Indenização da Ford aos funcionários será de no mínimo R$ 130 mil

Além do valor pago por funcionário, a fabricante deverá investir em um programa de reinserção ao mercado de trabalho

interior da fábrica da ford em taubate em linha de produção do motor 1.5
Atividades da fábrica da Ford em Taubaté serão completamente encerradas em julho (Foto: Ford | Divulgação)
Por AutoPapo
07 de abril de 2021 12:37

Após longa negociação com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, São Paulo, a Ford fechou acordo sobre a indenização a ser paga aos colaboradores que perderam seus empregos em razão do fechamento da fábrica da marca na cidade. O documento, assinado na terça-feira, 06, prevê indenização mínima de R$ 130 mil e projeto para reinserção dos profissionais no mercado.

De acordo com o sindicato, a proposta foi aprovada por 55,3% dos 630 trabalhadores que votaram. Aproximadamente 800 pessoas eram funcionárias diretas da fábrica em questão.

LEIA MAIS

Além das verbas rescisórias legais, a fabricante vai pagar entre um e dois salários por ano trabalhado na fábrica – a depender da categoria do empregado -, sendo garantido o pagamento mínimo de R$ 130 mil em indenização por funcionário. Prevalecerá a condição mais vantajosa ao colaborador.

Resultado de 25 rodadas de negociação entre a Ford e sindicato local, o acordo prevê ainda investimentos da empresa num programa de qualificação dos funcionários desligados, visando a recolocação no mercado de trabalho. O aporte será de 700 reais por empregado horista efetivamente desligado.

Segundo o cronograma de fechamento da unidade, anunciado formalmente em janeiro de 2021, a fábrica seguirá produzindo peças ao mercado de reposição até o dia 16 de abril. Até o fim de julho, todos os equipamentos estarão desligados.

Confira os termos do acordo de indenização da Ford

Aos funcionários horistas, aposentados e aposentáveis:

  • Indenização de dois 2 salários por ano de trabalho, sendo a indenização mínima de R$ 130 mil.

Aos empregados horistas e com restrição médica:

  • Indenização de dois 2 salários por ano de trabalho, sendo a indenização mínima de R$ 130 mil.
  • Adicional de 2 salários de acordo com o tempo de empresa sendo até 10 anos e 11 meses indenização de R$ 300 mil; de 11 a 20 anos R$ 200 mil; acima de 21 anos R$ 150 mil.

Aos empregados mensalistas

  • Um salário por ano trabalhado, sendo indenização mínima de R$ 130 mil.
4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Rodrigo 7 de abril de 2021

Enquanto isso a Ford, para os funcionários da Bahia o valor e apenas 1/4 do valor pago em relação ao acordo com Taubaté.
Uma grande discriminação e falta de respeito com os trabalhadores baianos.

Avatar
Murgote 7 de abril de 2021

Que todos sejam abençoados e consigam arrumar emprego, não só os metalúrgicos, mas todos os que perderam seu sustento.

Avatar
Alexandre 7 de abril de 2021

Excelente acordo. Todos vão receber uma fortuna. Melhor ainda pra quem já está perto da aposentadoria.
Tenho pena é das muitas e muitas pessoas que perdem o emprego todos os dias e recebem uma mixaria de indenização (isso quando recebem…).

Avatar
Julião 7 de abril de 2021

Ser metalúrgico neste país é uma grande teta. Ganham bem, tem benefícios pra tudo que é lado, fazem greve, ganham aumentos e quando são demitidos ainda ganham uma fortuna. Enquanto isso, um garçom qualquer tá passando fome.

Avatar
Deixe um comentário