Confirmado: Ford Everest será feito na Argentina e vem para o Brasil

Fonte da Ford argentina confirma, com exclusividade ao AutoPapo, a produção do SUV Everest na planta de Coronel Pacheco

ford everest titanium 4wd vermelho frente trilha com lama
Apresentado em março deste ano, terceira geração do Ford Everest compartilha estilo e componentes da nova Ranger (Fotos: Ford | Divulgação)
Por Marcelo Jabulas
07 de julho de 2022 12:03

Desde seu lançamento em 2015, que muito se especula se o SUV Everest poderia vir a aportar por aqui. Mas agora é para valer, segundo uma fonte da filial argentina, que revelou ao AutoPapo com exclusividade.

Derivado da Ranger, a Ford lançou a segunda geração (isso mesmo, ele é feito na índia desde 2003) do utilitário, que é oferecido em vários mercados asiáticos e africanos. Assim, sua chegada na América do Sul era mais que natural, uma vez a Ford produz a Ranger na Argentina e os dois compartilham chassi, componentes e até mesmo o visual frontal, mas nada aconteceu.

VEJA MAIS:

No entanto, desde março deste ano, muito tem se especulado que a nova geração do Everest poderia ser feita na planta de Coronel Pacheco, na região metropolitana de Buenos Aires. O Autos Segredos foi um dos primeiros portais a levantar a bola de que o carro chegaria em até 2024.

Everest e Ranger

Segundo nossa fonte, o modelo está confirmado para o mercado latino. Ele chegará praticamente de mãos dadas com a nova geração da Ranger. O modelo irá concorrer no abastado segmento de SUVs derivados de picapes, onde figuram modelos como Chevrolet Trailblazer, Toyota SW4 e Mitsubishi Pajero Sport.

ford everest titanium cinza traseira parado campo
Everest segue a receita dos SUVs derivados de picape, como SW4 e Trailblazer

Tanto na Tailândia quanto na África do Sul, a produção do novo Everest terá início este ano. Em Pacheco deve demorar um pouco mais. Isso porque, na África e na Ásia, a nova Ranger já é produzida, enquanto que, em Pacheco, ainda se monta a geração de lançada em 2012. Assim, primeiro chegará a picape e na sequência o jipão. Afinal, a caminhonete é o carro chefe da marca deste lado de baixo do Equador.

Motorização do SUV

Por hora, o que se sabe é que o Everest será feito na Argentina e, consequentemente, será vendido no Brasil. Ainda é cedo para especular sobre motores. No entanto, do outro lado do Atlântico o SUV conta com duas opções EcoBlue 2.0 turbodiesel, assim como um V6 turbodiesel 3.0 e uma opção 2.3 a gasolina. A versão topo de linha conta com transmissão de 10 marchas, além da conhecida caixa de seis velocidades, que equipa as versões mais modestas.

ford everest titanium cinza lateral parado campo
Lá fora, o câmbio é automático de 10 marchas, mas ele poderá repetir motorização da Ranger atual

Já o Everest portenho poderia vir equipado com a gama de motores que consta na prateleira de Pacheco, como o bloco turbodiesel 2.2 de 160 cv e 39,3 kgfm de torque e também a unidade 3.2 de 200 cv e 47,9 kgfm de torque. Ambos seriam combinados com transmissão de seis velocidades e opção de tração 4×4. No entanto, com a chegada de uma nova geração da Ranger, pode ser que a Ford resolva atualizar sua linha de motores, que também serviriam ao Everest.

Conteúdos do Ford

Esse fordão segue a receita dos SUVs derivados de picapes. Ele conta com opção com sete lugares, tal como seus futuros rivais locais. No entanto, o SUV se destaca pelas modernidades do painel, como quadro de instrumentos digital, multimídia vertical (como na Fiat Toro). Ele ainda oferece assistentes de condução, sistema de conectividade e assistência remota, teto solar panorâmico, climatização digital, carregador por indução, freio de estacionamento eletrônico e tudo mais que se espera de um jipão que, se fosse lançado hoje, não custaria menos de R$ 380 mil.

ford everest titanium interior painel
O painel é similar ao da nova Ranger, trazendo as telas como destaque

Visual do Everest

O Ford Everest tem estilo quadradão, que toma de empréstimo a linha de design atual das picapes Ford, como Maverick, F-150 e claro, a Ranger. Os faróis tipo ferradura contam com moldura que apoia a logo. Lateralmente, por usar chassi destacado da carroceria, o SUV tem vão livre elevado. Nota-se que os estribos estão praticamente na mesma linha dos cubos de roda. A traseira tem lanternas elevadas, com moldura que une as duas peças de sinalização. O estilo lembra um Jeep Grand Cherokee, mas com emblema Ford.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
6 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Zilton Silva Ribeiro 8 de julho de 2022

Carros Ford,carros bons, já possuí cinco carros Ford, que venha o Everest!

Avatar
Rfr 8 de julho de 2022

Pode ficar lá na Argentina mesmo aqui no Brasil não vai vender nada assim como os outros bronco ,territory e Maverick que é maravilhosa investem em um país que tá quebrado e sai do país que gera lucro principalmente com a venda de ranger ,eu tenho um Focus manual carro maravilhoso mas nunca mais quero Ford na minha vida

Avatar
Marcos A.Ritzel 10 de julho de 2022

A Maverick está vendendo muito bem, tanto que,no lançamento vendeu o lote de 200 unidades em menos de 48 horas. E, a Bronco Sport é a líder de vendas no seu segmento onde estão o Jeep Wrangler e, a Discovery Sport.
A Ford Maverick Lariat FX4 2022 não concorre com a VW Saveiro e, nem a Ford Bronco Sport 2022 com a Nissan Kicks. São nichos de mercados distintos.

Avatar
RFC 10 de julho de 2022

Concordo plenamente com sua opinião, depois do que fizeram com os brasileiros e se tivéssemos um mínimo de sentimento patriota , nunca mais compraríamos carros desta marca.

Avatar
Diego 8 de julho de 2022

Tem reportagem que ainda insiste na motorização 2.2 e 3.2, como essa. Esses motores já estão na rota da morte, já ficaram no passado. A Ranger irá utilizar aqui as versões Ecoblue e V6, assim como a Transit, que vem do Uruguai e já utiliza o Ecoblue. E, particularmente, acredito que todas as fabricantes estão fazendo contas para viabilizar os motores a gasolina, já que o diesel dever ficar permanentemente mais caro que a gasolina.

Avatar
Leandro Carvalho 7 de julho de 2022

O Everest segue a proposta inicial da Explorer que deixou de ser uma derivada da Ranger…

Avatar
Deixe um comentário