Fiat Fastback: 5 motivos para ter e outros cinco para não ter

Fiat Fastback, o novo SUV cupê da marca italiana quer atrair família com porta-malas amplo e design menos quadradão

fiat fastback audace turbo 200 2023 cinza tres quartos frente
Fiat Fastback acaba de chegar com estilo cupê e um porta-malas gigantesco (Foto: Fiat | Divulgação)
Por Fernando Miragaya
Publicado em 22/09/2022 às 18h11
Atualizado em 23/09/2022 às 18h22

A Fiat voltou a ter um carro mais caro em seu portfólio justamente para rever suas estratégias. Com o Fastback, recentemente lançado de forma oficial, a marca italiana aponta no segmento que mais cresce no mercado, o de SUVs, mas com uma proposta de design que sugere requinte e esportividade, e com um produto com margem de lucro bem mais generosa.

Desta forma nasceu o SUV-cupê, que chega a ter um desenho controverso e até parece meio desengonçado, tamanho o comprimento do balanço traseiro. Mas gosto não se discute e o fato é que a Fiat quer vender uns 3 mil Fastback por mês. Veja aqui cinco motivos para você fazer parte desta meta, e cinco motivos para não fazer…

VEJA TAMBÉM:

5 bons motivos para ter o Fiat Fastback

Confira os bons atributos que podem te convencer a levar o SUV para casa.

Motores modernos e turbinados

O Fiat Fatback só usa os motores mais recentes de origem FCA – Fiat Chrysler Automóveis, hoje Grupo Stellantis. E sempre turbo. O crossover acupezado feito sobre a base do Cronos (plataforma MLA) é produzido em Betim (MG) com os motores da linha GSE, de três e quatro cilindros.

As versões básica e intermediária – sob a alcunha T200 – vão de 1.0 12V turbo (que estreou no Pulse), com 130 cv de potência com etanol e 125 cv, com gasolina, a 5.750 rpm. O torque máximo de 20,4 kgfm (com qualquer um dos combustíveis) é atingido nas 1.750 rpm. A transmissão é a continuamente variável (CVT) que a marca passou a usar no Pulse, na Strada e no Cronos.

fiat fastback limited edition powered by abarth 2023 detalhe motor
Motor T270 entrega 185 cv na versão topo de linha do Fastback (Foto: Marcelo Jabulas | AutoPapo)

A opção topo de linha com o selo da Abarth usa a terminologia T270 para carregar o 1.3 16V que equipa modelos como a picape Toro, além dos Jeep Renegade, Compass e Commander. Aqui, o propulsor atua com o câmbio automático de seis marchas da Aisin. São 185 cv com álcool e 180 cv com gasolina a 5.750 rpm, enquanto o torque chega a 27,5 kgfm a 1.750 giros.

Desempenho

Com os dois motores, o Fastback entrega uma performance condizente. Nos SUVs equipados com o motor 1.0, a aceleração de 0 a 100 km/h se dá em 9,4 segundos (etanol) e 9,7 segundos (gasolina), conforme dados da Fiat. Já a máxima prometida é de, respectivamente, 193 km/h e 190 km/h.

Com o 1.3, o SUV-cupê fica mais brabo. Apesar de um certo delay na primeira investida no pedal do acelerador, as arrancadas são bastante vigorosas, auxiliadas pela calibragem acertada da caixa de seis marchas.

Desta forma, o Fastback precisa de 8,1 segundos para sair da inércia e atingir os 100 km/h com etanol, e de 8,4 segundos, com gasolina. A velocidade final fica em 210 km/h com qualquer proporção de combustível, de acordo com a montadora italiana.

Bem equipado

O Fastback traz, em toda a linha, o pacote de itens de auxílio ao motorista. Alerta de colisão com frenagem automática de emergência, aviso de mudança de faixa e regulagem automática dos faróis são de série em toda a linha, mas sente-se falta de equipamentos mais aprimorados, como controle de cruzeiro adaptativo e o sensor de ponto cego.

Mesmo assim, desde a versão de entrada Audace T200 (R$ 129.990) o Fastback é bem fornido. São quatro airbags (a Fiat diz que os laterais cobrem a tórax e a cabeça), freio de estacionamento eletrônico com auto hold, ar automático e digital, paddle shifters, sensor e câmera de ré, carregamento de celular por indução, multimídia com tela de 8,4” e conexão Android Auto e Apple CarPlay sem fio, faróis e lanternas full LED e rodas de liga-leve aro 17”.

fiat fastback limited edition powered by abarth 2023 interior
Pacote de conteúdos do Fastback é um dos pontos positivos do modelo (Foto: Marcelo Jabulas | AutoPapo)

A configuração Impetus T200 pede R$ 10 mil a mais pelos bancos de couro, acabamento interno escurecido, sensor de estacionamento dianteiro, pintura bicolor com teto preto, faróis de neblina dianteiros com conversão estática, rodas aro 18” com acabamento diamantado, retrovisores rebatíveis eletricamente, carpete e quadro de instrumentos eletrônico em tela de 7″. Além disso, a central multimídia usa monitor de 10,1″.

