Peças automotivas: confira a lista das certificadas pelo Inmetro

O Inmetro concluiu processo de certificação de 17 itens para seu carro. Fique atento ao selo da entidade quando for comprar uma peça de reposição

selo inmetro
Por AutoPapo
30 de agosto de 2017 06:07

Não existe, nos países desenvolvidos, peças de reposição para automóveis sem o selo de certificação emitido por um órgão credenciado pelo governo. No Brasil, o consumidor ainda é vítima de componentes fabricados sem controle nem fiscalização e colocados impunemente no mercado de auto-peças. O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) é o encarregado desta certificação no país.

O órgão, ligado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), elaborou uma lista de componentes que devem necessariamente ostentar o selo de certificação, publicada em julho deste ano. A lista contém 17 itens, mas outros como fluído de freio e catalisador já eram certificados e se somam aos novos.

peças automotivas certificadas pelo Inmetro

Quando comparado aos países desenvolvidos, entretanto, o Brasil está décadas atrasado na exigência para que as fábricas de autopeças se enquadrem dentro dos parâmetros e tenham seus produtos aprovados.

O processo de certificação foi iniciado em 2009, quando os regulamentos começaram a ser publicados. A partir de então, se iniciou um período de adequação para que fabricantes, varejistas e importadores aderissem às regras promulgadas. Somente no mês passado, terminou a última fase desse período.

Sem planos

Todas as peças no programa devem exibir o Selo de Identificação da Conformidade do Inmetro, sendo que o órgão informa não ter planos de certificar outros componentes.

A fiscalização passa a ser feita pelos Institutos Estaduais de Pesos e Medidas (IPEM). Os IPEMs verificam se as peças disponíveis no mercado exibem o selo e, em caso de irregularidade, realizam testes para confirmar se o componente se adequa aos regulamentos.

Entretanto, o critério para a escolha das peças não é claro. Na lista estão, por exemplo, pistão e bronzina, mas outros elementos móveis do motor, como eixo de comando e válvulas, não são certificados. Das centenas de componentes de um automóvel, o governo brasileiro só estabeleceu esta exigência para alguns poucos, sem nenhum critério que justifique certificar uma peça interna do motor e deixar de lado a palheta do limpador de para-brisa, por exemplo.

Leia também: saiba o significado das siglas eletrônicas do seu carro

Questionado sobre a razão de um elemento e não de outro a resposta do Inmetro foi protocolar: “Até o presente momento, não foi identificada a necessidade de estabelecimento de medida regulatória para outros componentes automotivos”.

De acordo com a explicação enviada pela assessoria de imprensa do órgão, o Inmetro faz o processo de certificação quando identifica um problema ou para responder demandas da sociedade.

Lista das peças automotivas certificadas pelo Inmetro

  • Amortecedor da suspensão
  • Anel de pistão
  • Bomba elétrica de combustível para motores do Ciclo Otto
  • Bronzina
  • Buzina ou equipamento similar
  • Lâmpada para veículos automotivos
  • Pino e anel de trava (retenção)
  • Pistão de liga leve de alumínio
  • Baterias
  • Terminal de direção
  • Barra de direção
  • Barra de ligação
  • Terminal axial para veículos rodoviários automotores (componente da direção)
  • Materiais de atrito para freios (lonas e pastilhas)
  • Rodas automotivas
  • Vidro de segurança laminado de para-brisas
  • Vidro de segurança temperado
  • Fluído de freio
  • Catalisador

Veja mais novidades, avaliações e dicas no nosso canal do YouTube!

SOBRE
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário