Posto desonesto? Não, motorista ignorante!

Existe tanto posto de combustível desonesto no Brasil que, em algumas ocasiões, eles acabam levando a culpa por algo que não fizeram

Tanque combustível Fiat Pulse
Tanque combustível Fiat Pulse (Foto: Fiat | Divulgação)
Por Boris Feldman
20 de janeiro de 2022 21:31

Muito dono de posto de combustível é acusado de desonesto sem motivo, mas “paga o pato” pelos colegas que realmente assaltam o freguês.

Uma das acusações improcedentes é de a bomba estar burlando o volume de combustível fornecido. Como assim?

O manual do carro diz que o tanque tem capacidade para 50 litros. Aí você encosta para abastecer com o ponteiro do combustível “lá em baixo” e a bomba registra ter fornecido 53 litros. Qual a conclusão? O dono do posto de combustível é ladrão!

Em alguns casos, pode mesmo ser a tal “bomba baixa”, que marca mais do que fornece.

Mas, nem sempre, pois estes litros a mais em alguns automóveis podem estar num longo tubo entre o bocal e o tanque propriamente dito, lá no meio do carro.

Outra explicação válida para todos os automóveis, é que o tanque tem projetado uma parte superior sem combustível, onde ficam os gases, os vapores dirigidos para o cânister, onde serão filtrados.

VEJA TAMBÉM:

Ao abastecer, o bico da mangueira desarma automaticamente quando o combustível atinge esse nível. Mas se o motorista manda encher “até a boca” e o frentista obedece, aquele espaço que deveria ficar sem combustível para acomodar os gases, é preenchido e então a culpa não é do posto, mas dele mesmo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Augusto 22 de janeiro de 2022

André,
Vc leu a matéria acima?? Acho que nao né??
Tem carro por exemplo que chega a entrar 20% de gasolina a mais do que o mencionado no manual do veiculo.
Além do mais o carro do cliente não serve de parâmetro para o INMETRO constatar se a bomba está fraudada oi não.
Para verificar se a bomba tá fraudada vc tem que fazee o teste no balde aferidor que esteja com o selo do INMETRO

Avatar
Manoel Ventura 22 de janeiro de 2022

Existem ladrões e poucos honestos, n é só a bomba baixa, porém já existem um posição do Inmetro, se n me engano, sobre vários carros q os tanques dilatam, e muito !! Vários são da Renault !

Avatar
Andre Rocha 21 de janeiro de 2022

Eu só tive problema com bomba baixa 1 única vez aqui no RJ. Mas essa foi na cara dura mesmo!!! Quando parei no posto para abastecer meu marcador apresentava 3 traços de 9 (Xsara Picasso). Cada traço representa, aproximadamente, 6 litros, o que não significa que efetivamente haviam 18 litros, mas haviam com toda a certeza entre12 litros e 18 litros. Vamos trabalhar com sei lá… 14 litros. O frentista encheu 49 litros!!! 49+14=63!!! 8 a mais do que a capacidade máxima! Não pensei 2 vezes: fotografei a bomba, fechei o tanque, acionei a polícia e fiz B.O. Vai roubar no inferno! infelizmente o máximo que aconteceu foi o posto tomar uma multa. Nunca mais voltei ali pra abastecer!

Avatar
Deixe um comentário