Quem matou o motociclista de Uberaba?

Desrespeito à legislação provoca acidentes, alguns somente com prejuízos financeiros... Mas outros são fatais 

travessia elevada quebra molas
Passagem elevada: falta de critério técnico coloca vidas em risco (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
30 de outubro de 2021 07:30

“No fim da tarde desta quinta-feira (21/10), a Polícia Militar registrou um acidente com vítima fatal na avenida Leopoldino de Oliveira, em frente ao supermercado Bretas. De acordo com o boletim, um motociclista, de 40 anos, perdeu o controle de direção quando passava por uma passagem elevadarecém colocada pela Prefeitura de Uberaba, e colidiu frontalmente com uma palmeira no canteiro central. Ele não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.”

Esta foi a notícia veiculada pelo Jornal da Manhã de Uberaba (MG) na semana passada. Ninguém avaliou o acidente mais detalhadamente, nem questionou a presença de uma maldita lombada (“passagem elevada”) recém-colocada naquela avenida.

Por que maldita?

Porque a “ondulação transversal” (ou lombada, ou “quebra-molas”) é uma solução simplória, perigosa e anti-ecológica de que administradores incompetentes lançam mão para reduzir a velocidade em vias públicas. Assista ao vídeo!

VEJA TAMBÉM:

Simplória pois a solução correta é a lombada eletrônica, arco metálico sobre a pista que informa ao motorista num painel digital a velocidade do veículo para conscientizá-lo de ter excedido a máxima estabelecido naquele local.

Outra solução são os radares dependurados em postes (“pardais”) que não registram a velocidade, apenas a placa do veículo que a cometeu, seguida da notificação para seu proprietário.

Administradores públicos mais criativos driblam verbas reduzidas dependurando alguns radares reais e alguns outros falsos (só a carcaça e uma luz piscando) para alertar os motoristas…

Perigosa porquê, ao obrigar o condutor do veículo a reduzir a velocidade, facilita a ação de marginais.

Antiecológica pois o motorista freia até atingi-la e volta a acelerar depois que a ultrapassa, provocando excesso de consumo e emissões.

Tem mais: condutores de ambulância relatam o desconforto de pessoas enfermas ao transpor essas ondulações.

Além destes problemas, existe outro mais grave, o sistemático desrespeito à Resolução n.600 de 24/05/2016 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece em seu artigo 6º:

“A colocação de ondulação transversal na via só será admitida se acompanhada da devida sinalização viária, constituída no mínimo de: I – Placa com o sinal R-19 – “Velocidade Máxima Permitida”, regulamentando a velocidade em 30 km/h, quando se utilizar a ondulação TIPO A, e em 20 km/h, quando se utilizar a ondulação transversal TIPO B, sempre antecedendo o dispositivo;

IV – Marcas oblíquas, inclinadas, no sentido horário, a 45º em relação à seção transversal da via, com largura mínima de 0,25m, pintadas na cor amarela e espaçadas de no máximo de 0,50 m, alternadamente, sobre o dispositivo, admitindo-se, também a pintura de toda a ondulação transversal na cor amarela, assim como a intercalada nas cores preta e amarela, no caso de pavimento que necessite de contraste mais definido, conforme desenho constante do ANEXO IV, da presente Resolução.”

Segundo a mesma resolução, as ondulações devem ser construídas com limites mínimos de comprimento (A: 3,70m ou B: 1,50m) e máximo de altura (A: 10 cm ou B: 8 cm) em função da velocidade no local.

A rigor, nem prefeituras nem departamentos estaduais ou federais de estradas obedecem estas regras e o resultado são lombadas com péssima (ou sem) sinalização e com medidas que extrapolam os limites estabelecidos pelo Contran.

Risco de batida na traseira

quebra molas irregular
Marcas de frenagem antes de quebra-molas mal-sinalizados são comuns

Pela falta de sinalização adequada, vários automóveis que reduzem a velocidade antes da lombada são atingidos na traseira pois o motorista que vem atrás não visualiza o obstáculo.

Por não perceberem a proximidade da lombada, motoristas não conseguem frear a tempo e reduzir a velocidade, e passam por ela rápidos demais, provocando avarias no veículo. Ou, pelo excesso de altura, mais frequente, esbarram a parte inferior do carro mesmo em velocidades compatíveis. Prova disso é que a maioria delas está riscada ou danificada pelos veículos.

