A caminho da ‘falência’, Voltz não se pronuncia e continua ludibriando consumidor

A marca que se ergueu rapidamente no mercado de duas rodas não esclarece a situação de cada consumidor lesado pela falta de suas motos

loja da voltz em bh
As lojas se encontram fechadas e/ou vazias (Foto: AutoPapo | Felipe Boutros)
Por Lucas Silvério
Publicado em 09/05/2024 às 19h02
Atualizado em 17/05/2024 às 14h42

Em 2017 uma promessa para a mobilidade surgiu no mercado de duas rodas, a brasileira Voltz Motors. Essa startup focada na mobilidade elétrica e no comércio de motos a bateria começou a negociar seus produtos em 2019, ano em que vendeu 1.600 unidades. Após isso, a marca continuou ganhando força, mas em meados de 2022 as coisas começaram a desandar de tal forma que a empresa deixou de entregar os pedidos aos clientes e se encontra em processo de recuperação judicial. Ou seja, no caminho para falência. Entretanto, a fabricante continua sem se pronunciar com transparência a seus clientes e ainda aceita pedidos e pagamentos em seu site.

VEJA TAMBÉM:

Crescimento e queda da marca de motos elétricas

Fundada em 2017, a produção teve início em 2019. A marca começou a fazer sucesso pouco antes da pandemia do covid-19 e conseguiu emplacar muitas vendas no período. Ela se consagrou como a maior comerciante de motos elétricas do Brasil, recebendo até um aporte de R$ 100 milhões. Este dinheiro seria direcionado para a instalação de sua fábrica de Manaus, assim como na ampliação do número de lojas e criação de uma rede de recarga de baterias.

Voltz moto elétrica quanto custa
A marca de motos elétricas foi uma pioneira no país (Foto: Voltz | Divulgação)
  • Porém, mesmo com a fábrica em operação, o sucesso foi uma faca de dois gumes e a marca começou a ter problemas com as entregas de suas motocicletas. 

Após o estouro de vendas surgiu uma onda oposta, com reclamações dos clientes que não estavam recebendo suas elétricas.

Em consulta ao site de defesa do consumidor, Reclame Aqui, a Voltz tem nota de 2,4 em uma escala que vai até 10. Centenas de questionamentos sobre a marca podem ser observados, em sua maioria protestando pelo atraso das entregas ainda não recebidas. Descaso com os pedidos de reembolso e total falta de comunicação também são reclamações recorrentes.

Quando analisadas as respostas dos últimos meses, uma mensagem padrão é enviada a todos os clientes como forma de explicação.

Prezado, (nome do cliente). Esperamos que este comunicado o encontre bem!

Gostaríamos de expressar nossas sinceras desculpas pela falha em comunicá-lo anteriormente sobre a situação do seu pedido. Reconhecemos que nossa falta de comunicação pode ter causado inconvenientes e frustrações.

Entendemos a importância em mantê-lo informado em todos os momentos, e lamentamos não ter cumprido com essa expectativa desta vez. Este incidente serviu de aprendizado para nós, e estamos trabalhando para melhorar nossos processos de comunicação interna e evitar que situações como essa voltem a ocorrer no futuro.

A Voltz Motors encontra-se atualmente em processo de recuperação judicial. Esta decisão foi tomada após uma análise cuidadosa da situação financeira da empresa, visando a reestruturação e preservação de suas atividades.

Estamos enfrentando atrasos significativos no atendimento com nosso time de assistência técnica, e, infelizmente, não podemos fornecer um prazo exato para o retorno neste momento. Nossa equipe está trabalhando arduamente para resolver as demandas existentes, mas a alta demanda e circunstâncias imprevistas estão impactando nossos prazos habituais.

Entendemos que essa situação pode causar preocupações, mas queremos assegurar que estamos trabalhando diligentemente para resolver os desafios enfrentados por nós. Estamos comprometidos em manter a transparência ao longo desse processo e forneceremos atualizações assim que houver desenvolvimentos significativos.

Neste momento, estamos realizando algumas melhorias no nosso canal de atendimento, visando proporcionar um serviço ainda mais eficiente e personalizado. Durante esse período, nosso canal de atendimento está temporariamente indisponível. No entanto, assim que concluirmos as melhorias planejadas, você será prontamente notificado sobre a retomada dos nossos serviços.

Atenciosamente,

Relationship Voltz Motors

A gente muda. O mundo muda.

