necessidade de manter os humanos seguros permanece a mesma e deve ser integrada desde o início”

Além disso, a nova norma diz que as crianças não devem viajar no banco do “motorista”, visto que esse assento não foi desenvolvido para protegê-las em caso de colisão. No entanto, mesmo se uma criança ocupar esse lugar, o carro não é obrigado a parar imediatamente.

A mudança chegou para tornar mais fácil para as montadoras lançar carros e ônibus totalmente autônomos com interiores futuristas, tratando todas as pessoas como passageiros.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
José Everaldo 12 de março de 2022

Não acho que os carros com pessoas dirigindo vão deixar de existir, pelo menos eu desejo isso. Que acharia interessante para o dia a dia um carro que eu pudesse escolher dirigir quando eu quisesse ou quando não ele dirigisse para mim

Avatar
alecs 11 de março de 2022

Tudo em nome do “Progresso”. Já mataram os cobradores,depois as bilheterias,agora matam os motoristas…Esse mundo do presente-futuro pode ser excitante,mas só para os empresários,e magnatas!!!

Avatar
Deixe um comentário