A altura exagerada da ondulação transversal é responsável por escapamento, carter, longarinas, amortecedores e outros componentes da suspensão do automóvel avariados. E por isso chamada, não de “quebra-molas”, mas de “quebra-tudo”.

Voltando ao acidente de Uberaba, foi registrada a falta de sinalização adequada e prevista em lei. Além disso, é pouco provável que a lombada aposta ao asfalto respeite as medidas impostas, pois jamais vi ou ouvi alguma cobrança a esta resolução do Contran, por mais óbvio que seja o desrespeito às suas disposições.

Então, se o motociclista perdeu “o controle direcional” ao passar pela lombada sem sinalização, chocou-se contra uma árvore e faleceu, quem será responsabilizado por sua morte?

Haverá processo com punição dos culpados, ou será mais um dos tão corriqueiros desrespeitos à lei praticados impunemente no país?

Falo sobre essa assunto. Confira:

Você sabia que o AutoPapo também está presente em suas redes sociais favoritas? Clique e confira:

TikTok YouTube Facebook Twitter

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
25 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Anonimo 2 de novembro de 2021

Ontem olhando para um radar que limita a via a 40 km/h não vi umas das lombadas que estava com as faixas pagadas na Av. Capitão Manoel de oliveira Carvalho, Ibiuna/SP – CEP 18150-000, sentido São Paulo/SP. Só deu tempo de dar uma freada e então soltei o freio para passar por cima da lombada, deu um tranco e fez barulho, pois todas as lombadas dessa avenida se tem que passar muito devagar para não estragar a suspenção, creio que estejam fora da norma de construção, salvo melhor juízo.

Avatar
Rodolfo 31 de outubro de 2021

Por essas e outras eu deixei de dirigir moto a mais de 15 anos atrás… Vi a morte de perto por causa da distração de um motorista.
Meu irmão trabalha em hospital e todo dia tem motoqueiro que tem que amputar o pé ou a perna porque na batida destruiu o membro.

Avatar
Débora de Almeida Souza 31 de outubro de 2021

No dia do acidente eu havia passado pela lombada por volta das 12 horas não havia sinalização nenhuma a lombada não estava pintada simplesmente eu levei um susto quando eu passei do nada a lombada havia Aparecido lá coloca fizeram o serviço à noite não tinha sinalização nenhuma ele só pintaram a lombada depois do acidente depois do ocorrido provavelmente ele não deve ter visto também a lombada porque aconteceu essa Fatalidade se tivesse sido corretamente pintada avisada tem algum veículo de imprensa que teria uma lombada lá o pessoal não ia ser surpreendido desse jeito e não haveria e essa Fatalidade não teria acontecido imprudência da prefeitura que no desespero de fazer lombada ensino nem terminar deixou sem pintura para depois pintar depois do ocorrido aí pintou colocou a sinalização ,justiça para família!!!

Avatar
Gilson 30 de outubro de 2021

Onde eu moro em um trecho de 7km são 30 quebra molas,todos sem critério nenhum,tem até uma rua no meio do mato onde não tem casa e nem trânsito de pedestre e lá tem 3 ,o que acontece? Temos de quase parar o carro para passar e lógico assaltos.Quebra molas pequeno e alto,haja suspensão pra aguentar,o povo pede e os vereadores vai lá coloca essas aberacoes

Avatar
Carlos Henrique Pires Borges 30 de outubro de 2021

Alguém citou a velocidade que o motociclista estava ??
O que mais contribuiu para a tragédia (99% ) foi o excesso de velocidade que o motociclista estava. Em qualquer circunstância …qualquer obstáculo….uma pedra ….um animal….um buraco….dentre outros , seria fator direto para a tragédia acontecida.
Culpar ou julgar alguém nesse momento seria até cruel.
Não podemos crucificar um ou outro.
O que falta em todo Brasil, é o respeito e cumprimento de nossas leis de trânsito por grande parte de condutores totalmente irresponsáveis.
No caso citado, se estivesse em velocidade compatível, essa tragédia seria evitada com certeza…….

