Desvendamos 7 mitos sobre o motor turbo

Novos no mercado, os motores turbinados de fábrica ainda sofrem com algumas afirmações errôneas; aprenda verdades sobre os propulsores

Por Boris Feldman 27/05/19 às 16h09

O motor turbo é uma nova tendência de mercado. Menor e mais eficiente, ele ainda sofre com as falsas afirmações. Para que você se mantenha bem informado, desvendamos sete mitos sobre os motores turbinados.

Vale lembrar que há uma diferença entre o motor turbo das fabricante e o das oficinas especializadas.

1. É necessário manter o motor pelo menos um minuto em marcha lenta antes de desligar o carro

Este mito tem origem nos motores aspirados que depois eram turbinados por oficinas especializadas. A recomendação era necessária para evitar que a turbina girasse sem lubrificação e ou o excessivo aquecimento do óleo que a lubrifica. Nos motores turbinados de fábrica, há uma refrigeração específica da turbina que dispensa esse cuidado.

Cada vez mais comum no mercado, o motor turbo ainda é vítima de mentiras descabidas. Desvendamos 7 mitos sobre os propulsores mais eficientes e econômicos.
Motor 1.3 Firefly | Boris Feldman

2. Motor turbo exige óleo lubrificante especial e trocas mais frequentes

Nos carros lançados com motor turbo, a periodicidade da troca e o óleo lubrificante são os mesmos para motores turbos e aspirados. No entanto, vale conferir no manual as instruções específicas para o seu carro.

3. Motor turbinado dura menos que o aspirado

Se o motor for turbinado de fábrica, sua durabilidade é a mesma de um motor aspirado. Isso porque o componente foi especificamente projetado para oferecer o turbo e o maior desempenho.

Já os motores turbinados por oficinas tem durabilidade menor.

4. Consumo do motor turbo é maior

Mantida a mesma exigência de desempenho, ou seja, pisando igual, o consumo de combustível do motor turbo é até menor. Mas, se o motorista acelerar muito mais que no carro movido a motor aspirado, a média de consumo poderá ser comprometida.

Entenda: a maior eficiência do motor turbinado se dá em razão do aproveitamento de uma energia antes jogada fora – no motor aspirado – pelo escapamento.

Cada vez mais comum no mercado, o motor turbo ainda é vítima de mentiras descabidas. Desvendamos 7 mitos sobre os propulsores mais eficientes e econômicos.
Up TSI | Divulgação

5. Manutenção do motor turbinado é mais cara

A durabilidade do conjunto “motor turbina” não é afetada ou reduzida. Porém, no caso de um problema na turbina, haverá uma despesa extra.

6. O motor turbo prejudica os componentes da transmissão

A transmissão do carro turbinado pela fábrica foi projeto para receber um torque maior. Portanto, não há prejuízos na durabilidade.

Nos casos em que o motor turbo foi preparado em uma oficina, os componentes da transmissão, embreagem, caixa, juntas homocinéticas e etc, podem ter sua durabilidade prejudicada.

7. É mais difícil revender um carro com motor turbinado

Se o dono do carro atendeu aos requisitos de manutenção, não há nenhuma dificuldade em comercializar um veículo com motor turbinado.

24 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    NélsonX 8 de setembro de 2020

    Tou interessado nesse novo SUV da VW que está sendo lançado, com motor 1.0 turbo. Nunca tive carro com motor turbo, então procurei opiniões sobre motores turbo. Acreditem eu confio mto mais na opinião dos comentários de quem tem ou já teve carro turbo , do que na opinião de “especialistas”.

    • Avatar
      Henrique 27 de setembro de 2020

      O Boris é um especialista de fato, pois é engenheiro e trabalhou durante décadas na indústria automobilística. Não é um desses novos youtubers que falam de carros e não passam de curiosos, fanboys, vendedores de serviços ou boyzinhos frequentadores de rachas.
      Dito isso, eu tenho um Peugeot 408 Griffe THP 2013/14 desde 0 km. Jamais tive qualquer problema na turbina. Faço todas as revisões anuais em concessionária, portanto a quilometragem é comprovada. Tomando todos os cuidados necessários, vc não terá problemas, exatamente como o Boris disse.

  • Avatar
    jose santana 20 de julho de 2020

    Vendí uma S10 colina diesel com 250.000 Km sem nunca ter mexido na turbina. Deve estar rodando até hoje.

