Novo Peugeot 208 vai inovar na categoria de hatches compactos

O novo Peugeot 208, que será lançado em maio, terá o mesmo design do modelo francês. Além disso, ele terá novo motor e dispositivos eletrônicos

Por Boris Feldman17/02/20 às 06h15

A Peugeot teve sua imagem derrubada no Brasil por falta de investimentos. Ela chegou a apresentar, aqui,  o 207, modelo muito inferior ao seu irmão francês. Agora ela está fazendo o possível para reverter essa situação, inclusive através de um novo Peugeot 208.

O atual continuará sendo produzido na sua fábrica de Porto Real, no estado do Rio de Janeiro, como um modelo de entrada. Porém o novo, idêntico ao modelo francês, será produzido na Argentina e de lá importado para o Brasil com lançamento marcado para 20 de maio.

Ele terá o novo motor 1.2 turbo de 130 cavalos e vai inovar na categoria com inéditos dispositivos de segurança. Veja mais sobre o novo Peugeot 208 clicando aqui.

peugeot 208 2020 divulgacao 7f 1160x826
Lançamento da nova geração do hatch 208 foi postergado (Foto Peugeot | Divulgação)

Foto Peugeot | Divulgação

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    RICARDO AZARIAS DE CAMPOS 13 de agosto de 2020

    Venho do futuro pra dizer que a peugeot fez merda e não lançou o motor turbo….ja nasceu morto este 208…infelizmente

  • Avatar
    Flávio Antônio 19 de fevereiro de 2020

    A Peugeot fabricava um sedan e um Hatch, 402 e 308,turbo com controle de estabilidade e tração e cvt, os concorrentes não tinham , não vendeu. Investir para quê??? Tinham um pós venda horroroso. Fez um 2008, 3008 e 5008 c design e preço, não estão entre os mais vendidos.

  • Avatar
    José Eduardo 18 de fevereiro de 2020

    Acredito que além do erro com o 207, que eles ainda queriam colocar a alcunha de 207 Brasil; nome que me causou revolta e me fez buscar o SAC da Peugeot e fazer uma carta fazendo reclamação formal sobre usar o nome de meu país pra lançar um produto de segunda linha frente ao modelo europeu, o verdadeiro 207)
    Penso toda via, que além desde produto que por si só já era uma gambiarra desproporcional, ele também contribuiu por comprometer a imagem do sedã do 206 que tinha algum estilo. E isso desconsiderando a cagada que foi a traseira da hoggar, mas o pior de tudo, que não afetou a penas a Peugeot , mas toda a PSA foi o seu pós venda de péssima qualidade, inclusive com roubos de peças e serviços pessimamente realizados, falta crônica de peças de reposição entre outras falhas sérias, que a fábrica parecia fazer questão de se eximir … Hoje bons produtos ficam encalhados e tem forte desvalorização por culpa em grande parte deles próprios. PSA entende uma coisa simples: o bem automóvel no Brasil é proporcionalmente caro logo seus proprietários desejam de alguma forma se sentir amparados por que lhe fornece este bem …

  • Avatar
    andre 17 de fevereiro de 2020

    Manter modelos antigos é um erro grave.

    1. Reduz muito a venda dos novos que acabam não pegando. E ficam sem peças reposição.
    2. Demonstra falta de confiança.
    3. Falta de maturidade de Peugeot.

    Está ação faz sentido para GM que tem uma base gigante, já pra Peugeot um erro grave!

    Quer que dê certo, faz o mesmo da GM, lança o novo com mesmo preço do velho. Trabalhar um pouco com margem mais baixa pra ganhar mercado.

Avatar
Deixe um comentário