Avatar
Tiago 30 de outubro de 2021

Então nós diga Sr.Carlos Henrique Pires Borges, qual velocidade ele estava?
Já pilotou um motos Sr. Carlos?
Já sentou e segurou uma moto de 1000cc parada Sr. Carlos?
Irei afirmar ao Sr então, a 40km já é quase impossível segurar uma moto dessa após um pulo de surpresa em uma lombada.
No local do acidente era normal os veículos passarem a 60km, não existia nenhum tipo de sinalização, a lombada da cor do asfalto, impossível de ver. Outro fator, executaram a lombada horas antes da acidente ou assassinato do piloto, diversos veículos “pularam” essa maldita lombada.
Após passar “pular” essa lombada é impossível analisar ou julgar como o Sr está fazendo, o que o piloto deveria fazer, o Sr. questiona a velocidade que o piloto estava, a moto é grande e pesada, nessa hora não se tem mais o controle, e tudo pode acontecer, TUDO. Moto é totalmente diferente de carro Sr. Carlos Henrique.

Avatar
boris 1 de novembro de 2021

Carlos Henrique,
Você estaria sugerindo que, estivesse o motociclista em velocidade incompatível, condená-lo à morte seria uma punição razoável?

Avatar
carlos.henrique1507@gmail.com 1 de novembro de 2021

Irresponsabilidade no trânsito gera sérias consequências !!!!!
Quantos já perderam ou tiraram a vida por excessos descabìveis……

Avatar
José Maria dos Santos 4 de novembro de 2021

Culpar ou julgar a vítima a priori nesse momento é que é cruel e quivocado. Creio que o sr. não leu, mas o texto diz que “foi registrada a falta de sinalização adequada e prevista em lei”.

Avatar
Cleusa Moura 30 de outubro de 2021

Na minha opinião a Prefeitura deveria colocar radar em todas as ruas mais movimentadas da cidade para conter as altas velocidades desde veículos e de motoboy que fazem entregas Uber Eats, eles passam fazendo manobras entre os carros, arranham, amassam, quebram retrovisores e lanternas e fogem como se nada tivesse acontecido. Só o radar de velocidade vai conter esses absurdos que vem acorrendo.

Avatar
Célia 30 de outubro de 2021

Naquele ponto muitos motoqueiros não respeitam o sinal fechado. O pedestre muitas vezes ainda é errado e insultado por atravessar na faixa aberto p gente. Não respeitam nem a via do ônibus. Aquele ponto teria q ter uma viatura ou ponto policial p inibir ações desreipeitosa no trânsito. Não são todos os motoqueiros, mas a maioria quase atropela a gente. Isso com pessoas na garupa ,imagina sem.

Avatar
ReginaldoBatista 30 de outubro de 2021

Porque essa responsabilidades não podem ser do condutor! Se todos nós condutores tivéssemos a consciência de trânsito saudável e com segurança não precisamos de normas e barreiras físicas para reduzir velocidades! A perícia já se posicionou sobre a velocidade do motoqueiro?

Avatar
WASHINGTON 30 de outubro de 2021

Independente do acidente, esta matéria é pobre de argumentos e incoerente com a realidade da estrutura de trânsito das cidades. Decepcionado com você Boris, tomando partido de uma tragédia dessa para incitar culpa à prefeitura (digo, ao sistema) mesmo ciente da quantidade de veículos impróprios para tráfego, imprudência de condutores, violência e intolerância no trânsito, entre outros fatores tão críticos quanto a estrutura e segurança das vias.

Do mesmo modo que temos irregularidades nas vias, temos imprudência de motoristas e pedestres.

O local deste acidente é de grande fluxo de veículos e pessoas, o que já o torna um local de trânsito lento e que requer maior atenção, fatores que exigem, por iniciativa própria, velocidade reduzida por critérios de segurança.

SIMPLÓRIA? Vamos encher as cidades de equipamentos eletrônicos? Para motoristas conscientes basta apenas a placa de limite de velocidade, já para os demais, nenhum dispositivo vai resolver, já temos isso comprovado. O problema não é somente das condições estruturais de trânsito de cidades e rodovias, grande parcela dos acidentes é da irresponsabilidade e imprudência de condutores e pedestres.