  • Avatar
    DI Chesare 17 de março de 2020

    Meu carro e motor turbo de fábrica, se eu tirar o turbo, posso andar com meu carro sem danificar o motor

  • Avatar
    Renato 30 de janeiro de 2020

    Pois é, mas não dá para esquecer que no Brasil não é incomum os donos não darem a devida manutenção dos seus veículos. Muitas vezes o primeiro dono só faz a manutenção obrigatória (que em alguns casos não inclui nem a troca do líquido de arrefecimento e de freio) e assim que acaba a garantia e antes de dar problema, passa o carro adiante. Aí quando a bomba estoura, já está no segundo ou terceiro dono, que no caso de um carro turbo com certeza não terá um conserto barato.

  • Avatar
    Carlos Martini 26 de novembro de 2019

    1- Concordo.
    2- Discordo, o motor turbo trabalha em uma temperatura maior, portanto é necessária uma periodicidade de troca menor ou um óleo melhor. Se não for assim vai formar borra e fundir o motor. Quem é estudioso lembra do óleo dos Mares com troca em 20k.
    3- Sim e não. A teoria diz que deveria durar menos, mas cada motor tem um projeto próprio e é possível projetar e produzir um motor turbo durável, custa caro. Só o tempo dirá, mas é pouco provável. Meu palpite é que comecem a consumir óleo acima de 80.000 km e retifica com 120.000 km.
    4- Concordo.
    5- Sim a manutenção de um motor turbo é mais cara durante um espaço longo de uso. Circuito de refrigeração mais complexo, injeção direta, turbina, módulos extras, velas e cabos especiais, etc.
    6- Concordo.
    7- Certamente será. Se a manutenção será mais cara, menos mão-de-obra especializada, gambiarras feitas por aí, os carros terão má fama. Na verdade as fábricas estão sendo obrigadas ao downsizing pela legislação, e o MKT está trabalhando muito para nós convencer que o produto é sensacional.A conta vai vir acima dos 100k quilômetros.

    • Avatar
      Marcelo 8 de junho de 2020

      1 – …

      2 – No caso do Marea a fabrica simplesmente traduziu o manual europeu, na europa é comum trocar óleo com essa KM.
      O maior problema do Marea não era nem a troca com 20 mil km (90% trocava antes o óleo) mas sim o povo do BR que metia qualquer óleo 20w50 sendo que o motor pedia um óleo mais fino.

      Todos carros turbo modernos pedem uma especificação de óleo bem alta (SN sintético) que já apresenta performance para a maior temperatura e demais características do turbo.

      Um motor de fusca roda bem mais quente que um turbo e não é por isso que o povo troca de óleo a cada 3 meses…

      3 – Todos motores modernos a diesel são turbo, vários com mais de 1 milhão de KM…

      Já é comum anúncios de carros turbo com mais de 200 mil km sem quaisquer problemas…

      4 – ….
      5 – Depende com qual carro você comparar… quando saíram os primeiros carros com injeção diziam a mesma coisa dos módulos eletrônicos, que a longo prazo não valeria a pena, que só o modulo custa não sei quanto…
      6 – ….
      7 – É a mesma questão da injeção eletrônica, se popularizou tanto que não virou mais esse “bicho papão”.

      Esse mito dos 100 mil km é coisa de Brasileiro, qualquer motor dura muito mais que isso…

  • Avatar
    Rildo 2 de novembro de 2019

    Porque não pode estalar uma turbina T3 A/R 42 / 48 no gol g2 AT 1.0 8v MI gasolina???

  • Avatar
    Almir 11 de julho de 2019

    O nissan Kicks tem a mesma economia de um motor turbo e comando de válvulas duplamente variável, e claro, sem essa peça que não deve durar muito, já que o turbo recebe calor excessivo do escapamento.

    • Avatar
      Marcelo 8 de junho de 2020

      Um UNO Economy 1.0 tem a mesma economia que esse KICKS….

      O kicks se tivesse um 1.2T andaria bem mais e consumiria a mesma coisa…

      Tenho um Cruze 1.4T, o consumo é parecido com o do KICKS olhando pela tabela do inmetro…

      A diferença é que meu carro faz 0-100 em 8,5s
      Tem uma retomada muito melhor
      Sobe qualquer ladeira a 2 mil rpm com extrema facilidade.

      São 25 kgfm de torque, um opala 6 caneco tem 28…

  • Avatar
    Antonio Donizeti Martins 1 de junho de 2019

    Eu quero ver esses motores 1.0 turbinados depois de 50.000 KM rodados.

