CEO da Volkswagen diz ser impossível abandonar o motor a combustão

A União Europeia quer banir os motores a combustão até 2035 a favor dos elétricos, o CEO da Volkswagen considera essa meta impossível

shutterstock herbert diess ceo do grupo volkswagen
Herbert Diess afirma que não é possível atender aos prazos impostos pela União Europeia (Foto: Shutterstock)
Por Eduardo Rodrigues
27 de janeiro de 2022 10:04

Após o escândalo do Dieselgate, que manchou a imagem do grupo Volkswagen, o fabricante tenta se reerguer investindo em eletrificação. A linha ID estreou uma nova plataforma modular para elétricos e vários híbridos plug-in estão em produção.

Apesar de estar investindo pesado nos elétricos a bateria, o CEO da Volkswagen, Herbert Diess, disse para o site The Verge que será impossível aposentar o motor a combustão da forma que a União Europeia (UE) quer impor.

Já andamos nos novos elétricos da VW:

VEJA TAMBÉM:

Os desafios que a Volkswagen tem que enfrentar

O principal componente de um carro elétrico é o seu conjunto de baterias, que hoje é grande, caro e pesado. Herbert Diess diz que para ter elétricos representando por 50% das vendas do grupo até 2030, como a UE exige, seria necessário seis giga-fábricas de baterias prontas e em funcionamento até 2027 ou 2028.

Temos de comprar todas as máquinas [para as fábricas]. Temos de construir as fábricas. Temos de encontrar as localizações [para as construir]. Temos de treinar as pessoas. Temos de garantir o fornecimento e qualidade das matérias-primas. É um desafio enorme.

O executivo lembra que isso seria apenas para atender a Europa, continente onde o grupo Volkswagen representa por 20% do mercado. Essa atitude de abandonar os motores a combustão e trocá-los pela propulsão elétrica “é simplesmente impossível”, nas palavras de Herbert Diess.

Ainda existe o problema da matriz energética

volkswagen id 3 volkswagen id 4
Um carro elétrico é tão limpo quanto a energia que é usada para abastecê-lo (Foto: Volkswagen | Divulgação)

Na entrevista, Diess apresenta outro desafio para essa transição na propulsão dos veículos: “Carros elétricos só fazem sentido se a energia elétrica vir de fonte renovável.” Ele afirma que enquanto um país tiver uma matriz energética poluidora, não faz sentido vender carros elétricos lá.

O exemplo usado foi a Polônia, onde 100% da energia vem de usinas a carvão. Lá um carro elétrico seria mais “sujo” que um veículo a combustão interna. Países como a França, Áustria e Noruega são usados como exemplo, por usarem fontes renováveis como solar, eólica e nuclear.

O Brasil foi citado pelo CEO da Volkswagen

O executivo lembrou na entrevista que o grupo Volkswagen não atua apenas em regiões que incentiva os elétricos, como a Europa e os EUA. O fabricante está entre os três maiores na América Latina e segundo maior no Brasil.

Segundo Herbert Diess, o etanol brasileiro é praticamente livre de CO2 devido ao cultivo da cana de açúcar absorver as emissões de volta. Por isso, ainda não faz sentido abandonar os motores a combustão por aqui a favor dos elétricos. Em 2021 foram anunciados investimentos da VW no Brasil para desenvolver híbridos com motor flex e as células de combustível a etanol.

Outros executivos engrossam o coro

Na última semana outro CEO fez criticas às políticas de eletrificação da União Europeia. Carlos Tavares, chefe da Stellantis, afirmou que a escolha dos elétricos como “futuro” do automóvel foi uma decisão política e não do consumidor.

Essa guinada para os elétricos a bateria também foi criticada por Akio Toyoda, CEO da Toyota, e por um executivo da filial norte-americana da Honda. Os japoneses apostam nos híbridos por reduzir as emissões sem depender de baterias grandes e não exige mudanças na rotina dos motoristas.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
11 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Roberto DePaschoal 3 de fevereiro de 2022

Se conseguirmos ressuscitar um executivo da grande Kodak, irá dizer ser impossível aposentar a fotografia tradicional. O mesmo aconteceria com o da Olivetti Remington, etc. sobre máquinas de escrever, etc. Estão todas falidas. As grandes montadoras vão seguir o curso da história. Palavras do saudoso Sérgio Morchionne, antecessor de Carlos Tavares.

Avatar
Thales Viana 3 de fevereiro de 2022

Lembro de um cara que uma vez disse que computadores não precisa mais de 2 MB de ram memória.
Não seria a mesma situação

Avatar
Eugenio saverio trazzi bellini 2 de fevereiro de 2022

Energia eólica e fotovoltaica tem problemas com o meio ambiente. Bom desafio a ser vencido.

Avatar
Luiz Paulo Kenny 30 de janeiro de 2022

Entre 2005 e 2009 eu vivia falando que
As fabricantes todas deveriam se unir para criar um motor que sirva para todos os carros de todas as marcas,
Isso facilitaria a vida de toda humanidade, poderia existir um motor 1.5 turbo, de 3 cilindros, com a ventoinha do turbo acoplada no final do eixo da árvore de valvulas (dentro do bloco do motor), assim nem precisaria usar gases de escape para rodar o turbo, e assim não teria Lag, seria um carro turbo onde o eixo do turbo nunca dá problema, e o bloco do motor use Camisa de pistões rosqueavel, ou seja, em vez de os pistões pegarem diretamente no bloco esse motor usaria cilindros onde o pistão ficaria dentro, assim se o carro desgastar os cilindros não precisaria mandar para a retifica, o mecânico apenas trocaria as camisas dos pistões e os pistões, afinal de contas é mais lógico trocar apenas um pedaço de tubo metálico inginitas vezes e o motor de um carro poder ser eterno, do que um carro ter seu fim de vida decretado pela necessidade de trocar o bloco inteiro apos algumas retificas (ou pior, ja na necessidade da primeira, como acontece com o up e outros que não aceitam fazer retifica nem a primeira vez) enfim, motor com camisa de pistão substituível é o que há de melhor, inclusive seria ótimo para quem gota de preparação, pois haveria a possibilidade de ser vendidos kits de camisa, pistão, bielas e virabrequin de titânio, trasformando o motor popular num ótimo motor para receber Bi-turbo, ou simplesmente o usuário que andar mais de 200 mil km poderia ir ao mecânico e mandar trocar os pistões e camisa dos pistões ambos de metal comum à um preço mais acessível, enfim, transformando o bloco do motor em uma peça que nunca mais teria de sair do carro, somente os pistões e camisas de pistão seriam trocados, agilizando a vida dos mecânicos e a vida do dono do carro…
Alem disso, todo veículo deveria ja estar vindo de fabrica com ar condicionado que não precise de compressor, pois se a função do compressor é comrimir o gás, então porque ja não colocam a quantidade certa de jeito que o gas ja fique comprimido? E se a desculpa é de que precisa de movimento então porque não colocam um daaueles amortecedores hidraulico (só que sem oleo) para o próprio movimento do carro ja causar variação de pressão no gas do ar condicionado ja comprimido ? Seria uma boa solução para o carro não necessitar que exista o compressor de ar condicionado, ou seja, manter o gas ja comprimido e adicionar amortecedores hidráulicos (que usam mangueirasja ligados na mangueira do gas do ar condicionado, e assim causa o tal movimento de variar a todo momento a pressão do gás, enfim, se gelar metade do que os ar condicionado tradicionais de carro gelam ja seria algo ótimo, afinalum carro geladinho sem pesar o motor seria excelente (mesmo que gele menos),
O fato é que na epoca eu pedia isso, e anos depois as montadoras começaram a fazer motores 3 cilindros, só que a maioria delas fizeram motores 1.0 e não 1.5 , minha ideia era que os mesmos pistões ja existentes de carro 2.0 da epoca fosse reaproveitados, ou seja, mesmo que as montadores não quisessem se unir para todas passar a usar um mesmo motor, mas dentro de todas elas daria também para cada uma criar seu próprio motor e aproveitar o pistão de carro 2.0 que a marca ja tivesse.. ou seja, todas as marcas ja tinham bons motores 2.0, se cada marca quisesse criar seu próprio motor 3 cilindros bastaria pegar o motor 2.0 da marca e criar um novo virabrequin e arvore de valvulas para ele e elimitar o 4°cilindro, ou seja, o custo de desenvolver um motor de 3 cilindros seria mínimo, inclusive isso possibilitaria a montadora tambem vender um kit de converter carros de 4 cilindros em 3 cilindros, ou seja, além dos carros 3 cilindros poderia existir também à venda um kit de árvore e virabrequin próprio para substituir a arvore e virabrequin originais de carros 4 cilindros, e um software para mudar a programação da ignição do carro, assim o mecânico apenas trocaria a arvore e virabrequin de carros 4 cilindros e o carro passaria a ser 3 cilindros, imagine só o tanto de carros 2.0 que hoje ninguém mais quer por ser beberrão podendo todos ser reajistados para se tornarem carros 1.5 (um pouco mais econômicos ) …. imagine o Jeta 2.5 se tornando 1.5 , ja uma BMW 2.5 de 4 cilindros se tornaria um carro 1.9 de 3 cilindros (pois 2.5 / 4= 0.625 , e 0.625 x 3 = 1.875 ), nada mal neh, ainda seria potente… uma BMW 3.5 de 4 cilindros se tornaria 2.6 de 3 cilindros …
Ja quem possui um Santana 2.0 , bora, jeta, golf, polo, monza, meriva, vectra, Astra, Zafira, Cobalt, ou qualquer carro 2.0 ele se transformaria em um carro 1.5 … ou seja, ainda teria Força na Arrancada, ainda Andaria normalmente na estrada, qualquer carro desses simplesmente ficaria mais econômico, isso seria uma ótima solução para reduzir o consumo dos Carros Brasileiros (inclusive o certo seria obrigar as consessionarias que aceitam carros usados na troca terem de fazer essa conversão em todos os carros usados que pegarem de quem esta comprando carro zero e assim quando essas concessionárias forem repassar o carro usado ele ja estar convertido para ter apenas 3 cilindros, afinal as concessionárias ja lucram horrores em cima do carro usado que a pessoa deixa na troca (desvalorizam abeça o usado na troca, seria algo que não pesaria no bolso das concessionárias portanto), e só para aue fique bem claro, minha ideia de existie um kit de árvores de valvulas e virabrequin de 3 cilindros para substituir em carro de 4 cilindros seria com o comprimento sendo ainda o mesmo (para encaixar perfeito no bloco assim como a arvore original e o virabrequin originais, simplesmente com um contrapeso (em forma metalica) ja no próprio virabrequin rodando dentro do espaço vazio que vai ficar do 4° cilindro, ou seja, se motores 3 cilindros usam contrapeso para não vibrar esse kit também teria o contrapeso, só que não pra fora do bloco mas sim ja dentro e fazendo parte do próprio virabrequin (ocupando o espaço no 4° cilindro , que estara vazio e sobrando espaço), assim a conversão seria perfeita e o motor não ficaria com vibração, desse jeito as pessoas que compram carro usado 2.0 na concessionária (que oitro cliente deixou na troca) essa pessoa ja estaria pegando o carro convertido pra 3 cilindros (serviço feito pela concessionária) e portanto mesmo sendo usado mas ja estaria sendo um carro mais econômico, minha ideia original era essa, de todos os carros se tornarem 3 cilindros com o passar do tempo, não apenas os carros zero mas também os antigos, isso contribuiria grandemente para o crescimento econômico do país, pois a economia de combustível somada de toda frota de veículos seria uma economia gigantesca,

Outra coisa que pra mim nunca fez sentido é os carros elétricos ser vendidos com bateria, se uma montadora quer fazer um carro elétrico e BMW com o i3 ja provou que com um simples gerador com motor de honda biz é possível gerar energia elétrica de modo ao carro elétrico andar sem necessidade de bateria, então é óbvio que a bateria não é necessária, portanto, poderia sim existir um carro elétrico sendo vendido sem bateria (só com o gerador movido a gasolina/etanol), e portanto se a bateria representa mais de 70% do custo do carro elétrico e então o haveria o barateamento instantâneo para se fabricar carros elétricos qua do a indústria resolver fazer sem baterias (mas sim apenas com gerador ), enfim, seria ótimo inclusive, que o gerador ja fosse na frente, debaixo do capô, e não dentro do carro como acontece no BMW i3, e também seria ótimo que o gerador fosse com um motor de 20 cilindradas e não de 100 cilindradas como é o motor da honda biz, assim economizaria mais ainda o combustível, e tanto o gerador como o motor eletrico do carro poderiam ser Trifásicos, e não haveria necessidade do conversor de energia Contínua, pois ao contrário das baterias (que são energia Contínua), o gerador poderia ja ser de energia Anternada, ou seja, mais uma peça cara que não precisaria ter, e assim poderia se usar motor elétrico trifásico (que sabidamente possui mais desempenho que qualquer motor de energia Contínua), portanto um motor pequeno e um gerador pequeno praticamente do tamanho de motor de liquidificador (de uns 5 kilos) ja teria tanta força quanto grandes motores elétricos de 200 kilos que são usados no Tesla e nissan life por exemplo, assim sobraria bastante espaço debaixo do capô para colocar a roda do estepe debaixo do capô, colocar o motorzinho de scooter para tocar o gerador, e ainda sobraria espaço.. e o tanque de combustível poderia continuar onde está,