PERIGOSA? Perigosos são os bandidos! Perigosos são os motoristas que não respeitam leis de trânsito nem com dispositivos de redução de velocidade e muito menos com multas. Perigos são os pedestres distraídos com seus celulares a mão enquanto desfilam pelas ruas “pois a preferência é do pedestre”. Realmente existem locais mais perigosos com relação à assaltos, não é bem o caso deste local, não será retirando as lombadas das ruas e a avenidas que resolveremos o problema dos assaltos.

ANTIECOLÓGICA? Esse foi o pior dos pobres argumentos, repito, não será retirando as lombadas que resolveremos os problemas ambientais. Com qualquer dispositivo de redução de velocidade o veículo terá que frear e acelerar novamente, gerando uma quantidade de emissão a mais tão pequena que não considero relevante frente ao objetivo da lombada.

RISCO DE BATIDA NA TRASEIRA? Piada! Também cito um problema sistemático também previsto no CTB – art. 192: ‘Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo:
Infração – grave; Penalidade – multa.’

Precisa melhorar muito, mas muito mesmo essa argumentação e escrever com imparcialidade, matérias como essa são o reflexo da nossa atualidade: sem contexto, sem argumento e com impacto muito negativo no leitor ignorante.

Contudo, em nenhum momento e em nenhuma matéria, inclusive esta de sua autoria, li ou ouvi questionamentos quanto a velocidade da motocicleta no momento do acidente.

Com relação ao acidente, sinto muito mesmo, pela vida perdida e pela perda da família!

Avatar
boris 1 de novembro de 2021

Washington,
Lamento meus fracos argumentos. E respeito os seus, entre eles o de que condenar à morte seja uma punição exemplar para quem esteja em excesso de velocidade.

Avatar
WASHINGTON 1 de novembro de 2021

Meu caro Boris, novamente me decepciono com você!

Em primeiro lugar não aleguei que o referido caso seja de excesso de velocidade, cabe à perícia apurar.

A verdade é que quem assume o risco de conduzir em alta velocidade e a irresponsabilidade de exceder a velocidade de uma via de trânsito coloca em risco a própria vida e a de terceiros. Em nenhum momento em meu comentário defendi que tal consequência seja punição exemplar, contudo, tal punição/consequência decorre do risco assumido, o qual é exponencialmente pior, na medida em que coloca vidas de terceiros também em risco.
Para se ter idéia do equívoco grotesco da matéria de sua auroria, não se trata de lombada, e sim de uma passagem elevada de pedestres, a qual, atende grande fluxo de pedestres de supermercado, unidades de atendimento ao idoso, atendimento a mulher, polícia federal, ponto de ônibus coletivo, etc.
O simples fato de haver, no local em questão, um grande fluxo de pedestres idosos, gestantes, crianças, etc, cenário que é de conhecimento geral, por si somente seria razão mais que suficiente para o condutor de veículos redobrar os cuidados ao trafegar naquele local específico, como em diversos outros do mesmo perfil. A passagem elevada ali recém construída não se trata de um “adereço público” ou um “pinduricalho” sem sentido ou objetivo, estava ali para atender a população que transita a pé no referido local justamente para conferir-lhes maior segurança e sobretudo aos vulneráveis que ali transitam, em vista do desrespeito dos condutores de veículos aos referidos pedestres.

O que é seguramente certo é que o senhor não conhece pessoalmente o local em questão, muito menos veio aferir as medidas da referida passagem elevada de pedestres.

Avatar
José Maria dos Santos 4 de novembro de 2021

Parabéns, querido Bóris! Provavelmente, os que colocam as as criminosas lombadas também pensam como este cidadão. Mesmo porque são muito mais baratos uns quilos de cimento e um balde tinta que um controle eletrônico.

Avatar
Cristina 5 de novembro de 2021

Parabéns pelas palavras..
Aqui não tem como publicar a foto da TRAVESSIA ELEVADA, sendo confeccionada com a sinalização vertical no local.
Caso queira que eu envie, gentileza me passe seu e-mail.

Avatar
Ana Costa 30 de outubro de 2021

O que me espanta é ver como as pessoas são tratadas diferentes. Nao muito tempo outro motoqueiro morreu na marcos chere, e até hoje nao vi alguem preocupado com o assassino q estava dentro do carro na contra mão.

