Sem choro nem vela! Qual é nova lei que vai ‘matar’ carros da VW, Fiat e GM?

Neste mês, repeteco de dezembro de 2013 quando Mille e Kombi 'dançaram' por não se adequarem à nova legislação de segurança

Produção do Volkswagen Fox dificilmente chegará até 2022
Fox é um dos modelos eliminados pela nova legislação (Arte: Ernani Abrahão)
Por Boris Feldman
11 de dezembro de 2021 07:30

O avanço tecnológico pode ser implacável com modelos obsoletos, pois não vale a pena investir milhões de dólares para equipá-los com dispositivos modernos de segurança ou de controle de emissões.

Os dois casos mais simbólicos no Brasil foram em dezembro de 2013, quando Fiat Mille e VW Kombi tiveram sua produção descontinuada em função da exigência de airbags e freios ABS em 2014.

VEJA TAMBÉM:

A história se repete com as exigências mais rigorosas de limite de emissões da fase L7 do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores) que entra em vigor em janeiro de 2022.

Como não controla apenas o escapamento, mas outras fontes de emissões e novos parâmetros, as fábricas estão investindo para se adequar a estas novas exigências até o final deste ano.

Gases do escapamento

Além de eventuais modificações no motor, as fábricas terão que atuar também no catalisador, que deverá ser modificado para atender as novas exigências de durabilidade: testes para verificar se o veículo se comporta de acordo com os limites no decorrer de sua vida útil tiveram prazo dobrado de 80 mil para 160 mil quilômetros.

E serão consideradas as emissões de hidrocarbonetos, aldeídos e também o etanol, adicionados aos valores do NOx (óxido de nitrogênio).

Emissões evaporativas

Mas a grande modificação a ser exigida dos fabricantes pelo Proconve L7 está no tanque de combustível, pois haverá um limite de evaporação. Ou seja, o combustível emite um vapor tóxico recolhido ao cânister, um filtro de carvão que reduz sua toxicidade.

A exigência anterior era o limite de 1,5 grama durante duas horas de teste numa câmara especial. A atual é bem mais rigorosa, pois exige emissão máxima de 0,5 g por dia.

O controle destas emissões exige maiores investimentos, pois o cânister deve ser ampliado e até dutos e mangueiras deverão ser mais sofisticados para reduzir sua permeabilidade e a quantidade de gases levados para a atmosfera.

Nada simples em diversos modelos pela dificuldade em se acomodar um cânister de maiores dimensões.

Falhas pós-tratamento

Com o Proconve L7, veículos a gasolina e diesel deverão fazer constar no sistema de diagnóstico todas as falhas no pós-tratamento dos gases de escapamento. E manter eventuais falhas registradas na central eletrônica por até um ano.

Está prevista até uma redução do nível de ruído, de 1 a 2 decibéis, de acordo com as características do veículo.

Proconve L8: nada de Dieselgate

A partir de 2022 progressivamente até 2025 (L8), para evitar fraudes nos testes simulados de emissões, foi criado um novo processo, o Real Drive Emission que, em inglês, significa as emissões reais do carro rodando nas ruas.

Várias fábricas burlaram estas emissões manipulando testes que apresentavam falsos resultados no laboratório, até 40 vezes superiores na prática.

O famoso escândalo do Dieselgate dos motores diesel da Volkswagen flagrados fora das exigências nos EUA. Até no Brasil houve esta fraude, cometida pela Fiat para a homologação do Mille Electronic.

Carros que vão sair de linha em 2022

Velhos modelos ainda produzidos no Brasil estão com seus dias contados, pois não vale a pena investir em carros com vendas baixas para adequá-los às novas exigências do Proconve L7.

Na Fiat, o motor 1.8 ainda produzido na fábrica de Campo Largo (PR) foi eliminado dos modelos nacionais e sobrevive apenas para exportação.

Não compensa também para a empresa manter o Uno, Doblò e Gran Siena. Nenhum deles emplaca 2022.