O BMW i3 quando esta sendo alimentado apenas pelo gerador à combustível ele consegue andar à 130 km/h de velocidade com a energia criada pelo gerador, sendo que o motor de 100 cilindradas que o BMW i3 usa no gerador é conhecido popularmente como motor de honda biz, ou seja, numa honda biz esse motor faz uns 60 kilometros por litro de gasolina (independente do tempo e da velocidade), portanto, numa moto, se a pessoa fizer essa distância num tempo de 1 hora, então estara fazendo na velocidade de 60 km/h , mas se quiser fazer essa distância num tempo menor a pessoa também pode correr mais e assim percorrer os mesmos 60 km de distância num tempo menor (tendo corrido em velocidade maior que 60km/h), e no fim o resultado é o mesmo, 1 litro de gasolina é gasto para se andar 60 kilometros de distância numa moto (independente de ter ido devagar ou correndo, independentemente de ter levado mais tempo para chegar la (e ter ido devagar) ou se levou menos tempo (por ter corrido), o fato é que o consumo continua sendo 1 litro de gasolina para 60 km de distância que a moto andou, ou seja, se a moto andou por 1 hora na velocidade de 60km/h e percorreu 60 km de distancia ou se ela correu a 120km/h chegando em meia hora, ou se foi na velocidade de 30km/h e levou 2 horas para chegar isso não importa, há algo de interessante nas motos, que é essa proporção de consumo de litros de combustível se manter a mesma pra uma mesma distância independente do tempo ou velocidade, parece que a razão do tempo é inversamente proporcional a da velocidade neste caso, mas nesse motor sendo usado como gerador no BMWi3 o que se vê é o carro podendo andar à 130km/h com giro baixo ( o que numa moto poderia equivaler à moto andar à 10km ou 15h por hora em segunda ou terceira marcha, portanto, na conta da proporcionalidade uma moto levaria 4 horas andando à 15km/h para cumprir os 60 km de distância e gastar 1 litro de combustível… ou seja… a moto levaria 4 horas ligada em marcha lenta paragastar 1 litro, e isso dando a ela a capacidade de andar à 15 km/h … ja no carro sendo usado como gerador esse mesmo motorzinho também na marcha lenta é capaz de girar o gerador e gerar energia suficiente para proporcionar o carro andar na verdade de 130km/h …. portanto com esse motorzinho provavelmente o carro tem a autonomia de gastar mais ou menos 1 litro de gasolina por hora (o mesmo que uma moto em marcha lenta) ao usar esse motorzinho como gerador, só que com a vantagem de poder andar à 130km/h dentro desse consumo (enquanto a moto em marcha lenta tendo esse mesmo consumo a moto só co seguiria andar à 15km/h … portanto logo de cara é notavel que usar o motorzinho de scooter como gerador é mais eficiente que usar ele para tocar algo que tenha peso maior que o gerador ( ou seja, tocar o gerador é mais leve que tocar o peso da moto ), e é aí que está o segredo, a energia Alternada Trifasica extende o tempo em 3, ou seja, naturalmente os intervalos de tempo que o gerador de energia alternada inclui na energia alternada faz com que o gerador seja 3 vezes mais leve de ser
Girado que um gerador de energia continua, e o motorzinho da scooter trabalha mais leve, o que possibilitou a bmw usar uma relação de engrenagens que faz o gerador girar bem mais e o motorzinho ainda ser capaz de girar, por isso que o carro anda mais, é porque o gerador gira mais também, gerando energia a mais e dando ao motor do carro a capacidade de andar na velocidade de 130km/h .. ou seja, não tem nenhuma mágica, é apenas o efeito do uso de engrenagens para o gerador girar mais enquanto o motorzinho de scooter se mantem no mesmo giro, portanto aproveitando melhor o torque, e se beneficiando completamente dp fato de o intervalo de tempo deixar o gerador de energia Alternada 3 vezes mais leve para girar… portanto a BMW ja expremeu o desempenho desse gerador ao maximo, o consumo de combustível dele é o mesmo de uma moto em marcha lenta, sendo que a cada 4 horas consome 1 litro de gasolina, permitindo o carro andar em qualquer velocidade entre zero e 130km/h durante essas 4 horas que leva para gastar 1 litro de combustível… enfim, se comparado à um carro à combustível tradicional esse método é superior, afinal de contas 130 km/h em 4 horas dá 520 km de distância que dá pra ser percorrido gastando apenas 1 litro de gasolina, isso é otimo , isso é realmente muito bom, num carro tradicional (que faça 10 km/h seria necessário 52 litros, contra 1 unico litro que o BMW i3 poderia gastar para essa mesma distância quando usa o gerador ), só que a BMW não deixa o motorzinho na lenta , e não usa engrenagem que aumente o giro do gerador para aproveitar todo o torque, então o BMW i3 anda um pouco menos) … enfim, mas ainda sim é notavel como o uso do gerador movido a gasolina para carro elétrico é superior à carros tradicionais, … portanto, basta outras marcas de carro criarem carros elétricos assim (com gerador à combustível), e não incluir baterias, que o custo da produção vai cair e os elétricos poderão se popularizar, a proporção de economia de combustível é notavel, são mais de 50 litros gastos num carro tradicional para percorrer a distância que o carro elétrico com gerador também percorre consumindo um único litro, ou seja, são mais de 50 vezes de economia, só que as montadoras preferem não fazer assim, para não deixar claro o tamanho da economia, e também porque o custo da energia elétrica cobrada pelas empresas de energia é um preço caro demais, o que deixa a economia de dinheiro para carros elétricos um pouco mais perto dos carros tradicionais, ou seja, a incrível diferença de o elétrico movido a gerador ser mais de 50 vezes mais econômico isso fica ofuscsdo quando o carro usa baterias e a energia elétrica cista caro de modo a deixar o carro sendo apenas o 2 ou 3 vezes mais econômico… e como as baterias deixam o carro caro então meio que não compensa comprar o carro elétrico, afinal a diferença de preço para o carro tradicional ja seria o dinheiro usado para colocar gasolina e ja poder andar … enfim, criaram o fantasma do carro caro que quase ninguém compra justamente por conta de usar baterias, enquanto existe a alternativa de usar só o gerador (e não usar baterias) de modo a que financeiramente a economia fica em mais de 50 vezes, economia comparando litros e kilometros que se anda, não economia comparando dinheiro que se paga, ou seja, economia real, e não uma economia camuflada pela dificuldade de se calcular o custo da energia elétrica cobrada pelas empresas de energia elétrica, enfim, é notavel a superioridade do carro elétrico movido a gerador a combustão do que com baterias (por conta do custo das baterias e custo para recarregar, fora que com o gerador a combustão não é necessário parar o carro e esperar carregar a bateria , essa é a grande vantagem, e também porque o motor elétrico vai sempre entregar força maxima, ja que não terá baterias descarregando e ficando mais fracas em momento algum, ao contrário, tem é o gerador sempre entregando energia macima o tempo todo e portanto o motor elétrico ganharia confiança de nunca estar mais fraco em momento algum, e para correr mais de 130 km/h a solução seria acelerar o motorzinho de scooter para girar mais e assim o gerador também girar mais e assim gerar mais energia, ou colocar um cambio CVT nele, enfim… e o fato é que a BMW exagerou ao usar motorzinho de scooter de 100 cilindradas… um de 20 cilindradas provavelmente dá conta de entregar o torque necessário e ainda economizar 5 x mais… entao provavelmente os 520 km de distância por litro poderia saltar para mais de 2.500 km por litro, o que daria distâncias surreais em carros com tanque de 60 litros (seriam 31.200 km de autonomia) é por isso que nos filmes Americanos de uma humanicade vivendo centenas ou milhares de anos à frente sempre tem carros tradicionais ( masconvertidos em elétricos mas ainda com gerador à combustível, fazendo barulho de motor ligado, e andam o filmes inteiro sem por gasolina e os críticos de cinema não falam nada, pois imaginam que esses carros do futuro usam essa tecnologia, e sendo carros convertidos ainda usam até o cano de descarga original do carro e faz barulho de motor tradicional por realmente ter o motorzinho de scooter lá ligado

Avatar
Pedro Lopes dos Santos 1 de fevereiro de 2022

Gostei da ideia… em outras palavras. Você foi sensacional.

Avatar
Roberto DePaschoal 3 de fevereiro de 2022

O motor a explosão está condenado à morte desde antes do Modelo T…punto e basta. Mesmo que queime H2 verde ou qualquer outro elemento.

Avatar
Não interessa 30 de janeiro de 2022

Claro. O valor dos veículos custando os pentelhos …

Avatar
Gustavo 29 de janeiro de 2022

O homem tá certo. A maior parte da energia do planeta vem da geração suja e querem fazer o povo pensar q o carro eletrico vai solucionar os problemas da poluição mundial. O híbrido é a melhor solução para tudo. Em que lixeira vou colocar a bateria do carro qdo ela não carregar mais? Quem vai reciclar ecologicamente elas? A grande maioria das baterias atuais que são extremamente menores não tem um descarte correto, então imagina estas enormes q são usadas nestes carros. Puro marketing e política.

Avatar
Renan 29 de janeiro de 2022

Já que não abandona motor a combustão poderia abandonar aquele painel ultrapassado que usa em todos os carros, poderia abandonar o único design de frente também, já que ninguém sabe diferenciar os carros

Avatar
Rubem 27 de janeiro de 2022

TESLA AGRADECE! Vai fazer a festa.

Avatar
IVAN VASCONCELLOS 27 de janeiro de 2022

É, parece que tá começando a “cair a ficha”. 😉 😉

Avatar
Deixe um comentário