Ou um caso menos famoso, na rua princesa do sertão con a Goiás, outro entregador foi brutalmente atingindo por uma HRV e foi deixado pra morrer, sem prestar socorro, sorte q pessoas q voltavam do serviço o socorreu e quando os PM chegaram, eles estavam preocupados em guinchar a moto, se tava em dia e não com o criminoso q cometeu uma infração ao furar o pare quase matando e deixando prejuízos físicos e financeiros ao moço da moto. A vdd é q uberabense no tem educação no trânsito, e as autoridade estão se lixando pra isso.

Avatar
Igor Soares 30 de outubro de 2021

Sou o entregador que foi atingido pelo HRV que furou o “pare”. Tive perfuração abdominal (perdi muito sangue) e fratura no tornozelo…Me deixaram pra morrer e se nao fosse pessoas passando pra ajudar, vai saber quantas horas eu iria ficar estirado no chão. Fiquei com prejuizo da moto e celular que quebrou e ainda sem poder trabalhar.
Quando ja tava dentro da ambulância, chegaram os policias perguntando se minha moto tava em dia KKKKKK… Em vez de irem atrás do criminoso, tavam “fazendo” seu serviço, querendo prender minha moto hahahaha(tem q rir p n chorar)
Enfim, acabou que n encontrei o criminoso, que por sinal tinha condições de me ajudar e aprendi que em uberaba, motoristas de carro se puderem passar por cima de você, eles vao.

Avatar
Sandra Lúcia 30 de outubro de 2021

Boa tarde! Não sou contra esse tipo de trabalho,mais faltou inteligência, cuidado com o próximo,essa lombada destruiu minha família,matou meu genro,um jovem sonhador,cheio de planos,deixou órfãos duas crianças,minha filha destruída,uma mãe acabada😢.Aquele era o caminho dele de todos os dias,cade a sinalização,faixas,guardas,desvio???? justiça seja feita

Avatar
JOAQUIM RODRIGUES DA SILVA 30 de outubro de 2021

Sandra Lúcia meus pêsames à família! Que Deus conforte você! Infelizmente poucos cidadãos tem conhecimento de seus direitos, uma vez que o CTB em seu Art. 1º responsabiliza o estado por falta de segurança nas vias. Se cada cidadão que fosse vítima de acidentes onde a responsabilidade é do estado e acionasse o mesmo, a situação mudaria. Joaquim Silva – Consultor de Trânsito – Brasília-DF.

Avatar
jo 30 de outubro de 2021

seus argumentos estao corretos, mas ha pessoas que estao em carros roubados e clonados que nao ligam pra multas – em suma, eh muita gente sem educacao e deseducada

Avatar
Andre Rocha 30 de outubro de 2021

Amigo, é inútil. Em outra matéria justamente sobre lombadas comentei, de forma mais abrangente, exatamente sobre essa falta de educação e de bom senso do brasileiro, defendendo as lombadas e pardais justamente por isso. E ainda fui chamado de tranca rua por RESPEITAR LEIS.

Avatar
Rodolfo 30 de outubro de 2021

Lamentável este caso do motoqueiro, pelo relato creio que ele pode ter tentado passar entre a lombada e a guia do canteiro central. Eu já fiz isso algumas vezes de moto e duas delas quase me dei mal:
1. Peguei acho que areia na sarjeta é perdi a a traseira da moto e subi na calçada… não lembro a velocidade, mas que susto!
2. O carona inventou de se ajeitar no banco justo na hora que fui passar ao lado da lombada… dei um chute no ar ao contrário da tendência de queda e consegui evitar o tombo.
Nessas duas situações Graças à Deus não tinha poste perto.

Avatar
Rodolfo 30 de outubro de 2021

Em complemento, tem uma frase que define bem o que é moto:
“Na moto o parachoque é você!”
Parei de dirigir moto há mais de 15 anos, pois na época quase bati feio num carro que saiu na minha frente numa avenida de noite 🌙 e com farol apagado e tinha vários carros estacionados. Tiquei tremendo uns 5 minutos e pepois desse dia a frase acima pra mim passou a fazer sentido.

Avatar
Deixe um comentário