Na linha Volkswagen, o Fox está saindo dos catálogos da empresa e também o motor 1.6 de 8 válvulas.

No caso da GM, a linha Chevrolet tem o Joy (hatch) e Joy Plus (sedã) como carros de entrada no nosso mercado, que só continuam em 2022 para exportação. Os entry level serão versões mais simples dos Onix hatch e sedã.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
66 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Rafael 17 de dezembro de 2021

É louvável essa nova legislação, mas certamente as montadoras vão dar um jeito de fazer alguma burla ou falsificarao os testes como já fizeram antes. Vai ser um prato para s montadoras aumentarem ainda mais os preços dos carros. Beleza, os carros novos terão que atender a essa nova legislação, e os demais, podem poluir numa boa? Pois na prática vemos que não há qualquer fiscalização sobre a medição de poluentes desses veículos irregulares. E o ruído nem se fala, os imbecis adoram mexer no escapamento para aparecer, como diria aquele velho ditado: “quer aparecer, coloca uma melancia na cabeça e sai pelado pela rua”.

Avatar
Kaká 16 de dezembro de 2021

Vejo comentários com termos do tipo: “carroças”, “país retrogrado” aí descamba para assuntos nada a ver. Se estivessem visando modernidade de verdade, estaríamos cobrando um transporte público de qualidade. Mas vocês não estão preparados para esta discussão… kkkkk

Avatar
Jarbas Lopes 16 de dezembro de 2021

Concordo plenamente, nas duas colocações. A questão da mobilidade é prioridade absoluta, está ficando inviável trafegar com essa quantidade absurda de veículos no trânsito. Não há pistas suficientes para o volume de veículos, além das questões dos gargalos e acidentes que provocam congestionamentos gigantescos. Então a solução é o que você propõe. Infelizmente, tem razão novamente, não estamos preparados…….

Avatar
KAKÁ 16 de dezembro de 2021

Pois é amigo. A cada dia é mais inviável ter um carro (impostos, custos, combustivel) e ainda temos que nos sujeitar a ele por pura incapacidade de termos soluções práticas e racionais. Estarmos discutindo o elemento carro nessa altura do campeonato é algo muito atrasado, independente do combustível ou o que quer que seja.

Avatar
Gumar 16 de dezembro de 2021

Já não era sem tempo, apesar de que o Brasil está apenas tentando se adequar ao que já está entrando em vigor no “mundo desenvolvido”. Aqui, as coisas são burladas e enfim acochambradas por um tempo até que a “locomotiva”, que puxa o resto do mundo, fale mais alto. Lendo os comentários abaixo é que podemos ver a quantidade de ignorantes que tem nesse país.

Avatar
Ivan Fernandes Veiga 16 de dezembro de 2021

Achei a matéria interessante mas os comentários, esses sim, são pura comédia. Nossa população é composta de muitos gênios e eles sabem tudo.

Avatar
Edvaldo J Silva 16 de dezembro de 2021

Eu tenho um onix 2018 tenho que mim desfazer dele ou posso continuar usando obrigado

Avatar
Sou Seu Pai 17 de dezembro de 2021

Em janeiro vc terá que envia-lo para um ferro velho e comprar um novo.

Avatar
SOU SEU FILHO 18 de dezembro de 2021

HAHAHAHA, Sensacional, Pai!
EDVALDO, compra um carro novo!!

Avatar
Xunda 18 de dezembro de 2021

Primeiro você precisa aprender a escrever….

Avatar
ADRIANO DA SILVA VIANNA 16 de dezembro de 2021

Leis imbecis, feitas por agiotas para um povo alienado que bate palma e compra por uma pequena fortuna pedaços de plástico, e ainda ostentamm por ter um lixo de carro zero, que quando der manutenção vai ser mais cara que o próprio carro.

Avatar
Gumar 16 de dezembro de 2021

Você é ignorante demais pra entender o que já está acontecendo, como o prejuízo causado pelo óxido de nitrogênio, que quando oxidado na atmosfera, produz o ácido nítrico: um dos componentes que aumenta a acidez da chuva e causa danos ao meio ambiente por ser corrosivo. Se não cuidarmos agora, corremos o risco de termos uma Terra como aquela retratada no filme Interestelar. Se não sabe do que estou falando, ignorante, veja o filme, pelo menos a primeira parte.

