Norma dificulta criação de vagas de estacionamentos para carros elétricos

Espaçamento de cinco metros, mureta de proteção, sistemas anti incêndio automático e outras exigências parecem feitas para desmotivar os estacionamentos

renault kwid e tech recarregando em shopping
As exigências encareceriam a instalação desses espaços (Foto: Eduardo Rodrigues | AutoPapo)
Por Eduardo Rodrigues
Publicado em 05/04/2024 às 19h02
Atualizado em 05/04/2024 às 20h42

O Comando do Corpo de Bombeiros do estado de São Paulo (CBPMESP)  emitiu um parecer técnico com normas para vagas de estacionamento para carros elétricos. As sugestões saíram no Diário Oficial do estado.

Segundo o parecer, a motivação foi o aumento nas vendas de carros elétricos, o que resulta em maior demanda por vagas com carregadores. As medidas de segurança proposta foram feitas levando em consideração a dificuldade em apagar um incêndio em uma bateria de ions de lítio.

VEJA TAMBÉM:

As normas propostas no documento para as vagas de carros elétricos parecem alarmistas, sugerindo soluções pouco práticas que inviabilizam a adoção. Veja a seguir as sugestões.

Distancia entre vagas de carros elétricos

vagas espacadas para carros eletricos

A primeira alternativa proposta pelos bombeiros é um distanciamento de cinco metros entre cada vaga de estacionamento para carros elétricos. A distância foi estipulada para que o incêndio em um veículo não afete os outros.

Barreira física entre as vagas de estacionamento

vagas com barreira e sistema anti incendio para carros eletricos

A segunda proposta é dividir as vagas para carros elétricos com barreiras de 1,60 m de altura por 5 m de comprimento. Com isso, não é necessário o afastamento da outra sugestão.

Sistemas automáticos de controle de incêndio

Os bombeiros sugerem que toda vaga de estacionamento para carros elétricos tenha um sistema automático de chuveiros, conhecidos também como sprinklers. Elas também devem ter um sistema de detecção de incêndios.

Em estacionamentos fechados é exigido que exista um sistema de ventilação mecânica capaz de trocar o volume do ambiente cinco vezes por hora. Também são exigidas rotas de fuga e sistemas para controle de fumaça.

Os carregadores para carros elétricos precisam ter um ponto para desligamento com 40 metros de distância de onde estão instalados. Eles também devem ter um disjuntor para ser desligados em caso de incêndio.

Solução dos bombeiros tornará vagas para carros elétricos inviáveis

vagas espacadas para carros eletricos com sistema anti incendio
Imagem digital feita pelos bombeiros coloca o incêndio de forma dramática

Apesar de ser válida a preocupação contra os incêndios, ainda não foram registrados casos disso no Brasil. Para um carro elétrico pegar fogo, é preciso haver a perfuração da bateria. Isso era mais comum em modelos mais antigos, onde não havia proteção adequada.

As normas propostas pelo Corpo de Bombeiros, caso sejam implementadas, tornarão cara a instalação de um ponto de recarga nos estacionamentos. Atualmente, eles são usados como chamariz para atrair clientes.

Criar vagas espaçadas para carros elétricos irá diminuir a quantidade de locais disponíveis para o estacionamento. As muretas representam uma perda menor, porém irá dificultar a manobra de carros maiores.

As exigências de sistemas automatizados de combate ao incêndio também são caras. A obrigatoriedade disso pode fazer que a quantidade de vagas com carregadores diminua.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Jovi 20 de maio de 2024

Wagner, você já parou para pensar que basta um caso dentro de um estacionamento lotado para acontecer uma desgraça? Pare para pensar um pouco. Incêndio em carro elétrico é extremamente difícil de apagar, sendo comum o veículo ser totalmente consumido pelas chamas e afetar vários outros no entorno.

Avatar
Wagner Andrade 8 de abril de 2024

Como alguém pode pensar numa regulamentação tão absurda?
Fiz uma pesquisa usando a Inteligência Artificial do Google (Gemini) e obtive o seguinte resultado:
Em 2022: 3,8 incêndios por 100.000 carros elétricos ou híbridos e 68 incêndios por 100.000 veículos (https://tv.autoplus.fr/). Os números são eloquentes a respeito da falta de nexo da norma proposta.

Avatar
Jovi 20 de maio de 2024

Meu caro, basta uma “raridade” dessas acontecer que vira uma catástrofe…

Avatar
IVAN VASCONCELLOS 5 de abril de 2024

As vagas “Atualmente, eles são usados como chamariz para atrair clientes”.
É justamente ai é que mora o perigo, se não organizar, em pouco tempo haverão as piores e mais baratas “gambiarras” apenas para atrair clientes, e quando um desastre real acontecer vão culpar o poder público e a falta de fiscalização, ninguém da imprensa entrevistará ou porá em dúvida a idoneidade do dono do estabelecimento.

Avatar
Jovi 20 de maio de 2024

Exatamente. A reportagem coloca como um empecilho, mas a mesma imprensa vai massacrar os órgãos públicos por falta de normas ou falta de fiscalização quando um único carro elétrico provocar o incêndio de um piso inteiro de shopping cheio de automóveis, pela dificuldade de apagar o incêndio nos veículos elétricos.

Avatar
Deixe um comentário