A opção topo de linha tem o nome de perder o fôlego. A Limited Edition Powered by Abarth T270, além de ser equipada com o motor 1.3 mais potente, recebe apliques visuais e custa R$ 149.990. As rodas aro 18″ têm acabamento escurecido e o SUV é adornado por símbolos “Limited Edition” nos para-lamas dianteiros e pelo selo “Powered by Abarth” no cofre do motor e na tampa do porta-malas.

Revisões e manutenção

O Fastback segue o padrão de três anos de garantia, mas a marca italiana alardeia que o novo SUV da marca tem a cesta de peças mais barata entre os concorrentes. Segundo a fabricante, esse kit (que é definido pela Anfavea, a associação das montadoras) é até 47% melhor nas versões T200 e até 38% melhor na com T270.

O problema é que a marca não detalhou quais peças fazem parte da cesta e muito menos informou quanto ela custa. Tampouco explicou em relação a quais concorrentes essas porcentagens de custos são mais baratas.

De qualquer forma, o plano de revisões com preço fixo previsto para o Fastback tem valores razoáveis para a faixa de preço onde o carro se posiciona. Confira os valores das seis primeiras manutenções programadas, apurados em setembro de 2022 e válidos para as versões 1.0 e 1.3.

  • 1ª Revisão (10.000 Km): R$ 556,00
  • 2ª Revisão (20.000 Km): R$ 568,00
  • 3ª Revisão (30.000 Km): R$ 656,00
  • 4ª Revisão (40.000 Km): R$ 736,00
  • 5ª Revisão (50.000 Km): R$ 584,00
  • 6ª Revisão (60.000 Km): R$ 1.096,00

A marca também diz que o Fastback é vendido com três opções de pacotes de manutenção que podem ser contratados junto com o SUV. Os pacotes, que não tiveram preços revelados, incluem revisões, cobertura de itens de desgaste, palheta de parabrisa, oxi-sanitização do ar, alinhamento e balanceamento e até um ano de garantia adicional.

Porta-malas

Sem dúvida, um dos grandes destaques do Fastback. Se a concorrência geralmente deixa a desejar nesse quesito, o novo SUV-cupê oferece 516 litros de capacidade, quase o mesmo que o espaço para bagagens do Cronos. Além disso, o vão largo facilita a colocação das malas. A capacidade de carga, contudo, é a mesma de um sedã: 400 kg.

fiat fastback audace turbo 200 2023 cinza porta malas
Porta-malas leva 516 litros, que faz dele referência no segmento (Foto: Fiat | Divulgação)

5 motivos para não ter o Fiat Fastback

Nem tudo são flores do cupê anabolisado. Saiba quais são os pontos que podem de fazer desistir do Fastback.

Consumo

Esses motores turbinados novos da Fiat (ops, Stellantis) são valentes e modernos, mas esqueceram de fazer a lição de casa quanto ao consumo. Os modelos estão longe de uma nota A pelos padrões de médias do Inmetro. Confira

Fiat Fastback 1.0

Trajeto Combustível Consumo
Urbano etanol 8,9 km/l
Urbano gasolina 11,9 km/l
Rodoviário etanol 10,2 km/l
Rodoviário Gasolina 14,6 km/l

Fiat Fastback 1.3

Trajeto Combustível Consumo
Urbano etanol 7,9 km/l
Urbano gasolina 11,3 km/l
Rodoviário etanol 9,7 km/l
Rodoviário Gasolina 13,9 km/l

Espaço na cabine do Fiat Fastback

Se o porta-malas é o destaque, o mesmo não pode ser dito sobre a cabine. Lembre-se que você está dentro de um Cronos, com entre-eixos de 2,53 metros e que aquele balanço traseiro todo só beneficiou mesmo o compartimento para bagagens. Na frente, motorista e carona têm limitações normais como no sedã compacto da marca.

Os joelhos ainda esbarram no largo console central, apesar de haver alguma sobra para os ombros. Atrás, a situação piora. O caimento da terceira coluna atrapalha quem tem mais de 1,75 m.de altura. Além disso, a saída de ar traseira é muito recuada. Isso aliado ao túnel de transmissão praticamente inviabiliza um adulto no banco do meio.

Isolamento acústico

Outro ponto a desejar no Fiat Fastback. A vedação da cabine é ruim e ouve-se muito dos barulhos de rodagem e de vento, especialmente com o SUV na estrada. Os ruídos do motor e da suspensão também atrapalham qualquer bate-papo a bordo.

fiat fastback audace turbo 200 2023 cinza painel
Isolamento acústico está longe de ser um ponto positivo no SUV italiano (Foto: Fiat | Divulgação)

Acabamento mais ou menos

Não chega a ser um acabamento pobre, mas espera-se mais de um carro que custa a partir de R$ 130 mil. Para começar, o design de revestimentos do painel e das portas remete diretamente ao Pulse, modelo mais barato.

