Biogás, o combustível renovável feito de cocô de vaca

Os dejetos dos animais produzem um gás capaz de mover motores à combustão; já tem carro rodando com esse combustível por aí!

shutterstock 659176180
Por Boris Feldman
04 de maio de 2018 16:16

Você sabe o que se pode fazer com cocô de vaca, boi e outros animais? A primeira e talvez única coisa que vem à cabeça é o esterco, para ajudar nas plantações, nos jardins. Mas, existe uma outra função muito mais nobre para o cocô de vaca, que é sua utilização como matéria prima para a produção do biogás.

Todo o dejeto dos animais (inclusive do homem) produz um gás que pode ser aproveitado e industrializado, o biometano. É altamente combustível e pode ser usado para movimentar motores à combustão interna.

Nestes motores, o combustível não é injetado em estado líquido nos cilindros, mas passa antes por um processo de gaseificação. É o que ocorre com a gasolina, etanol, ou diesel: só entram no motor em forma de gás, assim como o biogás.

Assim, estes mesmos motores podem também funcionar com um combustível em estado gasoso: é o caso do gás natural veicular, o GNV, extraído do fundo da terra ou dos mares.

O biogás é produzido pelo cocô de vaca e capaz de mover motores a combustão, e já tem veículo rodando por aí com ele no Brasil.
Foto Shutterstock | Reprodução

O gás natural é considerado um combustível fóssil pois sua origem é a decomposição de corpos profundamente enterrados durante milhões de anos. Ele, em geral, é encontrado junto com o petróleo e por isso, também não é considerado renovável.

Biogás é um combustível renovável

Ele pode se originar também de aterros sanitários, formado por elementos orgânicos em decomposição e, neste caso, é chamado de biogás. Pode ser produzido a partir de qualquer resíduo agrícola (origem vegetal) ou urbano (dejetos de animais, lixo, esgoto, etc).

O biogás (ou biometano) é portanto considerado um combustível obtido a partir de fontes de energia renováveis e esta tecnologia começa a ser utilizada em maior volume no Brasil.

Por funcionar nos motores a combustão tão bem quanto o GNV, já começam a surgir nos postos as primeiras bombas do biometano. Ou seja, ninguém imagina, mas já tem carro rodando por aí movido por um combustível obtido a partir do cocô de vaca.

Você sabia que o AutoPapo também está presente em suas redes sociais favoritas? Clique e confira:

TikTok YouTube Facebook Twitter

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Rogerio leitao 12 de novembro de 2021

Bom dia Boris . Fugindo um dos assuntos anteriores a maioria dos automoveis da Fiat são mal desenhados não tem beleza nenhuma enquanto as montadoras japonesas saem na frente . A Hiunday também deixou a desejar com o novo Creta.

Avatar
chupento 4 de março de 2021

oi

Avatar
Deixe um comentário