Nova lei promete facilitar a manutenção de veículos fora das autorizadas

Fabricantes estão tornando impossível de realizar a manutenção fora das autorizadas, essa lei aprovada nos EUA quer por um fim nesse monopólio

john deere colheitadadeira serie t e 7250r tabalahndo em um campo
A John Deere fez que suas máquinas pudessem ser reparadas apenas por mecânicos autorizados, isso causou prejuízos para os fazendeiros (Foto: John Deere | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
04 de fevereiro de 2022 16:03

É normal os avisos de perda de garantia de um produto caso a manutenção não seja feita por uma autorizada. Mas com máquinas agrícolas e outros produtos está acontecendo dos fabricantes simplesmente tornar impossível de um proprietário consertar o produto por conta própria. Seja por obsolescência programada, seja por exigir ferramentas específicas.

Isso fez o movimento right to repair (direito de reparar) ser criado nos EUA, motivado por motoristas e fazendeiros. O maquinário agrícola é algo essencial para os ganhos de um fazendeiro. Uma máquina parada pode causar prejuízos que chegam a perda de toda uma colheita.

VEJA TAMBÉM:

E a tecnologia é algo importante nessa área, máquinas e tratores modernos são mais eficientes e ajudam nos lucros do fazendeiro. Até a hora que um problema aparece. O fabricante John Deere fez que suas máquinas pudessem ser reparadas apenas por mecânicos autorizados e com as ferramentas da fábrica.

Para um fazendeiro isso se traduz em prejuízo, pois a máquina fica parada no campo esperando o técnico chegar. Até mesmo reparos simples que poderiam ser feitos com pouco esforço são impossibilitados. E se conseguir burlar o software, corre o risco de ser processado pela John Deere.

john deere s770i interior painel com comandos
A tecnologia ajudou no campo, mas trouxe dores de cabeça na hora de fazer a manutenção (Foto: John Deere | Divulgação)

Lei sobre manutenção sendo aprovada pelo senado dos EUA

Uma lei foi apresentada no senado dos EUA garantindo o direito de lojas independentes e dos proprietários de consertarem seus veículos, máquinas e produtos sem sofrerem retaliação de fabricantes.

Essa lei recebeu o apoio do presidente Joe Biden, que criticou a falta de liberdade dos consumidores na hora de repara seus produtos. A ideia da lei é permitir que qualquer um possa comprar scanners, ferramentas e outros itens específicos para reparar algo, tirando o monopólio dos fabricantes na área de manutenção.

Grandes corporações lutam contra essa lei, dentre elas inclui a Apple, a Microsoft, a John Deere e a AT&T se posicionaram contra essa lei, mas  sem sucesso. No Brasil o movimento right to repair foca em eletrônicos como celulares e notebooks, área onde muitos consumidores são reféns dos valores altos das autorizadas.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Marcio 6 de fevereiro de 2022

Criam dificuldades para vender facilidades a preço de ouro. Oportunistas sem escrúpulos

Avatar
Hélio 6 de fevereiro de 2022

A princípio sou favorável a esse projeto, desde que firmado por gente séria. Moro numa cidade onde a Ford não existe mais, e, então tenho que rodar entre 20 e 49 quilômetros para um atendimento e não perder a garantia. De repente, poderei retirar o veículo mídia seguinte. Também com outras marcas, visto que na cidade existem somente 3 concessionárias.

Avatar
Deixe um comentário