Igrejas devem receber isenção de IPI de carros, propõe PL

Projeto de Lei do deputado pastor Gildenemir de Lima Sousa quer que igrejas e instituições filantrópicas não paguem o Imposto sobre Produto Industrializado

Por AutoPapo 21/07/19 às 15h00
isencao de ipi para carros da igreja

O Projeto de Lei (PL) 3052 de 2019 quer isentar igrejas e instituições filantrópicas do pagamento do IPI de carros. A proposta é de autoria do deputado pastor Gildenemir de Lima Sousa, do Partido Liberal de São Luís (Maranhão).

Projeto de Lei do deputado pastor Gildenemir de Lima Sousa quer que igrejas e instituições filantrópicas não paguem o imposto IPI de carros.

“Para atender a população local, é nítida a necessidade de veículos para transportar voluntários, alimentos, cestas básicas, colchões, móveis e crianças”, argumentou Sousa, em defesa de sua proposta.

De acordo com o texto, o benefício poderia ser utilizado uma vez a cada cinco anos. Contudo, o IPI de carros deverá ser cobrado caso seja o veículo seja vendido em menos de três anos após sua compra.

O Projeto de Lei do pastor foi apresentado à Câmara dos Deputados em maio. O texto já foi aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família. Não foram feitas emendas, e ele segue em tramitação na Câmara, em caráter conclusivo.

A proposta defende o benefício da isenção de IPI de carros para “entidades assistenciais” credenciadas, e “instituições religiosas”.

IPI de carros chega a 25% sobre o preço

De acordo com a legislação, carros podem pagar até 25% de Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), a depender de suas características mecânicas. A porcentagem incide diretamente sobre o valor determinado para o veículo.

Além do IPI de carros, são cobrados, ainda o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com média de 12%; a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS), de 9,65%; Programa de Integração Social (PIS), de 2%; e o Imposto de Importação (II), quando se aplica, de 35%.

Tributo Alíquota
Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) 7% a 25%
Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) média de 12%
Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS) 9,65%
Programa de Integração Social (PIS) 2%
Imposto de Importação (II) (se houver) 35%
SOBRE
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
JOHN CARUANA 20 de janeiro de 2020

definitamvemente nao!!!!!!!

Avatar
JOHN CARUANA 20 de janeiro de 2020

HOJE NAO E’ MAIS TEMPO DE ISENCOES PARA NINGUEM – so’ para os assalariados……igrejas definitivamente nao

Avatar
Leandro 22 de julho de 2019

Boa.. Afinal igreja quase não tem dinheiro, né…

Avatar
Deixe um comentário