10 carros que nem lembramos que são vendidos 0 km

Sabia que esses automóveis ainda estão nas concessionárias - mesmo que escondidos no cantinho? Nós também não...

Por Fernando Miragaya 24/02/21 às 14h56
Especial para o AutoPapo
foto legenda 02 coluna 3118 peugeot partner
Peugeot Partner: 0 km por R$ 88.990 (Foto: Peugeot | Divulgação)

Certo dia, nosso nobre editor do AutoPapo se deparou com um Peugeot Partner 0 km nas ruas de Belo Horizonte. Se espantou, porque ele – nem boa parte da equipe, que também vive o setor automotivo diariamente – não se lembrava que o minifurgão ainda era vendido no Brasil. Na verdade, esse modelo e muitos outros fazem só figuração no mercado brasileiro.

VEJA TAMBÉM:

São carros que nem lembramos que são vendidos por aqui. E não falamos apenas de modelos segmentados, como o Partner, ou de nicho, como sedãs médio-grandes – que já venderam muito em um passado não tão distante.

Tem SUV que vive do sucesso de outros tempos, minivans enigmáticas, hatch médio herói da resistência e crossover esquecido.

Peugeot Partner

foto legenda 02 coluna 3118 peugeot partner

Pois é, o veículo motivador desta lista é vendido, sim, no país. O furgão compacto tem boa capacidade de carga de 800 kg e é comercializado pela marca francesa em versão única por R$ 88.990. Recebe ar-condicionado, direção hidráulica, terceira porta corrediça e até quadro de instrumentos digital.

O motor é sempre o 1.6 16V de até 122 cv de potência. Boas credenciais para o furgão, não? Mas ele atua em um segmento no qual o Fiat Fiorino tem custo/benefício agressivo e amplo domínio e tradição. Prova disso é que o Partner vendeu apenas 873 unidades ao longo de todo o ano de 2020. No mesmo período, o rival da marca italiana vendeu quase 18 mil.

Chevrolet Cruze hatch

chevrolet cruzesport6 premier 2021 cinza
Chevrolet Cruze LTZ 2021

O segmento de hatches médios morreu e a gente nem lembra que ainda tem um representante produzido no Mercosul. A propósito, a Argentina é o único local do mundo que ainda faz o Cruze – o modelo deixou de ser fabricado nos EUA, China e Coreia do Sul nos últimos dois anos -, de onde segue para cá, onde recebe o sobrenome Sport6 para o distinguir da variante sedã.

Por aqui, ainda tem heróis da resistência que evitam a extinção do segmento – que só terá como representantes modelos de marcas de luxo quando o modelo da General Motors cantar para subir. Foram 3.181 consumidores que mantiveram o Cruze hatch em vida em 2020.

Até a GM deu uma forcinha, ao relançar a versão intermediária LTZ na linha 2021 recentemente. Toda a gama usa o motor 1.4 turbo de até 153 cv com câmbio automático de seis marchas. Os preços, porém, contribuem para a extinção: começam em R$ 116.530 e chegam a R$ 140.790.

Citroën Aircross

citroen aircross versao especial 100 anos

É um desses carros que nem lembramos que eram vendidos. E talvez nem seja mesmo. O monovolume sequer apareceu nos dados de emplacamento da Fenabrave de 2020. Segundo fontes, o modelo já teria deixado de ser produzido em Porto Real (RJ) para abrir espaço para o novo C3 (que será lançado em outubro) e suas crias – um crossover e um sedã.

A Citroën jura de pé juntos que a minivan aventureira ainda é feita na unidade fluminense. E nem no site da montadora o Aircross se entrega. Lá, o carro é vendido em versão única por R$ 73.590, sempre com motor 1.6 e caixa automática de seis velocidades. Mas se você encontrar algum exemplar em uma revenda da marca francesa, conta para a gente. Vai ser que nem ver saci e mula sem cabeça.

Subaru XV

subaru xv

Ver um SUV da Subaru zero bala pelas ruas é quase como aquelas teorias do “alienígenas do Passado”. Que dirá o XV, menor utilitário da marca à venda por aqui… que a gente nem lembra que é comercializado. Mas o modelo é ofertado, sim, em versão única por R$ 149.900, ao lado de um utilitário mais conhecido, o Forester.

O XV, pelo menos, carrega a tradição da marca japonesa e certas credenciais “sport” e “utility”. Usa motor do tipo boxer (quatro cilindros contrapostos), 2.0, com injeção direta e 156 cv combinado com a tração integral permanente e câmbio automático de sete marchas.

Kia Grand Carnival

kia grand carnival frente

Minivan foi uma carroceria que morreu com o advento dos SUVs e está entre os tipos de carros que nem lembramos que são vendidos. Mas está aí a Kia para não nos fazer esquecer. A marca sul-coreana ainda importa a Grand Carnival da Coreia do Sul. Foram 123 heróicas unidades negociadas no ano passado.

Pelo preço, dá para entender porque a minivan grande quase não refresca nossas memórias. O modelo é vendido por R$ 379.990. Os argumentos para tentar justificar o preço são os oito lugares, o nível de conforto e requinte a bordo, além do motor 3.3 V6 de 270 cv e 32,4 kgfm.

