7 nomes de tecnologias nos carros que complicam a vida do motorista

Campanha aponta a complicação desnecessária que as fabricantes inventam na hora de nomear os recursos eletrônicos que equipam seus carros

Por AutoPapo 10/09/18 às 19h15
shutterstock 389606032

Você sabe se o seu carro tem MirrorLink? E que tal um ADAS? Pois saiba que estes são apenas nomes complicados para tecnologias nos carros, e muitas vezes para recursos simples e já conhecidos. Com o avanço da eletrônica, o motorista tem que ser cada vez mais versado em siglas e até na língua inglesa para entender como seu automóvel funciona.

Campanha aponta a complicação desnecessária que as marcas inventam na hora de nomear as tecnologias nos carros que fabricam.
DSC é um nome que a BMW deu para o controle de estabilidade, geralmente conhecido pela sigla ESC.

Como apuramos em uma matéria que explica o que cada uma dessas siglas faz, um mesmo recurso pode ter até cinco nomes diferentes. Um exemplo é o Controle de Tração. Geralmente conhecido por este termo padrão, ou pela sigla do inglês, ASR, o recurso também já foi chamado de TCS, MSR, TRC, 4-ETS e DTC.

Cada uma dessas siglas provém do inglês, mas todas, no final das contas, se referem à mesma função, com pequenos ajustes na forma como cada marca a desenvolveu. Com esta mesma ideia em mente, a organização inglesa MotorEasy separou sete nomes que, ao invés de esclarecer, só complicam o entendimento destas tecnologias nos carros.

A empresa está fazendo uma campanha para simplificar a comunicação entre marcas, oficinas e motoristas. A ação já pediu aos mecânicos para abandonarem as gírias na hora de conversar com donos de carros, e concluiu que muitos se sentiam enganados na hora de pagar a conta só por causa das palavras complicadas.

Agora, a campanha aborda as montadoras e os termos aleatórios que dão a tecnologias nos carros que fabricam. Muitos deles aparecem por aqui também, dificultando ainda mais a vida dos motoristas brasileiros, por serem em inglês. Confira as sete escolhidas pela organização para denunciar o problema:

1. OnStar da Chevrolet

Este é o serviço de concierge da Chevrolet. O recurso é um canal de comunicação, disponível no retrovisor do carro, que entra em contato com uma rede de atendimento da marca. Os atendentes podem oferecer informações de trajeto (como o Waze ou uma pesquisa no Google). O mais interessante é que ele avisa a central, automaticamente, se houver um acidente.

2. TPMS

É o monitoramento eletrônico da pressão dos pneus, também conhecido como TPM.

3. MirrorLink

É a função de espelhamento disponível em algumas centrais multimídias. Ele permite que o motorista controle seu celular através da tela da central, que “espelha” a do smartphone.

4. Mechatronics da Audi

A “unidade de Mechatronics”, segundo decifrou o MotorEasy, é o jeito da Audi chamar o módulo de controle da transmissão automatizada de dupla embreagem (chamada de DSG, na Volkswagen). A própria transmissão tem um nome diferente em cada marca, como Powershift (Ford) ou PDK (Porsche). Claro que sua estrutura também muda de acordo com a fabricante, mas o tipo de transmissão é o mesmo: automatizada de dupla embreagem.

5. Distronic Plus da Mercedes-Benz

Este é o nome que a Mercedes-Benz inventou para um conjunto de tecnologias de assistência à direção. Elas podem controlar, automaticamente, a  velocidade do carro, sua distância do veículo à frente, e mantê-lo na mesma faixa. Essas funções são as mesmas que as do Piloto Automático Adaptativo (ACC) em conjunto com o A-LKA, recursos que aparecem em muitos outros carros, de várias marcas.

6. ADAS

O ADAS é outro jeito de renomear as tecnologias nos carros pensadas para automatizar a direção. Ela é ainda mais complicada, entretanto, porque não determina os recursos que aparecem ou não, sendo como um guarda-chuva para muitas coisas diferentes. Isso pode incluir o ACC, ou um assistente de partida em rampa, ou talvez a frenagem automática, entre muitos outros.

7. Climate Windscreen da Volkswagen

Este é o desembaçador da Volkswagen, com a única diferença de que dispensa os fiozinhos que atravessam o vidro traseiro. Mesmo assim, a função é a mesma.

SOBRE
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Paulo Bonard 12 de setembro de 2018

Por coincidência,eu já estava para escrever para uma determinada revista especializada em reportagens sobre automóveis,para que ao testar um carro e descrever as tecnologias embarcadas, que traduzisse para o português,pois deixa muita gente sem saber o que significa, devido vir tudo em inglês. Essa matéria do Auto Papo, é muito interessante, estava faltando alguém se atentar para esse fato.

Avatar
Deixe um comentário