Rentabilidade: só vai sobrar carro caro?

Buscando maior rentabilidade, Renault engaveta projetos de modelos populares e busca investir em modelos mais caros, como os SUVs

Renault optou por investir na produção de veículos mais caros
Renault optou por investir na produção de veículos mais caros (Foto: Montagem AutoPapo | Ernani Abrahão)
Por Boris Feldman
01 de outubro de 2021 21:32

A Renault decidiu, em nível mundial, reduzir participação nos mercados e aumentar a rentabilidade no final do ano.

Esta decisão naturalmente se reflete em sua subsidiária brasileira. Que estava, por exemplo, desenvolvendo uma nova geração do sedan Logan (e do hatch Sandero) para ser lançada no Brasil dentro de dois a três anos.

Projeto engavetado: desenvolvem-se agora novos utilitários esportivos como o Duster, Captur e um outro maior que nem existe ainda: o Bigster, para sete lugares. Quase do tamanho do recém lançado Jeep Commander.

VEJA TAMBÉM:

Essa virada da Renault não difere muito de outras marcas no mundo, pois todas buscam maior rentabilidade. Mas, se todas partem para carros mais caros e rentáveis, quem vai continuar produzindo modelos mais acessíveis?

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Marcio 8 de outubro de 2021

Fico triste em saber, que as montadoras que já possuem um lucro rentável, estão preocupadas em mais lucro…
… Cadê a história: o que importa é a satisfação do cliente…
Em uma economia como a brasileira será que vender carros altamente tecnológicos e consequentemente caros, irão manter os números desejados por essas montadoras????
Possuo um Sandero automático e um Kwid, e fico triste em saber que em breve terei que mudar de montadora.

Avatar
Marcelo 4 de outubro de 2021

Com tanta montadora querendo os segmentos “mais rentáveis”, a dúvida é se haverá vendas (volumes) suficientes para que os projetos se paguem. Acho que essas montadoras generalistas terão que repensar a estratégia mais adiante.

Avatar
João 3 de outubro de 2021

É um erro das montadoras, pois o consumidor não vai identificar ou dar valor a um Renault pelo histórico de popular, mesmo que o produto seja ótimo. O consumidor exigente pega um Mercedes, BMW Audi, dependendo do preço vai micar, e não chegar a1% do mercado

Avatar
Marco Lima 2 de outubro de 2021

… os chineses…

Avatar
bruno alves vasconcelos 1 de outubro de 2021

Fiat Citroen e VW! São as unicas montadoras tradicionais especialistas em compactos q continuam investindo e que não ví partilhar deste projeto de aumentar valor e segmento dos automoveis. Ganharão novos concorrentes da China. E isto tudo evidencia a maior divisão de classes entre ricos e pobres e cada vez pior distribuição de renda.

Avatar
Jorge 1 de outubro de 2021

Muito bem observado Samarone.

Avatar
Samarone 1 de outubro de 2021

Essa futura demanda de carros mais simples e baratos, com certeza será suprida por algum fabricante Chinês.

Avatar
Deixe um comentário