Paris implementa novo limite de velocidade de 30 km/h para toda a cidade

A decisão de diminuir o limite de velocidade de Paris para 30 km/h era uma promessa de campanha da prefeita Anne Hidalgo

transito de paris a noite avenida champs elysees arco do triunfo ao fundo
A prefeita Anne Hidalgo quer colocar mais bicicletas nessa vista da avenida Champs-Elysées (Foto: Shutterstock)
Por Eduardo Rodrigues
31 de agosto de 2021 12:56

A atual prefeita de Paris, Anne Hidalgo, prometeu em campanha no ano passado a diminuição do limite de velocidade no centro da capital francesa. O novo limite de 30 km/h entrou em vigência nessa segunda (30). Os objetivos dessa mudança é reduzir a poluição sonora, as emissões de poluentes dos veículos e aumentar a segurança.

Junto dessa mudança, a prefeita iniciou um projeto para criar mais ciclovias na Cidade Luz. O vice-prefeito David Belliard diz que a meta é reduzir o espaço ocupado pelos carros. Esse novo limite já era aplicado a 60% das vias de Paris, agora será aplicado a todas, incluindo as principais ruas do anel viário e nas autoestradas.

VEJA TAMBÉM:

Existem duas exceções: a famosa avenida Champs Elysées com limite de 50 km/h e o anel Boulevard Périférique com um limite de 70 km/h. Tal redução já foi implementada em outras cidades francesas, como Grenoble e Lille. Bilbao, na Espanha, e Bruxelas, na Bélgica, também implementaram um limite de velocidade mais baixo.

A decisão da prefeitura de Paris divide opiniões

Como esse novo limite fez parte da campanha da prefeita eleita, era de se esperar que a maioria dos cidadão aprovassem. A BBC diz que segundo uma pesquisa de opinião, 59% dos parisienses apoiam o limite de 30 km/h. Porem a parcela que foi contra está sendo bastante vocal em suas opiniões.

A principal critica é de quem mora em subúrbios e dependem do carro para ir trabalhar no centro de Paris. O limite mais baixo deixa o deslocamento mais demorado e pedalar não é uma opção viável. Outra crítica vem da associação 40 Millions d’Automobilistes, que argumenta dizendo que Paris já possui uma taxa baixa de acidentes, sendo a maioria envolvendo ciclistas.

A associação também argumenta que essa redução não irá reduzir a poluição sonora ou as emissões. A BBC também apontou outra associação que vem sendo contra as mudanças, a SaccageParis. O nome significa “destruir Paris” em uma tradução livre, em alusão ao impacto visual negativo que as ciclovias causam nas ruas.

Apesar de tudo isso, a prefeita Hidalgo não parece querer parar com seus projetos para deixar Paris mais verde. O objetivo final é ter uma cidade limpa para receber as Olimpíadas em 2024.

O Boris falou sobre uma chave da Volvo que pode ajudar os parisienses mais distraídos que não querem levar multa:

5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Alberto 31 de agosto de 2021

O ser humano ainda nasce sem asas…….
O carro é um meio de transporte muito útil ainda.
Alguns malucos,ficam com essas medidas ridículas,mas tenho certeza que os inventores de tais medidas,andam com bons carros,helicópteros e aviões,jamais de transportes públicos,bicicletas ou a pé !

Avatar
FELIPE 31 de agosto de 2021

30km/h ??? Ridículo é o termo mais suave que encontro…

Avatar
Leandro 1 de setembro de 2021

Põe ridículo. Meu medo é que muitos políticos brasileiros amam e idolatram a culinária francesa e suas esquisitices, e depois de viagens pra lá, vem querer fazer o povo engolir à força. Cadê o “Eduquem as crianças, e não precisará punir os adultos”? Como educação não torna cidadãos manipuláveis em pagadores de multas, quanto maior a ignorância, melhor se faz no seu berço esplêndido. Uh là là !!

Avatar
Sir.Alves 31 de agosto de 2021

“…agora será aplicado a todas,
incluindo as principais ruas do anel viário e nas
autoestradas…” KKKKK auto estrada? Se lascaram!!! Essa prefeita eh prima de Haddad? Que lastima.

Avatar
Omega 31 de agosto de 2021

Para quem trabalha longe de casa, o jeito é comprar bicicletas e patinetes elétricos, entre outros similares.
Aqui no Brasil, se não tomarem uma providência urgente no trânsito das grandes cidades, certamente ocorrerá o mesmo. Para evitar ou pelo menos postergar, seria necessário adotar o uso de carros pequenos e econômicos, tipo os kei cars japoneses.
Depois não adianta chorar!

Avatar
Deixe um comentário