Placa Mercosul: a quem interessa mudar?

Mais uma mudança que vai resultar na produção de milhões de placas, peso no bolso do proprietário e crescimento no faturamento dos fabricantes

PLACA MERCOSUL PLACA DE CARRO
A alteração na placa consiste em incluir cidade e estado de origem (Fotomontagem: Amanda Borges | AutoPapo)
Por Boris Feldman
Publicado em 10/05/2024 às 18h02

Estamos vivendo mais um capítulo na desagradável novela da placa Mercosul, que  já deu muito ‘pano pra manga’. Esse tema já foi amplamente deliberado e alterado, como, por exemplo, as discussões sobre a presença do lacre ou não.

VEJA TAMBÉM:

Além disso, a facilidade da placa ser clonada, também é muito debatida. Porém, a possibilidade da placa não pertencer ao automóvel, mas sim ao motorista, ao proprietário, nunca foi levada a sério no Brasil

Agora, o que está emplacando é a ideia de modificar a placa Mercosul novamente, dessa vez incluindo cidade e estado de origem. Sabe o que isso significa?

Produzir novamente milhões dessas placas, tudo isso com o custo pesando no bolso do proprietário e o faturamento engordando o caixa dos fabricantes.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
16 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
LUIZ 15 de maio de 2024

Concordo que a placa tem de mudar. Por exemplo, separar letras dos números o que viria facilitar a memorização, dar um intervalo por grupo de caracteres, qual a razão de BR, BRASIL e bandeirinha. E aquele espação sem uso no lado direito, se não ser usado diminui-se o tamanho da placa, já que é menos material, menor custo, e menos custo para o motorista, é claro que não neste patropi. Aliás, poderiam se “inspirar” no modelo argentino.

Avatar
Polvo 13 de maio de 2024

Desnecessário ter o nome da cidade na placa Mercosul, pois já existe aplicativo para consultar tal informação.

Avatar
Flavio 12 de maio de 2024

Nós EUA, não existe lacre e nem mesmo QRcode. Muitos estados se quer tem a placa dianteira!!! Lá também não tem o nome da cidade, somente do estado! Na comunidade europeia, somente tem a inicial do país, não tem estado ou cidade, muito menos lacre. Na Argentina e no Paraguai, NUNCA teve lacre, e na Argentina, nunca teve se quer o estado, muito menos cidade! Mas na M3RD@ do Brasil, tem que ter cidade, estado, lacre, pagar relacracao, pagar taxa… Ohhh pais complicado!

Avatar
Maurilio Menandro 12 de maio de 2024

Este ex presidiário, nunca conseguiu dirigir nem carroca, esta se vingando dos proprietários de veículos automotivo

Avatar
Ronaldo 12 de maio de 2024

O amigo só pode estar brincando…. foram 125 BILHÕES investidos pelas montadoras, segundo a Anfavea. 195 mil veículos produzidos em março/2024. Fabricantes voltando ao Brasil. Empregos sendo criados.
O Presidente Lula, caso não saiba, é metalúrgico que trabalhou na indústria automotiva.
Nunca se teve tanto carro quanto na época dos seus 2 primeiros mandatos. Mas as pessoas esquecem disso quando lhes convém.
Como alguém vai “se vingar” de algo (proprietários) que se quis mesmo fomentar (através do estímulo de produção e venda de mais carros e com maior valor competitivo) ?
Vamos pensar com mais lógica e pesquisar dados reais.
Sempre lembrando que o projeto de nova mudança da placa é do Esperidião Amin, do PP/SC e não do Governo.

Avatar
Calatrava 15 de maio de 2024

O Projeto de Lei é do senador Esperidião Amin do Partido Progressista (PP) .
Sempre é bom se onfirmar, antes de escrever ou falar.

Avatar
Santiago 12 de maio de 2024

Afinal de contas, a placa-Mercosul está ou não vinculada a um banco de dados nacional??? Ao menos deveria estar!
Então pra quê incluir o nome da cidade e a sigla do estado na placa??? Ainda mais nos dias de hoje, com toda a tecnologia da informação de que dispomos!
É como se alguém propusesse que os n°s dos nossos CPFs passassem a trazer os nomes das cidades em que resídimos.
Que eu saiba, na maior parte do Mundo as placas dos veículos não têm os nomes das cidades estampados nelas.

