Argo Drive 1.0: confira preço, desempenho e ficha técnica do Fiat

Testamos o último lançamento da Fiat - assista ao nosso vídeo de avaliação e conheça as novidades do compacto

imagem
Por Marcus Celestino
21 de setembro de 2017 08:11

Muitos têm comentado que o Argo é o melhor lançamento da Fiat em anos. Também pudera. Não é tão difícil assim. À exceção da picape Toro, os últimos produtos da fabricante não são um sucesso de crítica. Sofreram por inúmeros fatores. Problemas mecânicos, precificação não condizente com o segmento e a falta de confiança do consumidor foram alguns entraves encarados por inúmeros veículos (vide o Mobi). Contudo, voltemos a nos ater ao modelo aqui testado, o substituto de Punto e Bravo – mais especificamente, o Argo Drive 1.0.

Comecemos pelo visual. O design do Argo é prosaico. A dianteira conta com elementos do Tipo europeu, mas os faróis são mais afilados e alongados que o de sua “musa inspiradora”. Os vincos do capô convergem para a grade enorme dividida ao meio em formato de colmeia e dão ao hatch tom mais agressivo.

Veja nossa avaliação em vídeo:

Até aí tudo bem. O problema é que olhares mais maldosos (ou atentos, na verdade) enxergam um Mobi vitaminado. “Bombadinho” mesmo. Parece que a Fiat pegou esteroides, injetou no subcompacto e chegou a este resultado.

De “perfil”, a caída no teto dá ao modelo um quê de esportividade. Já na traseira, o Fiar Argo tem lanternas que evocam Alfa Romeo. No entanto, o visual é genérico. É muito parecido com o que já vemos há algum tempo no mercado (Hyundai HB20, alguém?).

Falta arrojo, mas as linhas, ao menos, são harmoniosas. Há contexto no design. É elegante, denota agressividade e transmite robustez. No frigir dos ovos, o Centro de Estilo da Fiat brasileira acertou nas escolhas.

Fiat Argo Drive 1.0

Internamente, o Argo Drive 1.0 também tem visual interessante. Os destaques vão para a tela TFT de 3,5” no quadro de instrumentos e para a (opcional) central multimídia UCONNECT, intuitiva e com boas respostas.

A tela sensível ao toque de 7” fica destacada, emulando o mesmo estilo do Mercedes-Benz Classe A. Compatível com Android Auto e Apple CarPlay, custa R$ 1.990. Vale destacar que o kit Parking (de assistência de estacionamento) pode ser adquirido por R$ 1.200.

Outro ponto positivo acerca do interior é o acabamento esmerado. O plástico do painel central pode ser duro, mas tem boa aparência e não incomoda no toque. A montagem é boa, com tudo bem encaixado e arremates benfeitos.

Único porém é a iluminação do habitáculo. Apenas duas lanternas são responsáveis por tal, o que é insuficiente. Os bancos são revestidos com material agradável e “abraçam” bem passageiro e  condutor.

O isolamento acústico do Fiat Argo é bom. O habitáculo é silencioso, mas não chega a impedir por completo que ocupantes ouçam o incômodo ruído metálico característico do motor de três cilindros. As portas se fecham de maneira precisa, macia. Nem parece que é um Fiat.

O som de fechamento é abafado. Muito diferente da barulheira típica da maioria dos modelos da marca.

Fiat Argo Drive 1.0

Espaço interno

O entre-eixos do Argo, de 2,52 m, é parelho com os dos concorrentes Chevrolet Onix (também 2,52 m) e Hyundai HB20 (2,5 m). No entanto, a Fiat conseguiu racionalizar o projeto e dar espaço mais do que suficiente para motorista e passageiros.

O novo hatch, inclusive, é mais generoso que o Punto nesse aspecto – e olha que o “velho de guerra” tem apenas 1 cm a menos de entre-eixos que o novato. Quem se acomoda no banco traseiro dispõe de conforto para as pernas, mas o assento poderia ser pouco mais comprido.