Além disso, o plástico rígido usado não inspira muito requinte. Os detalhes em preto brilhante e acabamento escurecido da versão topo de linha melhoram bastante a aparência geral.

Filtragem

Dicas para aqueles ajustes que as montadoras fazem normalmente nos primeiros anos de vida de um novo projeto: o Fastback merece um acerto mais fino da suspensão. Apesar do bom comportamento em curvas, o jogo traseiro por eixo de torção e sem barra estabilizadora reflete muito das imperfeições da pista em determinadas situações. O volante também tem isolamento ruim, e o motorista sente todas as trepidações em suas mãos.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Tony Pacheco 30 de março de 2024

O consumo e os ruídos me fizeram desistir da compra. Uma pena. Achei o motor 270 o tipo de carro que eu gosto (tenho um Storm de 176 HP), mas o consumo do Abarth consegue ser pior. Achei que isso era impossível, mas é a realidade. E o da Ford não é turbo. O turbo, por ser mais moderno no Abarth, devia ser mais econômico. Os engenheiros da Fiat parece que formaram em faculdade EAD… Só pode! Agora, ruídos, é o fim. Tive um VW Jetta TSi top line que comprei 0 km. Logo desfiz a compra porque a suspensão dianteira em piso irregular (90% das ruas e estradas brasileiras…) tem um ruído que parece que o carro vai desmanchar. Não quero passar por isso de novo. Uma pena. Este Abarth Fastback poderia ser um carro dos sonhos com este motor maravilhoso, mas a Fiat não respeita o consumidor. Meu último Fiat foi um Tempra que devolvi para o fabricante porque o motor esquentava a níveis absurdos quando parado em semáforos… Uma pena mesmo, queria tanto comprar este Abarth.

Avatar
Filipe 26 de dezembro de 2023

Comprei um T270, o carro entrega muito, é confortável, bem acabado, motor potente. A única coisa que me incomoda é o isolamento acústico.. acelerar com ele na estrada é divertido pelo desempenho, mas péssimo com o barulho.

Avatar
Joao 19 de dezembro de 2022

Opa blz pessoal, fiz um teste drive, dentro do shopping, pequeno, notei os barulhos da via ,o vidro aberto fico maravilhoso, o carro e um tiro,anda , no modelo audace, tem mais tecnologia do que carros neste valor, tô lendo comentários e penso e adquirir um mais da um medo resumindo acho que vou pagar para ver.

Avatar
Luiz Carlos 17 de dezembro de 2022

Cuidado com essa compra Meu filho comprou e veio com defeito na bomba de óleo. Já está na oficina com 100km rodados

Avatar
luis pires 21 de outubro de 2022

Modinha e novidade, coisas que o brasileiro adora pagar mais caro. Quase não se aguenta esperando o iPhone do ano 50% mais caro que o anterior para pagar de bacana e ostentar. Um Cronos 1.0 turbo seria muito mais racional como carro e parece uma lei da física que o entreeixos não possa ter mais de 100 polegadas (2.54 metros) pois parece que dá câncer no passageiro de trás? Pata que parau, 15cm a mais de espaço para o passageiro é algo criminoso?

Avatar
Rodrigo 16 de outubro de 2022

Ninguem vai falar dos airbags e latin ncap que nem passou ainda??? 4 airbags num carro de 150 mil???? Sério?

Avatar
Valter Rita 12 de outubro de 2022

Olá, boa noite! Estava muito interessado neste carro, achei muito bacana? mas quando li o nível de ruídos, isolamento acústico fiquei assustado com a notícia, acabei desistindo da compra !queria muito mudar, tenho um Compass Sport estava querendo comprar o Impetus, acho que neste momento vou aguardar mais um pouco e tbm a Filtragem e Acabamebtos?

Avatar
Fran 28 de novembro de 2022

Eu testei o carro e não achei o nível de ruídos ruim. Andei com outros carros que competem com ele e pior. Ele é bonito, mas não luxuoso.

Avatar
Reynaldo 24 de setembro de 2022

Realmente o consumo desse motor turbo da Fiat é algo ridículo. E essas medições do Inmetro devem ser feitas comno carro na carroceria fo caminhão porque na realidade nem chega perto. O consumo de álcool e de gasolina é praticamente o mesmo inviabilizando k uso de gasolina em qualquer situação. Não passa de 7 km/litro para um carro 1.0 é uma vergonha. Deveria economizar muito, mas a realidade é outra….

Avatar
Jose luiz fernandes jr 23 de setembro de 2022

A frente é linda , mas a traseira é muito feia . Deveria ser mais curta . Ficou parecendo carro japones da década de 60.

Avatar
Bah 29 de outubro de 2023

Provavelmente não entende de carro amigo

Avatar
Danilo Vancim 23 de setembro de 2022

A quantidade de válvulas indicada no texto está errada. Motor turbo são 12V no 1.0 e 16V no 1.3

AutoPapo
AutoPapo 23 de setembro de 2022

Olá, Danilo

Obrigado

Avatar
Deixe um comentário