Antigos carros esportivos Volkswagen: relembre as siglas famosas

O Polo GTS reviveu uma nomenclatura que há muito estava em desuso: porém, a marca alemã já utilizou várias outras denominações esportivas no Brasil

Por Alexandre Carneiro 26/01/20 às 10h00

O lançamento do Polo com motor 250 TSI (1.4 turboflex, com injeção direta e 150 cv) reviveu uma versão que ainda fez o coração dos fãs da marca alemã disparar: GTS. A sigla foi utilizada em variantes mais “bravas” de Gol e Passat, nos anos 80 e 90. O caso é que esse é apenas um de vários carros esportivos (alguns deles já antigos atualmente) que a Volkswagen lançou no Brasil ao longo de sua história.

Se você sonhava com esses veículos naquela época ou ainda sonha nos dias de hoje, este listão vai encher seus olhos. Além de relembrar as siglas, explicamos também o significado de cada uma. Confira!

VEJA TAMBÉM:

Carros esportivos, antigos e novos, da Volkswagen:

1. TS – Passat

passat ts

Já antigos e dignos de ostentar placas pretas, os Passat nacionais foram os primeiros carros esportivos da Volkswagen a adotar siglas de identificação. Batizados  como TS, de Touting Sport, os modelos traziam motor 1.6 com carburador de corpo duplo, capaz de render respeitáveis (para a época) 96 cv de potência bruta. Foi fabricado de 1976 a 1982.

2. TSi – Gol e Saveiro

saveiro tsi carros esportivos antigos volkswagen

Atualmente, a sigla TSi é associada à nova geração de motores da Volkswagen. Porém, na década de 90, foi usada em versões de apelo esportivo do Gol e da Saveiro. O hatch era posicionado abaixo do top de linha GTI: chegou em 1996 com motor 1.8 e, no ano seguinte, passou a ter a unidade 2.0. Em 1998, essa configuração foi estendida à picape Saveiro. Hatch e picape nessa configuração duraram apenas até 1999.

3. GT – Gol e Polo

A versão GT foi a primeira com proposta esportiva para a linha Gol. O motor 1.8 com comando de válvulas 049G desenvolvia 99 cv de potência e 14,9 kgfm de torque. Graças a ele, o hatch passou a ser um dos carros mais rápidos do país. Durou de 1984 a 1986. Em 2009, a Volkswagen ressuscitou a sigla na linha Polo, que contudo não trazia nenhum tipo de preparação. De qualquer modo, o motor 2.0 flex rendia até 120 cv e 17,3 kgfm.

4. GTS – Gol, Polo e Passat

Na linha 1987, a versão esportiva do Gol trocou a denominação GT por GTS. Quatro anos antes 1983, o Passat TS já havia feito o mesmo, mas acrescentou o sobrenome Pointer. Assim nasceu a famosa sigla, que significa Gran Turismo Sport. Depois de mais de duas décadas em desuso, essa identificação passou a ser utilizada no Polo. Mês que vem, ela será estendida ao Virtus.

5. GTI – Golf, Gol, Parati e Pointer

As letrinhas GTI são quase sinônimo de performance, até porque foram utilizadas em carros esportivos de outras marcas além da Volkswagen, como Peugeot e Suzuki. No Brasil, contudo, os modelos mais icônicos foram os da empresa de Wolfsburg, entre os quais Gol, Parati, Pointer e Golf. Até o Polo, que há décadas oferece essa versão no exterior, teve um pequeno lote de 50 unidades importado para o país em 2007.

Interessante notar que o significado mudou ao longo do tempo: inicialmente ela significava Gran Turismo injection. Depois, quando o “I” ficou maiúsculo, tornou-se a abreviação de Gran Turismo Internacional.

6- GLI – Jetta

jetta gli 34 frente

Até pouco tempo atrás, essa sigla era desconhecida no Brasil, embora já esteja consolidada no exterior há décadas. GLi significa Grand Luxury Injection. Tradicionalmente, o modelo que a ostenta é o Jetta: o sedã só passou a ter tal versão no Brasil no ano passado.

Sport (bônus para os fãs de carros esportivos Volkswagen) – Santana, Quantum, Gol e Voyage

voyage sport volkswagen carros esportivos antigos

Como não é nomeada por uma sigla, e sim por uma palavra, a versão Sport não é exatamente tema do listão. Porém, foi incluída para agradar vocês, fãs de veículos Volkswagen. Esse termo simples e direto batizou diferentes carros da marca alemã ao longo da história.

Os mais icônicos chegaram ao mercado nos anos 80: o Voyage, com motor 1.8, o Santana e a perua Quantum, ambos 2.0. O sedã de luxo chegou a ter uma reedição na década de 90, já reestilizado. Posteriormente, a denominação foi reutilizada em uma série especial do Gol, alusiva à Copa do Mundo de 2002. Nesse caso, a esportividade era restrita ao nome, pois o hatch trazia um 1.0 16V aspirado sob o capô.

Fotos Volkswagen | Divulgação

7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Luís gustavo 15 de junho de 2020

    Com todo respeito, houve um erro na reportagem. Ao contrário do que constou no item 5, não existe nem existiu PARATI GTI. O que tinha era GLS.

    • Avatar
      Luís gustavo 15 de junho de 2020

      Pessoal me desculpe. Eu estava errado. Existiu sim a Parati GTI. Eu que não conhecia.

  • Avatar
    Eduardo jeronimo da silva 14 de junho de 2020

    Então Gol e Saveiro TSi seria Touring Sport injection? aproveitando a nomenclatura do Passat.

  • Avatar
    José Nunes da Silva 1 de fevereiro de 2020

    Que barato relembrar e ver as máquinas que cada um de nós amantes do Bom e esplêndido designers automotivos ????????!!

  • Avatar
    Manoel Carlos 27 de janeiro de 2020

    Faltou GLS, Parati e voyage.

    • AutoPapo
      AutoPapo 28 de janeiro de 2020

      Olá, Manoel Carlos

      GLS designava as versões mais luxuosas da linha.

      Obrigado e abraço

  • Avatar
    Fábio 27 de janeiro de 2020

    Faltou o Voyage Super

Avatar
Deixe um comentário