Honda Accord

Honda Accord

Tudo bem que o sedã médio-grande da marca japonesa nunca foi um estouro de vendas. Mas se voltássemos 15 anos no tempo, o Accord refrescaria mais facilmente a nossa memória de que ainda existe entre nós. Em 2006, o modelo figurava entre os 50 carros mais vendidos do país, com quase 2.300 unidades entregues – claro, em um mercado mais pulverizado e sem a hostilidade comercial dos SUVs.

Pois é, além da concorrência voraz dos utilitários, o Accord subiu no salto e está em outro patamar – próximo até ao de sedãs de marcas premium. O modelo é bem equipado, recebe itens de condução semiautônoma, usa motor 2.0 turbo de 256 cv, mas custa R$ 257.900. Não admira que foram apenas 56 carros vendidos em 2020.

Toyota Camry

Toyota Camry branco

O rival do Accord sofre do mesmo mal que seu concorrente. O Camry até fazia uma certa frente ao modelo da Honda nos anos 2000, mas a avalanche de SUVs médios ofuscou qualquer pretensão comercial do modelo da Toyota, que é um dos carros que nem lembramos que são vendidos.

Só mesmo o site da marca japonesa para nos fazer lembrar. Está lá o perdido Camry com seu motor 3.5 V6 de 310 cv e câmbio automático de oito marchas. Mas o preço mostra que é melhor esquecermos mesmo: R$ 309.900. Com isso, apenas 13 testemunhas comprovaram que o sedã ainda existe no Brasil no ano passado.

JAC T80

Jac T80

O SUV foi lançado há quase dois anos, mas se já é difícil lembrar que a JAC tem concessionárias aqui, imagina esse SUV importado da China? Sim, o maior utilitário esportivo – e o modelo a combustão mais caro – da marca é vendido por aqui a R$ 156.990.

Bem, fica difícil acreditar que o modelo é comercializado aqui quando nos deparamos com as vendas da JAC como um todo no Brasil. Em 2020, foram 803 unidades emplacadas do fabricante asiático no mercado nacional. Destes, somente 23 eram do T80

Mitsubishi ASX

mitsubishi outlander sport 2021 cinza frente

Depois que a marca japonesa transformou o ASX em Outlander Sport em 2020, aí mesmo que a gente achou que o crossover original já nem existia mais. Mas ele resiste na linha de montagem de Catalão (GO) e no portfólio da marca japonesa, representada no país pela HPE Motors.

O modelo, que já figurou entre os 10 SUVs mais vendidos do país entre o fim dos anos 2000 e início dos 2010, hoje é uma vaga lembrança do sucesso do passado. É vendido em versão única GLS com motor 2.0 de até 170 cv, transmissão automática de seis marchas e preço de R$ 125.990. Em 2020, teve 1.160 unidades entregues.

Hyundai Azera

hyundai azera 2020 frente lateral

Esse sedã médio-grande importado da Coreia do Sul foi um dos que começou a onda do Grupo Caoa com “alguma coisa melhor… DO MUNDO”. O Azera vendeu muito na segunda metade da década de 2000 – teve ano em que beirou as 5 mil unidades – e chegou a incomodar o líder do segmento, o mexicano Ford Fusion, graças a um custo/benefício agressivo e a uma campanha forte de marketing.

Hoje, porém, é um dos carros que nem lembramos que são vendidos. Por R$ 269.900, tem preço que se aproxima de modelos de marcas de luxo, como Mercedes-Benz Classe C e BMW Série 3. Tanto é que, em 2020, teve 35 unidades vendidas.

SOBRE
7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Flávio Guedes 25 de fevereiro de 2021

Azera, New Civic, Fusion, I30, Sonata, Camry, Acord são excelentes carros, porém por conta do tempo de uso e das peças cotadas em dólar, acabam por ter uma manutenção incalculável nos dias de hoje prefiro continuar no me celtinha!

Avatar
LUCAS VELASCO SILVA 25 de fevereiro de 2021

Concordo com você com relação ao valor da manutenção, porém são carros bem diferentes de um Celta…

Avatar
Abner Jorge 25 de fevereiro de 2021

Nossa, boa reportagem essa dos carros que nos nem lembramos que são vendidos !! Tenho uma Kangoo 2005, e sinceramente não sei se ela ainda é vendida 0km !!!
Kkkkk

Avatar
Judson Carey 25 de fevereiro de 2021

Oque eu pude perceber que , esses carros mesmo de poucas saidas de vendas,continua preços elevado comparado com os mesmos carros da sua categoria. Acho que as montadoras deveria observar mais o mercado e suas estratégias de vendas

Avatar
Roberto 25 de fevereiro de 2021

Todos são ótimos carros!
Mas estamos em época de muitas opções de escolhas! Alguns modelos acabam ficando pra trás!
Isto não significa que os carros mais vendidos sejam ótimos! Tudo depende de gostos, moda, preço, mercado, marketing, etc.

Avatar
Ivan Antonio 24 de fevereiro de 2021

Canso de ver guri falando que o Hyundai Azera é nave. Isso e mais aquilo. Uma banheira esquecida, imagino manter uma coisa dessas usada. O Citroen Air Cross é outra coisa sem pé nem cabeça. Acho que só teimoso compra um trem desses. Aja mal gosto.

Avatar
Halvarenga 25 de fevereiro de 2021

Falou o cara que só anda de gol e palio.

Avatar
Deixe um comentário