Avatar
GEORGES CHRISTIAN COSTARIDIS 16 de dezembro de 2021

O mundo caminha para a redução contínua de geração e emissão de poluentes.Muito tem-se falado do aquecimento global e como isso afeta a qualidade de vida de todos.Isto é uma tendência geral e os veículos automotores também fazem parte dessa lista. O ideal seria termos carros movidos a hidrogênio, uma vez que os elétricos também causarão um passivo ambiental muito grande quando do descarte das baterias esgotadas além da demanda por eletricidade no abastecimento. Infelizmente ainda somos um país de 3º mundo e os remendos que vão fazendo para tentar diminuir as emissões acabam forçando as montadoras a aposentar os veículos meia boca que são empurrados por aqui a preço de esportivos no 1º mundo.Mas tem as suaves prestações em 60 meses e , pelo jeito, devem acabar aumentando o período para caber no bolso de quem quer ter um carro somente seu.Agora, se você que está lendo isso for um político, funcionário público de alto escalão ou do seleto rol dos que vivem na bolha de 1º mudo daqui aí tanto faz não é?

Avatar
Wesley 15 de dezembro de 2021

Quanto mais esses ambientalistas tentam nos empurrar goela abaixo esses carros de brinquedo com cada vez mais complexidade eletrônica (e consequentemente maiores custos de reparo), apenas com o intuito de poluir um pouco menos, mais eu faço questão de poluir mais para tentar compensar o desserviço desses otários. Próximo passo será arrancar o miolo do catalisador. E se acharem ruim eu compro uma caminhonete diesel bem véia daquelas que sai um canudo de fumaça preta a cada acelerada, pra rodar no dia a dia.

Avatar
Gumar 16 de dezembro de 2021

Mais um ignorante, totalmente incapaz de entender o que já está acontecendo, como o prejuízo causado pelo óxido de nitrogênio, que quando oxidado na atmosfera, produz o ácido nítrico: um dos componentes que aumenta a acidez da chuva e causa danos ao meio ambiente por ser corrosivo. Se não cuidarmos agora, corremos o risco de termos uma Terra como aquela retratada no filme Interestelar. Se não sabe do que estou falando, ignorante, veja o filme, pelo menos a primeira parte.

Avatar
Wesley 16 de dezembro de 2021

Já vi o filme Interestelar 3 vezes, é um dos meus favoritos. Agora, tem que ser muito ignorante e analfabeto como você para achar que uma simples chuva ácida, que sempre aconteceu, vai acabar com o mundo. Bom, já que apareceu para aporrinhar com abobrinhas ambientalistas, mais tarde vou estar olhando umas Ranger véia a diesel pra fazer fumaça o dia inteiro. Obrigado pela motivação!

Avatar
Mail 16 de dezembro de 2021

Miolo do seu cérebro foi embora antes do miolo do catalisados hein… Tomara que tome uma multa pesada na inspeção veicular 🙂

Avatar
SOU SEU FILHO 18 de dezembro de 2021

Eu entendo, WESLEY, as pessoas mais velhas não tem capacidade pra entender o que estamos discutindo aqui. Fique a vontade, e morra logo, só não faça filhos, ta? 😉

Avatar
Emmanuel Paulo Borges Gonçalves 15 de dezembro de 2021

Prezado Sr . Feldman
Para que tanto carro elétrico, se nem EE temos ?
E o carro a etanol, vai morrer?
Precisamos de Cobalto para baterias dos carros elétricos, e esse.material só tem no Congo.
Por que tanta aposta em algo que não temos garantias ?
Acho que devemos rezar muito.

Avatar
GEORGES CHRISTIAN COSTARIDIS 16 de dezembro de 2021

Eu li que lítio está sendo usado na produção dessas baterias e também não o achamos aos baldes.

