Importação de carro usado está em debate na Câmara dos Deputados

O projeto de lei que autoriza a importação de carros usados com menos de 30 anos no Brasil será discutido no dia 13 de setembro

patio de loja de carros usados no mexico shutterstock
O projeto de lei libera a importação de carros com menos de 30 anos para o Brasil (Foto: Shutterstock)
Por AutoPapo
10 de setembro de 2021 16:01
Agência Câmara de Notícias

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta segunda-feira (13) para debater a importação de carros usados, prevista no Projeto de Lei 6468/16 e apensado.

O debate será no plenário 11, às 10 horas, e poderá ser acompanhado de forma virtual pelo e-Democracia.

VEJA TAMBÉM:

O deputado Hugo Leal (PSD-RJ), relator da proposta, afirma que seu substitutivo limita a importação de veículos usados àqueles que são definidos como veículos de coleção, que necessitariam ter mais de 25 anos de fabricação.

A esse parecer foi oferecida uma emenda substitutiva, por parte do deputado Lucas Gonzales, com a proposta de que deveria ser assegurada a importação de veículos automotores, novos ou usados, bem como de partes e acessórios destinados à manutenção ou à restauração desses veículos, sem qualquer tipo de restrição na Lei, seguindo a linha do Projeto de Lei 237/20

Hugo Leal acredita que o debate na Comissão de Viação e Transportes irá possibilitar um amplo debate e apresentação de dados e informações que irão nortear a conclusão do relatório.

Debatedores

Confirmaram presença na audiência:

  • o coordenador-geral de Segurança no Trânsito do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Daniel Mariz Tavares;
  • o conselheiro da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, Elis Siqueira;
  • o diretor de Assuntos Técnicos da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Henry Joseph;
  • o secretário adjunto de Advocacia da Concorrência do Ministério da Economia, Alexandre Messa;
  • o administrador de empresas e exportador de carros antigos, Rafael Augusto Zanetti; e
  • o presidente da Confederação Nacional dos Bombeiros Voluntários, Anderson Jociel da Rosa.

Carro importado pode exigir peças importadas. Confira essa dica do Boris:

4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Roberto Dias Santos 16 de setembro de 2021

Perfeito, Maravilha seu texto, apenas para complementar, tem um programa chamado: Programa PCG, esse Software é um agregador de sites de classificados, ele tem mais de 340 sites de classificados grátis onde você pode anunciar, usando esse programa você pode divulgar automaticamente nesses sites, vale muito a pena usar ele deixa seu trabalho bem mais rápido além de te dar uma lista que sempre é atualizada com sites novos, com esse programa você consegue obter trafego orgânico e assim receber visitas dos buscadores como o Google e outros, eu sempre usei esse programa para fazer anuncios e faço vendas praticamente usando só ele. Fica ai a sugestão… Seu texto me ajudou muito. Saudações Amigos

Avatar
Sir.Alves 10 de setembro de 2021

Se aprovarem… MARAVILHA… vai ser uma excelente PRESSÃO para baixar os preços dos nacionais novos…. muito bem vinda seria esta opção… ninguém merece pagar quase 100.000Mil num compacto popular…. não fique em CASA… VAMOS TRABALHAR! Se não PIORA ainda mais!

Avatar
mp extintores 10 de setembro de 2021

Bom é aqui no Brasil, pagar 90000 em um Voyage completo. Pra quem tem condições de comprar 0k aqui é mole criticar. Fora q são caros e de baixa qualidade. Até o tapete vc tem q pagar a mais.

Avatar
JOILSON SOARES DA SILVA 10 de setembro de 2021

Um contra senso, seria mais inteligente incentivo para renovação da frota. Carros novos mais eficientes, menos custos de manutenção. Liberar a importação de carros mais antigos só aumentaria a despesas com peças de reposição combustível etc. da nação e do pobre indivíduo que comprasse o veículo, além do evidente prejuízo ambiental
A quais interesses esta proposta atende? Algum grupo econômico local ou a países que exportariam os respectivos “lixos”?

Avatar
Deixe um comentário