  • Em entrevista para o Motociclismo, no fim de 2023, a Voltz se pronunciou e afirmou que um dos responsáveis pelo atraso nas entregas de suas motocicletas foi o aporte que não foi efetuado – gerando assim verba insuficiente para a produção dos vários modelos.
voltz ev1 preta vista de lado
A Voltz EV1 Sport é a scooter da marca (Foto: Voltz | Divulgação)

Clientes que já compraram suas motos

A insatisfação dos clientes da marca de motos elétricas ainda não termina com a falta de modelos, entregas e restituição dos valores de entrada, mas também na falta de oficinas autorizadas e mão de obra especializada para a manutenção das que já rodam pelo Brasil.

Ainda com relatos que podem ser encontrados no site Reclame Aqui, um consumidor que se identifica como Gabriel, afirma que recorreu à fabricante por um problema mecânico em sua moto elétrica Voltz e recebeu apenas a resposta padrão que a marca passou a adotar.

Entendo a situação da empresa, mas como fica a situação do cliente com a moto na garantia e sem amparo?

A minha voltz recentemente apresentou o mesmo defeito que a impossibilitou de funcionar da primeira vez, e como dito na reclamação anterior foi feito um paliativo mas o mesmo paliativo agora apresentou pane e a moto se encontra parada, sendo assim gostaria da atenção de vocês e se possível me direcionar para alguma autorizada de salvador “qualquer uma” que trabalhe com motos elétricas para resolver esse incoveniente e eu poder voltar a trabalhar.

Com a crise na marca de motos elétricas, várias concessionárias Voltz fecharam pelo Brasil e as que restaram são lojas pertencentes à fabricante. Dessa forma, várias regiões do Brasil perderam seus pontos de apoio.

O cliente Gabriel, que procura uma loja em Salvador (BA), por exemplo, terá que se deslocar até Feira de Santana ou Santo Antônio de Jesus para conseguir atendimento em uma autorizada da marca, já que as lojas de Salvador e de Lauro Freitas fecharam. A mais próxima, em Santo Antônio de Jesus, fica a 110 km da capital.

Ou seja, provavelmente ele terá que guinchar sua moto, já que há o risco de a carga da bateria não ser suficiente para chegar até o destino, já que alguns modelos não chegam a 100 km com uma única carga. Modelos Voltz com duas baterias têm alcance máximo de 180 km. Ou seja, daria para Gabriel chegar, se seu modelo tivesse o pack mais robusto, mas não conseguiria voltar para casa.

Voltz seguem vendendo normalmente

Em busca de mais esclarecimentos, verificamos a situação da fabricante de motos por meio de seu site e a surpresa – ou nem tanto – é que a Voltz Motors segue em pleno funcionamento e aceitando todo tipo de pedido.

recibo de compra de uma moto voltz 1
O site da marca aceita todas as compras normalmente (Foto: AutoPapo | Lucas Reprodução)

Seguimos as orientações da marca, no caminho para comprar uma moto elétrica, e o pedido foi registrado normalmente. Nenhum alerta considerável aparece durante todo o processo e o cliente acredita que logo receberá seu veículo – o que de senso comum para qualquer cidadão.

Porém, apenas quem efetuar algum pagamento tem algum prazo de entrega estipulado pela fabricante – o que claramente não é cumprido. Ou seja, o consumidor literalmente paga para ver.

Para se resguardar, a Voltz deixa claro em seus termos de compra, que:

Você se declara ciente e de acordo de que em decorrência dos trâmites de produção, fabricação, faturamento e entrega, poderão ocorrer imprevistos e consequentes atrasos, fazendo com que eventualmente ocorra a alteração na data prevista para entrega do pedido. Caso isso ocorra, nós entraremos em contato para compartilhar todas as informações necessárias.”, declara na cláusula 3.6 do contrato.

Parceria Voltz e iFood

Quem também saiu insatisfeito em comercializações com a Voltz foi o iFood, que em 2022 anunciou uma parceria que  beneficiaria entregadores na compra de uma moto elétrica com um valor especial de desconto de mais de 50%. Entretanto o acordo que já não esta mais de pé se rompeu pela falta de compromisso da empresa. Vários modelos foram entregues, mas a Voltz também entrou em débito com os trabalhadores da plataforma de entrega de refeição.

Por meio da parceria com a Voltz, cerca de 200 motos elétricas foram entregues aos profissionais de delivery parceiros do iFood e estão hoje nas ruas. A parceria foi descontinuada, pois a Voltz descumpriu prazos previstos e indicadores de qualidade que eram pré-requisitos do iFood para a colaboração entre as empresas.

O iFood tem dado todo o suporte necessário aos entregadores que compraram as motos elétricas, disponibilizando um canal de atendimento individualizado para atender cada caso.