Avatar
Celio Ferreira dos Santos 16 de dezembro de 2021

Cobalto já foi usado em baterias de litio agora não mais… a questão basica é: O Renault ZOE elétrico gasta uma bagatela de “15 Centavos por KM” nos preços abusivos de eletricidade aqui no Brasil e qualquer outro carro a gasolina gastaria 30 Centavos se fizer 20 km por litro.

Avatar
RPDBH 16 de dezembro de 2021

A questão não é essa. Hoje o país não consegue gerar energia elétrica para a demanda que já tem, numa economia que anda de lado. Quando essa demanda explodir (se isso ocorrer) com os carros elétricos, não só não custará apenas essa bagatela, como não haverá energia suficiente para todos.

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

Senhores, pensem maior … beeeem maior.
A questão é que cada um de nós devera gerar a sua energia como os paises desenvolvidos o fazem nesse momento (quem mora em casa, usa o telhado ou o quintal para solar e eólica, quem mora em apto se junta com os outros e usa o terraço ou as areas comuns e escada, com eólica, solar e energia gerada por movimento com placas de pressão, a praça principal de Berna gera sua propria energia de iluminacao com o transito das pessoas em placas de pressao instaladas no piso, por exemplo), enquanto não conseguem desenvolver uma tecnologia limpa e eficiente o suficiente para gerar energia a todos (o que só deve acontecer para todos os paises do mundo em pelo menos 200 anos, se ocorrer, vejam a historia do mundo e as revolucoes). Voces acham que podemos garimpar petroleo no jardim ou no terraco de um predio paulistano??? O negocio é se independer dos gigantes petroleiros, e temos essa chance com a tecnologia existente em nosso tempo, porque não usar??!?!?

Avatar
Claudio 13 de dezembro de 2021

Trocando o meu carro por Moto 1, 2, 3!.
Pra eles não tem nada disso..

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

Cuidado pra um ônibus não passar por cima de vc e acabar com a alegria antes mesmo de chegar no 3, hein?! hehehe 😉

Avatar
Maycon Ventura 13 de dezembro de 2021

Foi isso q aconteceu com os carros da Honda,por isso vários modelos não serão mais fabricados.

Avatar
Wenio 13 de dezembro de 2021

Brasil,,,,,. Pra que mexer nos carros se o problema é nós combustíveis

Avatar
Fernando Henrique 13 de dezembro de 2021

O problema está nos carros, por isso essas mudanças, para aprimorar o filtro das emissões prejudiciais a natureza.

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

Gastar energia e tempo de pensamento em corrigir o passado não é lógico … Carros elétricos não precisam de nenhum filtro … baterias biodegradáveis devem ser onde focamos esforços no momento, ou pelo menos deveria.

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

Concordo … Eliminar combustiveis é a solucao lógica viavel no momento. Carros elétricos … Essa é a saída que as montadoras já previram, mas o povo tá lerdo demais pra entender ….

Avatar
Paulo 12 de dezembro de 2021

E quanto ao carros em já produzidos em circulação,haverá alguma restrição quanto a isso?

Avatar
Mediador 15 de dezembro de 2021

Tomara que não, pois o meu gasta 1 litro a cada 4km.. deve poluir até!

Avatar
GEORGES CHRISTIAN COSTARIDIS 16 de dezembro de 2021

Não é prevista nenhuma alteração nos que estão em circulação. No máximo os nossos eficientes políticos vão acabar inventando um impostozinho safado a mais.

Avatar
Edvaldo J Silva 16 de dezembro de 2021

Eu tenho um onix 2018 tenho que mim desfazer dele ou posso continuar usando obrigado

Avatar
Elioricardo 18 de dezembro de 2021

Eu acredito que não ainda tem onix no mercado zero da versão anterior1.0 e econômico agora se polui mais não sei tem muitos modelos rodando por ai recentes o consumo e horrível pelo que entendo acredito que poluem mais a questão também está na gasolina batizada aliás nossa gasolina não é das melhores

Avatar
JOSUÉ PRADO BARBOSA 12 de dezembro de 2021

Olá Boris
Será que a indústria automobilística não seria capaz de criar um tanque de combustível que registra-se a quantidade de combustível no tanque e fizesse a leitura do que foi colocado no ao abastecer? Seria muito bom isso, pois a picaretagem está grande com o advento da eletrônica.
Obrigado e um abraço.

