Aviso aos viajantes: cuidado com a gasolina adulterada

Só neste ano, 400 postos foram interditados pela ANP por apresentarem problemas de qualidade com os combustíveis

Por Laurie Andrade 23/12/17 às 09h16

O estado de São Paulo é o campeão em número de postos interditados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2017, por venda de etanol e de gasolina adulterada: 173 unidades, quase a metade do total brasileiro. O índice pode ser explicado pelo fato de os paulistas terem aproximadamente 9.000 estabelecimentos do gênero, bem mais do que os outros estados. Espírito Santo, por sua vez, tem a maior média do país, um posto autuado a cada 25 existentes. Se for pegar a estrada nestas férias, é bom prestar atenção!

Ranking dos estados com maior número de autuações e a média de postos com gasolina adulterada:

São Paulo: 173 estabelecimentos com problemas | média de 1 posto interditado a cada 52

Rio de Janeiro: 57 estabelecimentos com problemas | média de 1 posto interditado a cada 37

Goiás: 35 estabelecimentos com problemas | média de 1 posto interditado a cada 35

Espírito Santo: 27 estabelecimentos com problemas | média de 1 posto interditado a cada 25

Minas Gerais: 18 estabelecimentos com problemas | média de 1 posto interditado a cada 243

Destino comum dos brasileiros no réveillon, a Bahia teve 18 pontos de abastecimento interditados pela ANP. Lá, você pode encontrar um posto com gasolina adulterada a cada 224 estabelecimentos existentes.

Onde você pode abastecer tranquilamente:

ANP interdita 400 postos de combustível (adulterado) no Brasil


Em 2017, sete dos 27 estados não tiveram nenhum ponto de abastecimento autuado por adulteração de gasolina. São eles: Acre, Amapá, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, e Sergipe. Em Tocantins, apenas um dos 434 estabelecimentos apresentou o problema.

Demais estados: Alagoas (6), Amazonas (4), Ceará (8), Distrito Federal (3), Maranhão (6), Mato Grosso do Sul (3), Mato Grosso (13), Pará (2), Paraíba (3), Pernambuco (6), Paraná (7), Rio Grande do Sul (8), Santa Catarina (7).

É melhor prevenir do que remediar:

As bombas de combustível devem apresentar selo Inmetro, não abasteça caso não o encontre;

Confira, nas bombas, o nome do fornecedor ou distribuidor do posto escolhido. Essa informação é obrigatória;

Exija nota fiscal. O documento resguarda o consumidor e, com ele, é possível fazer uma reclamação formal caso haja algum problema;

Peça o teste de proveta para garantir a qualidade da gasolina.

Dificuldade para mapear a venda de gasolina adulterada

Para cada auto de infração da ANP, é aberto um processo administrativo. Ao final dele, o posto está sujeito à multa.

O posto autuado é interditado e pode voltar a funcionar, desde que autorizado pela ANP, depois de constatado que o combustível com problemas de qualidade não está mais sendo oferecido ao consumidor. Mas, mesmo voltando a funcionar, o estabelecimento continua sujeito ao processo e à penalização, que varia de R$ 20 mil a R$ 5 milhões. Esses procedimentos estão previstos em lei.

A assessoria de comunicação da ANP informou que os processos correm na Justiça comum. Esse fato impossibilita que façamos um mapa com os postos condenados no último ano, já que a sentença demora tanto a sair que os pontos de abastecimento – que têm muita rotatividade – já corrigiram o problema ou foram vendidos.

Caso você suspeite da vende de combustível adulterado ou de alguma outra irregularidade, entre em contato com a ANP pela internet ou pelo telefone 0800 970 0267 (ligação gratuita).

0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário