Monroe finalmente deu o braço a torcer

Depois de receber o prêmio Pinóquio de Ouro do AutoPapo, a Monroe voltou atrás no que diz respeito à durabilidade dos amortecedores

Monroe não estabelece limite de quilometragem para amortecedores
Monroe não estabelece limite de quilometragem para amortecedores (Foto: Montagem AutoPapo | Ernani Abrahão)
Por Boris Feldman
15 de outubro de 2021 07:32

Critiquei duramente a Monroe (fábrica de amortecedores) e cheguei a dedicar a ela o prêmio anual “Pinóquio de Ouro”, pela maior mentira do ano.

Por praticar a famosa “empurroterapia”, tentar enganar o mercado, publicar no seu site norte-americano uma coisa e aqui outra, induzindo à troca desnecessária do amortecedor e criado uma confusão na cabeça do consumidor.

Enquanto eu dizia, “não tem que trocar amortecedor aos 40 mil km”, oficinas e casas de peças diziam que sim, influenciadas pela recomendação suspeita da Monroe.

Eu então explicava que amortecedor não tem prazo fixo de substituição. Ele pode não aguentar sequer 10 mil km pelos trancos, estradas de terra ou esburacadas, ou pelo excesso de peso. Como pode durar mais de 100 mil km, se rodar na “maciota”, só no asfalto liso.

VEJA TAMBÉM:

Mas eu cumprimento a Monroe, por ter finalmente reconhecido o erro e não estabelecer  mais, entre suas recomendações, um limite de quilometragem para o amortecedor.

Você sabia que o AutoPapo também está presente em suas redes sociais favoritas? Clique e confira:

TikTok YouTube Facebook Twitter

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Fernando B 15 de outubro de 2021

A durabilidade do amortecedor está muito ligada à maneira de condução do motorista. Tive um Mille que rodei 99 mil km até a venda e nunca troquei. Atualmente tenho um Fiesta que passou lá 80 mil e tbm segue com os amortecedores originais. Meu percurso é maior em cidade do que em estrada. Acontece que não “saio voando” em lombada, buraco, valeta, paralelepípedo etc.

Avatar
Deixe um comentário