Posso acreditar em kit de correia dentada e rolamentos?

A picaretagem subiu a linha de produção até chegar aos fornecedores, que já vendem a correia dentada junto com os rolamentos

correia dentada01 07 28 33
Por Boris Feldman
24 de setembro de 2018 19:30

A troca não precisa acontecer necessariamente junta, como sugere o kit de correia dentada que já inclui os rolamentos. A chance de ser empurroterapia é grande. Escute a explicação do Boris

[TRANSCRIÇÃO]

Pois é. Tanto fizeram que acabaram oficializando a pi-ca-re-ta-gem. Como assim? Nós já comentamos várias vezes sobre a tentativa de empurroterapia de algumas oficinas que recebem o carro para troca da correia dentada, aquela de borracha que tem prazo para troca. E, às vezes, quando arrebenta, faz um estrago no motor.

E o problema é que esta correia trabalha com um tencionador, um esticador, junto de um rolamento. E a empurroterapia é empurrar o rolamento junto com a correia, e quase sempre o rolamento ainda está em ótimas condições, não tem que ser substituído.

Mas, como o dono do carro fica, em geral, desconfiado com essa troca dupla, porque o rolamento custa mais que a correia, então alguns fabricantes de peças tiveram a cara de pau de montar um kit de correia dentada com o rolamento. Assim, se o cliente desconfia de que está sendo enganado, o mecânico corre para mostrar o kit e fala: “olha aqui, a prova de que os dois têm que ser trocados juntos”.

A picaretagem subiu a linha de produção até chegar aos fornecedores, que já vendem o kit de correia dentada junto com os rolamentos
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Jairo costa 7 de março de 2019

Tenho um gran Vitara com 64000 km devo trocar a correia dentada com 70 ou 80 mil km ?

Avatar
kleber 21 de janeiro de 2019

Esse cidadão tem muita teoria e pouca prática, o rolamento pode até durar até a próxima troca da correia, mas quem garante? Não tem como nenhum mecânico no mundo saber até quando um rolamento vai durar, por isso é feita a substituição evitando um prejuízo para o dono do automóvel. Outra coisa, a mão de obra é a mesma trocando ou não o rolamento (esticador). Lembra quando ele tambem disse que limpeza de bico era lero lero que os bicos são auto limpantes kkk. Esse senhor tem só teoria e nada de prática.

Avatar
paulo e.f. diehl 26 de setembro de 2018

em dubio pro reo , caro boris , abrçs

Avatar
Bruno 25 de setembro de 2018

Meu carro foi trocada apenas a correia, chegando proximo a segunda troca o rolamento estourou e o estrago foi grande. Prejuizo de r$3000

Avatar
Samarone 25 de setembro de 2018

Se você fizesse revisões constantes em um mecânico bom ele perceberia o rolamento roncando antes da quebra.

Avatar
Graciliano Nei Kuci 25 de setembro de 2018

Conversa sem pé nem cabeça. A troca do kit não é feita por qualquer outra consideração que não seja tempo/kilometragem. Daí alguém que sequer tem conhecimentos mecânicos fala uma asneira dessas. Creio que não sabe o estrago que causa a ruptura da correia ou do rolamento. Sem contar que a “economia” e quase nada.

Avatar
domingos 25 de setembro de 2018

Conversa desnecessária e um tanto tendenciosa. É só ver quanto custa a mão de obra para a troca separada da correia e do tensor. Ver quanto custa só a correia e só o tensor. A mão de obra para troca do kit não deve aumentar quase nada, já que o mecânico de qualquer jeito tem de desmontar tudo. Só fazer a conta e ver se da para correr o risco. Troca a correia com 60.000 Km, o tensor tá meia boca. Lá pelos 80.000 Km começa a cantar….. e você chora? Esse raciocínio é mais válido ainda que se o tensor já não for o original de fábrica.

Avatar
Samarone 25 de setembro de 2018

Você esta falando de carros básicos vendidos aos montes, tem alguns carros que o tensor custa muitas centenas de reais e a correia poucas dezenas. A manutenção preventiva em uma oficina de confiança serve pra evitar surpresas.

Avatar
Saullo Max 25 de setembro de 2018

A explicação mais plausível para ser efetuada a troca em conjunto (correia e tensor) é que, se eu troco a correia com 50.000, quem vai garantir que a vida útil do rolamento tensionador vai durar até os 100.000 dá próxima troca de correia?

Avatar
Alexandre 25 de setembro de 2018

Se o profissional faz a troca da correia na devida quilometragem por que ela ja chegou no fim de sua vida util, quem garante que o tencionador nao chegou ao fim também? Pois os dois foram instalados juntos e sofrem o mesmo tipo de contaminação, seja poeira, minerio e etc.
Na minha humilde opinião trocar correia e nao trocar o tencionador e o mesmo que tomar banho e nao lavar o suvaco.

Avatar
kleber 21 de janeiro de 2019

Concordo plenamente, esse gagá só tem teoria, lembra quando falou que limpeza de bicos era lero lero de oficina kkk, tá caducando já.

Avatar
Roberto 25 de setembro de 2018

Com certeza,apesar de um ser confeccionado de borracha e o outro ser de ferro ,isso não quer dizer que um seja melhor que o outro os dois foram instalados juntos,e ai sua vida útil tbm fica comprometida a partir da quilometragem que foi dada pelo fabricante do veículo.

Avatar
Márcio Roberto 25 de setembro de 2018

Se fosse assim teria que trocar a bomba d’água que trabalha em conjunto com a correia e tensor, na minha opinião essa regra é desnecessária ao menos que comprove folga ou ronco no rolamento, eu particularmente troco o tensor a cada 2 correias, já rodei 130mil km com o mesmo tensor sem problemas.

Avatar
Deixe um comentário