Avatar
Licínio Lucas Forbeck 12 de dezembro de 2021

Cada vez mais difícil fabricar no Brasil.

Avatar
Gilberto 16 de dezembro de 2021

Mais difícil ainda é comprar uma carroça por mais de cem mil reais…

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

se me permite uma correção: cada vez mais desafiador … o desafio gera novas soluções, e, como dizem os mais velhos, “areia quente faz a minhoca andar”. Não seja patriarcal com uma empresa que ganha trilhões em cima de você por centenas de anos … Já está na hora dessas empresas devolver o que tomaram da sociedade, carros realmente confortáveis a custos que podem ser pagos, e não centenas de milhares de reais por carros de plástico.

Avatar
Rodrigo Alegria 12 de dezembro de 2021

Tradução: encarecer mais ainda os veículos no Brasil…já é difícil a compra de uma carro zero, imagine depois disso

Avatar
Fernando Henrique 13 de dezembro de 2021

Enquanto tiver gente pagando terá loja vendendo, o preço do veículo no Brasil é muito pela euforia do brasileiro ter que ter um carro, se pararmos de comprar o preço despenca. Culpa total do consumidor.

Avatar
RODRIGO 18 de dezembro de 2021

EXATAMENTE! é que as pessoas preferem se individar até o talo do que andar a pé ou trabalhar de casa … a Pandemia foi um exemplo de que carros podem ser um luxo apenas …

Avatar
Leonardo Rodrigues 12 de dezembro de 2021

Lendo está matéria fica claro o motivo da super valorização dos semi novos e o recado de quem menos de 10 anos poderemos falar que moramos na Venezuela ou em Cuba….o Brasil está indo de mal a pior… Triste uma Nação com tanta riquezas naturais estar sendo saqueada pelos Governantes sem que a população possa fazer algo….

Avatar
Daniel 13 de dezembro de 2021

Leonardo Rodrigues,concordo plenamente com você

Avatar
Lidiomar Rebouças de Freitas 13 de dezembro de 2021

É só escolher melhor os governantes. Não votar em qualquer um.

Avatar
Charlton 13 de dezembro de 2021

Enquanto tiver a República vai ser sempre assim esse sistema de governo. Já está na hora de mudar de regime e voltar na era da Mornaquia onde de fato o Brasil era melhor. Veja no Vídeo do YouTube sobre a Mornaquia.

Avatar
Paul Muadib 16 de dezembro de 2021

Charlton, foi a monarquia que pungou nossas riquezas durante muito tempo.

Avatar
Fogel 24 de dezembro de 2021

Por não saber escolher os governantes, é que nos colocaram um Debilóid no poder, pior, sem qualquer qualificação para tanto.

Avatar
Luiz Adriano Bonetti 12 de dezembro de 2021

Porque esses carros vão ser descartados

Avatar
JOSE SIQUEIRA DA MATA 12 de dezembro de 2021

E quando os carros terão um dispositivo que acusa na hora de abastecer a qualidade do combustível?

Avatar
LEONARDO RODRIGUES SCARAVELLI 12 de dezembro de 2021

Nunca afinal a indústria da roubalheira e a que mais cresce no BR.

Avatar
ROOSEVELT RACHID JAUDY 12 de dezembro de 2021

EU QUERO DE VOLTA OS CARROS SEM SER ELETRONICOS, SEM ABS, SEM ARBERG, NAO PODE MAS PASSAR DE 60 POR HORA, POR CAUSA DA INDUSTRIA DE MULTA, QUANTO NAS ELETRONICO PIOR E PARA NÓS

Avatar
Cláudio Aparecido Silva 13 de dezembro de 2021

Se eu fosse essas fábricas de veículos do Brasil, eu daria o fora enquanto é tempo . Não dá pra se produzir nada nesse país de leis idiotas

Avatar
Donaldo Dagnone 15 de dezembro de 2021

As Leis estão certíssimas. Você no máximo pode morar em Uganda. Qualquer país desenvolvido tem Leis semelhantes.

