Renault vai preservar último Sandero RS produzido em acervo histórico

Modelo se juntará a outros 15 veículos da coleção da multinacional: ao todo, esportivo teve mais de 4.600 unidades fabricadas

renault sandero rs vermelho de frente ultima unidade produzida no brasil com kit rs finale
Esportivo se destacou pela dirigibilidade afiada (Foto: Renault | Divulgação)
Por AutoPapo
21 de fevereiro de 2022 19:06

O Sandero RS saiu de linha, mas não foi esquecido pela Renault. A empresa incorporou a última unidade do modelo produzida no Brasil ao acervo histórico mantido no complexo industrial Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR). O veículo exibe o kit “R.S. Finale”, que inclui a plaqueta 100/100 no console central, que o certifica como o derradeiro fabricado no país.

VEJA TAMBÉM:

Assim, o último Sandero RS se junta aos outros 15 veículos do acervo histórico da Renault, que são expostos de maneira rotativa nas quatro fábricas e na recepção principal do complexo Ayrton Senna. A coleção conta com diferentes modelos, sendo que nem todos são nacionais: há carros-conceito e até um bólido de Fórmula 1, entre outros. Segundo a multinacional, o objetivo é preservar diferentes momentos e nuances da história da marca.

Lançado em 2015, o Renault Sandero RS chegou ao mercado com o objetivo de ser um esportivo acessível. Dentro desse segmento, o modelo ainda é o mais em conta à venda no Brasil: as últimas unidades, que ainda estão no estoque das concessionárias, têm preço sugerido de R$ 99.290. Para efeito de comparação, o Volkswagen Polo GTS, único concorrente direto, custa R$ 141.975.

Breve histórico do Renault Sandero RS

O Sandero RS foi desenvolvido pela Renault Sport, em conjunto com as equipes de design e engenharia da América Latina. A receita inclui 2.0 de aspiração natural – capaz de gerar 150 cv de potência com etanol e 145 cv com gasolina, além de 20,9 kgfm de torque com o primeiro combustível e de 20,2 kgfm com o segundo -, câmbio manual com seis marchas de relações curtas e suspensão preparada.

Em 2019, o esportivo passou por uma reestilização, mas manteve o conjunto mecânico. De acordo com a Renault, a produção do Sandero RS no Brasil contabilizou mais de 4.600 unidades. Esse número inclui as séries limitadas Racing Spirit, de 2017, e as 100 últimas unidades, todas equipadas com o “R.S. Finale”: além da plaqueta numerada, esses veículos trazem itens como pôster, boné, chaveiro, squeeze e carteira.

Com o fim do Renault Sandero RS, mercado brasileiro passa a ter pouquíssimas opções de carros esportivos. Boris Feldman comenta em vídeo!

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Sir.Alves 21 de fevereiro de 2022

Um Sandero que destoa muito dos outros, suspensão, freio, bancos.. é outro carro, pra melhor claro. Só leva o nome Sandero pela casca, por que é outro carro.

Avatar
Deixe um comentário