    • Avatar
      Vladimir Betinas Gutierre 23 de janeiro de 2020

      Você esta cansado de ver: Ranger, S10, Frontier, Hylux, Amarok, F1000 usam turbo a dezenas de anos, são maltratados pois são veículos de serviço, valem mais do que a equivalente a gasolina e não perdem valor, pelo contrario são valorizadas.

      • Avatar
        Renato 30 de janeiro de 2020

        Tudo depende da manutenção do antigo dono. Um conhecido meu comprou um carro a diesel e turbo usado e teve que gastar quase R$15 mil com manutenção do motor logo após a compra. Uma manutenção equivalente em um motor a gasolina aspirado não custaria mais de R$3 mil.

  • Avatar
    Simas Set 31 de maio de 2019

    Fernando Boa está certo, ao menos no caso do Civic Touring que conheço bem as discussões. O painel indica a troca do óleo bem antes de um aspirado. Tem revenda pior porque, cá entre nós: alguém aqui confia em um veículo usado turbo passado nas mãos de um brasileiro? Já sobre seguro, não conheço outros segmentos, mas o Touring tem custo de manutenção inferior ao aspirado 2.0, então na verdade deve ter seguro menor, e não maior.

    • Avatar
      Roberto 30 de janeiro de 2020

      Eu ainda prefiro na compra de usados os modelos aspirados. Como tem muita picaretagem neste ramo, com certeza o gasto com manutenção será maior para quem compra um usado com motor turbo.

  • Avatar
    FGUMAR 30 de maio de 2019

    Faltou comentar: o uso do turbo de fábrica proporciona mais economia porque despeja mais torque em giros muito mais baixo que o aspirado. Então, tudo vem mais cedo: torque e potência, o que faz, a longo prazo, aumentar a vida útil do motor. Soma-se a isso o uso de injeção direta, um comando de válvulas com variação tanto na admissão quanto no escape, que você não encontra em qualquer aspirado, e pronto: aí está os fundamentos para a eficiência energética deste último capítulo do motor a combustão. Melhor que isso, usando-se esse motor, é adionarmos um sistema híbrido sustentável e acessível: cenas para o próximo capítulo.

  • Avatar
    elioricardo 30 de maio de 2019

    Pode ser ruim de revenda porque muitos acham que o dono maltratou o veículo o motorista consciente não vai fazer isso mas infelizmente onde moro um camarada estava exagerando no fusca turbo do México não há necessidade disso o pior e o custo de manter deixou de vir para o Brasil ou saiu de linha não sei

  • Avatar
    JONAS FERREIRA 30 de maio de 2019

    Saí de uma Tracker com motor aspirado (16/17) e parti para uma Tracker com motor turbo (17/18). Não houve variação no Seguro e, claramente, estou tendo consumo menor com potência maior. Muitíssimo satisfeito com a troca.

  • Avatar
    marcus mendes 30 de maio de 2019

    Engenheiro Fernando B, explique para o comentarista Boris Feldman, que por sinal é leigo na área automobilistica, como o senhor chegou nesse ponto.

  • Avatar
    marcus 30 de maio de 2019

    Nando Moura, exponha os motivos pelos quais você contesta o comentarista. Olavo de Carvalho exponha com provas cabais.

  • Avatar
    Ralfo Penteado 29 de maio de 2019

    Um motorzeco 1.3 que fiz que dispõe uma potência de 170hp não aguenta o esforço.

  • Avatar
    Claudinho 29 de maio de 2019

    Agora devo acreditar em quem: no especialista ou no comentarista.

  • Avatar
    Fernando B 29 de maio de 2019

    Caraca, o redator está claramente equivocado. Um motor turbo dá manutenção antes do aspirado sim, tem revenda pior que o aspirado e faltou ainda citar que o seguro é mais caro. No ponto positivo, o turbo consome menos combustível sim.

    • Avatar
      Marcelo 8 de junho de 2020

      Seguro de carro turbo é mais caro? Estava entre Corolla GLI, Cruze Turbo LT e Civic LX…

      O do Cruze ficou 20% mais barato.

      Todas turbinas são feitas para rodarem mais de 200 mil km sem manutenção (a menos que o cara faça remap etc)

      Revenda pior? Depois que a pessoa anda com carro turbo não quer mais aspirado na vida…Quem anda com aspirado pode querer um turbo..

      Alguns carros aspirados com equivalente turbo já estão virando mico (POLO MSI)

Avatar
Deixe um comentário