Avatar
Mediador 15 de dezembro de 2021

nos anos 90, quando as importações foram abertas, chegavam carros ANOS LUZ de tecnologia.. aqui ainda se usava carburador e chegaram os com injeção eletrônica. Hoje, carros importados já estão mais do que avançados nesse quesito. O problema é que aqui, se fabricam carros com pouca tecnologia e vende como água. Pois existem consumidores aos montes para isso.. e PAGAM CARO PACAS.. Se o público brasileiro fosse mais exigente e se recusasse a comprar o que vendem, talvez, a indústria se atualizasse de forma forçada e trouxesse melhorias. mas…..

Avatar
Arnaldo 12 de dezembro de 2021

Como sempre no país da autarquia burocrática. Eles sempre arrumam um Jeito de barganhar. De qualquer forma temos carros arcaicos com preços surreais. Taxas altíssimas de impostos!

Esses órgão reguladores SÃO A PURA HIPOCRISIA AUTOMOBILÍSTICA DE UM PAÍS RETRÓGRADO!

Avatar
Lucas de Oliveira Gomes 12 de dezembro de 2021

Isso é só pra tirar mais dinheiro dos brasileiros carros elétricos dão em 20 anos mais manutenção do que a minha kombi karat que se der problema na estrada arrumo com um pedaço de arame enquanto estes tem que chamar o guincho lá se foi 700 pilas tem peças mão de obra aí vc pergunta pro mecânico quanto deu tanto aí vc diz me lasquei e só pra lascar os brasileiros

Avatar
Arnaldo 12 de dezembro de 2021

Como sempre no país da autarquia burocrática. Eles sempre arrumam um Jeito de barganhar. De qualquer forma temos carros arcaicos com preços surreais. Taxas altíssimas de impostos!

Esses órgão reguladores SÃO A PURA HIPOCRISIA AUTOMOBILÍSTICA DE UM PAÍS RETRÓGRADO!

Avatar
José Farherr 12 de dezembro de 2021

Tem muito carro que ainda vende mesmo fora das normas simplesmente por que há compradores. Modelos que deixarão de ser fabricados irão rodar mais uns 20 a 25 anos…

Avatar
Marcello 11 de dezembro de 2021

Do jeito que as coisas funcionam aqui, a vigência da lei ainda deve ser adiada umas três ou quatro vezes para dar uma sobrevida aos modelos.

Avatar
marvim10@gmail.com 15 de dezembro de 2021

Estão elitizando os veículos, usando pra isso pretextos como segurança e polução do ar, a segurança maior está na manutenção e na maneira de dirigir o veículos e não nessa monte de penduricalhos eletrônicos, que até podem ajudar, porém não são essenciais como querem fazer crer, E a um extremismo nessa questão de poluição atimosferica, e entendem isso para ária dos veiculos

Avatar
Max 11 de dezembro de 2021

DOE COMIDA,EU JA DOEI ,PESSOAS PASSANDO FOME

Avatar
Max 11 de dezembro de 2021

DOE COMIDA,EU JA DOEI,PESSOAS PASSANDO FOME

Avatar
Toyoda 11 de dezembro de 2021

ainda tem Gol VW

Avatar
Toyoda 11 de dezembro de 2021

ainda tem Gol

Avatar
Fernando Henrique 13 de dezembro de 2021

Tem, claro, fabricado aqui e vendido para o brasileiro por 50mil o gol “pelado” e da mesma fábrica do Brasil o gol completo é enviado pro México e la vendido a 30mil 🤔
Enquanto tiver gente comprando carro zero vai ter loja vendendo, oferta e demanda, viva os lucros de 400% nos veículos das concessionárias.

Avatar
Deixe um comentário