A caída no teto acaba por prejudicar os mais altos. Se dá um ar esportivo ao modelo em termos de design, traz algumas complicações no habitáculo. O Argo tem 1,5 m de altura – ante 1,47 m de HB20 e Onix – mas ocupantes com mais de 1,75 m no banco traseiro batem a cabeça no teto. Por fim, o porta-malas com capacidade de 300 litros é condizente com o segmento e não faz feio.

Fiat Argo Drive 1.0

Desempenho do Fiat Argo Drive 1.0

O 1.0 Firefly entrega apenas 72 cv de potência quando abastecido com gasolina e 76 cv com etanol. Menos que seus principais concorrentes (78 cv do Onix e 75cv do HB20, ambos com gasolina). Só que o torque de 10,4 kgfm (gasolina) e 10,9 kgfm (etanol) é bem superior.

Além disso, o acerto do vaga-lume (tradução para firefly) permite que 80% deste torque esteja disponível já a 2.500 rpm.

O preconceito com relação aos “milzinho” é notório no Brasil. Mas, já foi o tempo. O tri cilíndrico da Fiat não deixa na mão nem mesmo um hatch como o Argo – que ostenta 1.105 kg.

Por causa da entrega de torque em baixa, o modelo tem desempenho bem esperto em ambiente urbano. O que é, de fato, surpreendente. É claro que o 1.0 não é nenhum milagreiro. Em cidades com topografia acidentada o hatchback sofre um bocado. Parece estar ancorado.

Fiat Argo Drive 1.0

Na estrada o comportamento é dicotômico. A direção assistida eletricamente ganha peso de maneira adequada conforme a velocidade aumenta. Além disso, o acerto da suspensão, que absorve bem as imperfeições do solo, é primoroso.

O carro transmite segurança e firmeza nas curvas. A inclinação da carroceria, construída com aços de alta resistência, é mínima. Contudo, prepare-se para dar aquela esticada, pois as retomadas são lastimáveis. Ultrapassagens só devem ser feitas com muita certeza. Nada de benefício da dúvida.

Todavia, o calcanhar de Aquiles do conjunto mecânico é a antiquada transmissão. O câmbio manual de cinco marchas do Argo Drive 1.0 tem curso muito longo e tem engates muito imprecisos.

Não dá para aproveitar uma tecnologia tão “década de 2000” em um projeto novo. Além disso, não  é viável obedecer às indicações de trocas no painel. Elas objetivam a redução de consumo de combustível e, caso o motorista tente ser fiel às setas, o hatch fica frouxo.

Consumo do Fiat Argo Drive 1.0

Apenas elogios para o consumo de combustível. O Argo não gosta de beber como um ébrio. Muito pelo contrário.

Durante o teste, especialmente em ambiente urbano, rodou bastante sem exigir posto de gasolina. A vedete é o start-stop, que faz as vezes de economizador no trânsito da cidade. Se você é daqueles que não curte o desligar do motor, tudo bem. Pode desativar o sistema, mas terá que abastecer o veículo mais vezes.

Conforme padrões estabelecidos pelo Inmetro, as médias do Argo Drive 1.0 são as seguintes:

  • Ciclo urbano: 9,9 km/l (etanol) e 14,2 km/l (gasolina)
  • Ciclo rodoviário: 10,7 km/l (etanol) e 15,1 km/l (gasolina)
Fiat Argo Drive 1.0

Itens de série

O pacote de itens de série do Argo Drive 1.0 é bom. O veículo conta com ar-condicionado, regulagem de altura para o banco do motorista, banco traseiro rebatível, chave canivete com telecomando para aberturas das portas, vidros e porta-malas, apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, direção elétrica progressiva, desembaçador do vidro traseiro, Isofix, iluminação do porta-malas, limpador do vidro traseiro, predisposição para rádio (dois alto-falantes dianteiros, dois alto-falantes traseiros e dois tweeters e antena), sistema Start&Stop, travas elétricas, vidros dianteiros elétricos, volante com regulagem de altura e computador de bordo.

Conclusão

Para a Fiat, o Argo pode ser um ascensor para o cadafalso. Entre vários significados, “cadafalso” pode ser duas coisas: um palanque para cerimônias solenes ou estrado montado para a forca. O produto tem seus problemas, claro, mas é bom. É, sim, o melhor Fiat dos últimos tempos. Contudo, as pessoas (autor do texto incluso) são voláteis. Adulam e executam com a mesma facilidade.

