Toyota Mirai bate recorde ao rodar 1.360 km sem “reabastecer”

Modelo elétrico com tecnologia de célula de hidrogênio entrou para o Guinness Book ao concluir viagem de dois dias na Califórnia

toyota mirai bate recorde ao rodar 1 360 km sem precisar de recarga de hidrogenio
Veículo consumiu apenas 5,65 quilos de hidrogênio e não emitiu qualquer tipo de gás poluente (foto: Toyota | Divulgação)
Por AutoPapo
11 de outubro de 2021 18:07

O Toyota Mirai acaba de entrar para o Guinness Book, que registra recordes mundiais, ao rodar nada menos que 1.360 km sem reabastecer. Vale lembrar que o modelo não utiliza motor a combustão, e sim propulsão elétrica: só que, em vez de baterias, a eletricidade é gerada por uma reação química à base de gás de hidrogênio.

VEJA TAMBÉM:

A quebra do recorde ocorreu no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, sendo que o Toyota Mirai precisou de dois dias para concluir o percurso. O veículo partiu da localidade de Gardena e percorreu 761 quilômetros até San Isidro pela Pacific Coast Highway, passando pelas cidades turísticas de Santa Monica e Malibu.

No segundo dia, o veículo retornou para Gardena, mas seguiu outra roda: o itinerário de 598 quilômetros cruzou toda rodovia que liga San Diego a Los Angeles. Ao final da jornada, técnicos do Guinness atestaram que o Toyota Mirai não foi reabastecido e confirmaram a quebra do recorde.

Novo recorde do Toyota Mirai

Durante a quebra do recorde, o Toyota Mirai consumiu 5,65 quilos de hidrogênio e não emitiu qualquer tipo de gás poluente: apenas vapor d’água saiu pelo escapamento. De acordo com a Toyota, um carro com motor a combustão teria expelido aproximadamente 301 quilos de CO2 na atmosfera ao percorrer o mesmo trajeto.

O novo recorde mundial do Toyota Mirai foi estabelecido entre os últimos dias 23 e 24 de agosto. Porém, não foi a primeira vez que o modelo percorreu grandes distâncias sem reabastecer: em maio de 2021, ele já havia concluído um percurso de 1.003 quilômetros na França.

Carros a hidrogênio

Em vez de recargas em tomadas, veículos com tecnologia semelhante à do Toyota Mirai precisam de hidrogênio pressurizado. Trata-se de um procedimento parecido com o reabastecimento dos veículos à combustão: a diferença é que o hidrogênio tem manuseio bem mais complicado que o dos combustíveis líquidos.

Outra dificuldade é a escassez de pontos de recarga, mesmo nos países desenvolvidos. Por isso, é essencial que os veículos movidos a hidrogênio ofereçam grande autonomia enquanto a infraestrutura de recarga não for completamente instalada.

Carro movido a hidrogênio é alternativa possível e sustentável: Boris Feldman explica!

6 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Nelson Vieira de Oliveira 14 de outubro de 2021

Não sou grande conhecedor de carro, minha carta é de 1976.
Achei a tecnologia muito avançada, mas é o futuro chegando já na frente, tive uma picape Toyota, das antigas, ano 1999, é muito carro, coisa linda, me sentia mais feliz.

Avatar
RONALDO CURSINO BRAGA 12 de outubro de 2021

Tá beleza, a distância percorrida só alegria, mas…
Qual a velocidade média que realizou o percurso?

Porque eles pode ter quebrado o recorde de baixa velocidade em vias urbanas também.

Avatar
Paulo 16 de outubro de 2021

Veja bem, no primeiro dia rodou 761 km e no segundo dia rodou 598.
Se rodou 8 horas por dia, da uma média de 95km/h e 75km/h em cada dia.

Avatar
Idalberto Ramos de Oliveira 12 de outubro de 2021

O melhor carro do mundo já tive 5 Corolla entre 2006 e 2009 se eu pudesse eu comprava um desse aí mas quem sabe um dia Deus proverá

Avatar
Alberto 12 de outubro de 2021

Gostaria de ter um mas é muito caro Gustavo da Toyota tenho um Auris e uma carrinha

Avatar
Sir.Alves 12 de outubro de 2021

Caro? É um investimento a médio prazo pelo que se economiza com combustível fóssil. E não é poluente. Com essa crise econômica do corona & fique em casa até gol custa 90mil… muito caro, e sem custo & beneficio.

Avatar
Deixe um comentário