Atualmente, a empresa dá continuidade ao seu projeto de expansão da frota elétrica, atuando em parceria com a Vammo, Riba e Origem, e já conta com mais de 800 motos dessa modalidade rodando em São Paulo e Brasília, contabilizando para a meta de eletrificar 50% da sua operação até 2025.”, afirmou o iFood em resposta ao AutoPapo.

  • O AutoPapo tenta contato com a Voltz há muitos meses para apurações jornalísticas e declarações oficiais da empresa, porém sem nenhuma efetividade. Até o fechamento desta matéria, a Voltz não respondeu aos nossos questionamentos sobre o motivo de manter suas vendas online, apesar de não ter condições de entregar os pedidos. O espaço segue aberto para  a marca se manifestar.
duas motos voltz evs vermelhas com mochila do aplicativo ifood
A Voltz Work foi o modelo especial em parceria com o iFood (Foto: Voltz | Divulgação)
Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify YouTube PodCasts YouTube PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
15 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
MLSJ 12 de maio de 2024

O mesmo futuro terá a BYD. Aguardem…

Avatar
Jackson 11 de maio de 2024

Igualzinho quem acreditou na DAFRA

Avatar
Juca 11 de maio de 2024

Galera a Voltz ainda esta entregando as motos, mas existe um prazo, atualmente pelo que sei é de 2 a 3 anos infelizmente, recebi a minha depois de 1 ano e um amigo depois de 2 anos…calma que eles vão entregar..

Avatar
Sulamita Maria de Vasconcelos 10 de maio de 2024

Comprei uma moto volta EV1 e não recebi a moto 🛵 e nem me reembolsaram …
Sou do Rio de janeiro, e as duas lojas que tinha aqui no Estado, fecharam e não sei onde recorrer pelos meus direitos !!!

Avatar
Gabriel Alexandro 12 de maio de 2024

Estou na mesma situação que a sua, e o que tenho pra lhe dizer é correr atrás dos seus direitos na justiça!
Foi o que fiz, entrei em contato com uma advogada e ela me orientou a acionar o juizado de pequenas causas da minha cidade.

Avatar
Rodrigo Herles 10 de maio de 2024

Eu fui roubado pela Voltz. Sou mais um de muitos brasileiros roubados.

Avatar
Julio 10 de maio de 2024

Embolsaram 100 milhões aí depois e só decreta falência isso e brasil

Avatar
Fabiano Molina 10 de maio de 2024

Voltz não passa de uma estelionátaria. Pagamento integral da EVS desde março 2023 e nada de entrega nem dinheiro de volta.

Avatar
Ranyell 10 de maio de 2024

Isso é porque as peças vinha da China para o Brasil com a taxas das importados a mais de 130% ficou inviável para a voltz

Avatar
Rodolpho 10 de maio de 2024

Comprei uma Voltz EVS. Nunca recebi a moto, nem o reembolso. Entrei na justiça, mas quando estava perto do fim da ação, a mesma foi suspensa por causa da recuperação judicial. É difícil ser consumidor aqui no Brasil. Muitos direitos que não valem nada diante de empresas espertalhonas e perversas.

Avatar
Marcelo 10 de maio de 2024

Gostaria que a reportagem ouvisse os órgãos de defesa do consumidor

Avatar
Rodrigo 10 de maio de 2024

Mais uma marca Ching Ling que, como tantas outras que já vieram, prometeram mundos e fundos, não cumpriram e deixaram os proprietários abandonados.

Motos e Carros sem nenhuma assistência, com clientes abandonados e enganados.

Fora isso, agora há uma publicação no LinkedIn de ex-colaboradores de uma dessas marcas que, inclusive no Brasil, ignoram as leis trabalhistas utilizando de mão-de-obra escrava…

Se eu já não.era favorável a esses carros e motos elétricos descartáveis , imagine agora!

Avatar
Carlos Cota 10 de maio de 2024

Mas neste caso a empresa não é Ching Ling, é brasileira mesmo. Os empregos gerados são aqui, e em Manaus mais especificamente.

Avatar
rogerio 10 de maio de 2024

por isso deu errado, é brasileira, terra da lei de Gerson.

Avatar
Ex funcionário 10 de maio de 2024

A fábrica foi inaugurada em Maio de 2022 com 80% dela finalizada! Nesse mesmo mês, todos os funcionários da fábrica em Manaus, ficaram em casa por falta de material! Retornaram, e produziram no máximo 2000 mil motos! Em janeiro de 2023 o grupo Creditas não fez a segunda rodada de investimento, e com isso a Voltz desandou! A fábrica não opera desde fevereiro de 2023! Além disso vários processos trabalhistas a Voltz está sofrendo!

Avatar
Deixe um comentário