Ficha técnica do Fiat Argo Drive 1.0 Firefly

Ficha Técnica | Argo Drive 1.0

Motor 1.0 tri cilíndrico, injeção eletrônica, flex
Potência  72 cv (gasolina) e 77 cv (etanol) @ 6.250 rpm
Torque 10,4 kgfm (gasolina) e 10,9 kgfm (etanol) @ 3.250 rpm
Câmbio  Manual de cinco marchas
Direção Assistência elétrica; tração dianteira
Suspensão Independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
Freios Discos sólidos na dianteira e tambores na traseira
Pneus e rodas  175/65 R14
Dimensões  4 m de comprimento, 1,72 m de largura, 1,50 m de altura, 2,52 m de entre-eixos
Peso  1.105 kg
Tanque de combustível  48 litros
Porta-malas  300 litros
Aceleração 0-100 km/h  13,4 segundos
Velocidade máxima  162 km/h
Consumo urbano  9,9 km/l (etanol) e 14,2 km/l (gasolina)
Consumo rodoviário 10,7 km/l (etanol) e 15,1 km/l (gasolina)
Garantia três anos

Opcionais do Fiat Argo Drive 1.0

O hatch tem como opcionais:

  • Volante multifuncional com comandos de som e telefone + segunda entrada USB (R$ 1.990);
  • central multimídia com tela de 7”;
  • rádio Connect;
  • retrovisor elétrico com função tilt down e repetidores de seta laterais + vidros elétricos traseiros; e
  • câmera de ré + sensor de estacionamento traseiro.
11 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Alexander 4 de agosto de 2021

Tenho um fiat argo drive 1.o depois dos 10mil ele ta fazendo 14.9 nagasolina e naestrada 18na gasolina estou gostando muito

Avatar
Thiago Ritz Batista Bezerra 1 de julho de 2021

Tenho um Argo 1.0 consumo dele é 10 km/ L na cidade não faz mas que isso.

Avatar
Sidney 16 de junho de 2021

Tenho um Argo 1.0 2018/2019. Na cidade com etanol, ele está fazendo 9,9 exatos. Com gasolina, a faixa fica nesses 13-14. Tempos atrás fui pra estrada, no etanol ele está fazendo 13-14, não testei na gasolina ainda. Um ponto que anotei, foi que na estrada fiz uma viagem de 3 horas e meia, e na volta ele fez 10 km/l com ar condicionado ligado o tempo todo. A direção é maravilhosa, leve e muito esperto, não sofro nas curvas. Nos aclives, para um 1.0 não me deixou na mão ainda. O que incomoda um pouco, é os ruídos, mas isso é por causa dos 3 cilindros, mas me acostumei com o tempo. Outra coisa que ainda não me acostumei foi com o câmbio, meio mole, mas não decepciona nos engates.

Avatar
Joel 13 de junho de 2021

Qual altura do argo 1.0 2018 de roda 14 altura de solo distância pra ele não encostar do solo

Avatar
Rodrigo 7 de maio de 2021

Muito econômico. Estou amando..

Avatar
PRISCILA SANTOS 22 de abril de 2021

E antes que você diga que o artigo disse 14,2KM/L, digo que isso foi a média. Ou seja, pode fazer mais ou menos que isso. Depende de fatores como rua/estrada e modo de dirigir.

Avatar
LUIZ FERNANDO DOURADO BERETA 12 de março de 2021

Nunca que o Argo faz isso, me arrependi de ter comprado. Não chega a fazer 9km na cidade.

Avatar
PRISCILA SANTOS 22 de abril de 2021

Então você não sabe dirigir, porque o meu faz 14,9KM/L na cidade.

Avatar
Uilson carlos borges 2 de junho de 2021

O meu não passa de 7.5 no álcool e e 2020

Avatar
Romulo 3 de agosto de 2021

Com o ar ligado vc faz 14.9km?

Avatar
Thiago Ritz Batista Bezerra 1 de julho de 2021

Verdade o argo só faz 10km por litro.

Avatar
Deixe um comentário