Avatar
Cézar 11 de maio de 2024

O preço de uma placa 150,00 é algo insignificante em relação ao valor de uma transferência, que chega a custar até 800,00 em alguns estados, e não vê ninguém reclamar, são taxas do governo, todos pagam antecipado e ninguém pede desconto ou para parcelar em três vezes como acontece com as placas, os veículos depois da pandemia quase triplicaram o valor, e ninguém reclama ou comenta, este modelo de placa foi horrível para todos do seguimento, a maioria fechou, o custo dela é o triplo das placa cinzas e o valor comercializado hoje é inferior ao modelo antigo que eram comercializado a 180,00, não são os comerciantes de placas que fazem as leis, apenas são obrigado a cumprila, em todas mudanças, tendo que investir em equipamentos novos para poder atender o consumidor adequadamente, que só os enchergam como o grande vilão.

Avatar
HÉLIO SANTANA DE MELLO 11 de maio de 2024

Na verdade, nem deveria ter mudado a placa.
Isso foi coisa desse presidiário presidente que no governo dele resolveu mudar a placa pra fazer média com a Venezuela pra que fizesse parte do tal Mercosul.
Só atrapalhou.
Essa placa ridícula. Aonde batem no teu carro ou acontece um acidente. Vai encontrar aonde a cidade.
Não tem como achar . Aquele QRCODE que existe não como lei. Só órgãos de segurança consegue ler.
tentei ler porque bateram no meu carro. vou achar a pessoa aonde. com essa placa ridícula. Mercosul Brasil.
tem que mudar sim. voltar o que era.

Avatar
Ronaldo 12 de maio de 2024

Restabelecendo a verdade, a placa Mercosul começou no RJ em setembro de 2018.
Lamento informar, mas a placa foi oficializada nacionalmente em Fevereiro de 2020, durante outro tipo de governo.
É sempre importante a gente se informar bem sobre as informações que recebemos.
E só mais uma informação. O Projeto de Lei 3.214/2023, que prevê essa nova mudança, foi proposto pelo senador Esperidião Amin (PP-SC).
Boa pesquisa!

Avatar
Régis 11 de maio de 2024

A mudança, após implementada, afetará todas as mudanças de município! Comprou um carro da cidade vizinha, vai trocar a placa! É absurdo! Sempre a população paga o pato, hoje a placa Mercosul está no seu melhor formato, mas depois da mudança, será pior do que no tempo da placa cinza, onde se trocava apenas a tarjeta e o lacre, agora terá que trocar a chapa toda, muito mais caro e muito desnecessária essa mudança! Senhor senador Esperidião Amim, obrigado por impor mais uma bucha no bolso do povo! Que decepção!!!!!

Avatar
Polvo 14 de maio de 2024

Exatamente. A cada troca de munícipio, paga-se outra placa, ou seja, vai voltar o que era antes. Medida para favorecer fabricantes de placas e empresas de vistoria e prejudicar o cidadão.

Avatar
Santiago 11 de maio de 2024

Meu veículo é 2019, que peguei zero-km ainda com a placa cinza.
A única coisa boa nessa novela toda foi a não-obrigatoriedade de trocar a placa, nos casos de quem permanece com o veículo.
Do jeito que se implantou a placa-mercosul às pressas, com várias questões técnicas ainda em aberto, preferi não fazer a troca.
É inadmissível essa indefinição toda com um item tão importante de controle e de segurança.
Aonde estão os planejadores, técnicos e entendidos???

Avatar
Valmir 11 de maio de 2024

Nesse país tudo é uma pouca vergonha quem deve pagar essas placas novas é o detran que mudou as placas não o povo que já pagam um dos maiores impostos do mundo é uma vergonha.

Avatar
Alex Fontenelle 11 de maio de 2024

Olha,é deprimente ver o nível pobre de comentários….cada argumentação imbecil,onde o contexto é burrice pela falta de capacidade de raciocínio acompanhado de ressentimento político.
Existem diversos fatores os quais se faz necessário a indicação de município na placa,mas nem vale a pena discorrer pelo nível cognitivo baixo que se vê.

Avatar
Leonardo Sanches Vieira 11 de maio de 2024

Faltou dizer que a mudança atingirá SOMENTE os novos emplacamentos, e SOMENTE depois de 1 ano da promulgação da Lei. Estão fazendo tempestade em copo d’água!

Avatar
Deixe um comentário