Toyota ignora solenemente os carros elétricos em folheto para crianças

Material distribuído em escolas do Japão discorre sobre o futuro da mobilidade; fabricante é um dos que menos investiu em eletrificação

folheto da toyota ignora carros eletricos
Material cita apenas veículos híbridos e a célula de hidrogênio (Imagem: observador.pt | Reprodução)
Por AutoPapo
19 de novembro de 2021 10:04

Um folheto distribuído em escolas infantis têm causado polêmica no Japão. Não devido ao quê o material diz, e sim pelo quê ele deixa de dizer: é que o impresso, confeccionado pela Toyota, fala sobre o futuro da mobilidade, mas sequer menciona os carros elétricos. Os modelos mais amigos do meio ambiente, segundo a publicação, são o Mirai, que utiliza a tecnologia de célula de combustível, e o Prius, que é híbrido.

VEJA TAMBÉM:

Quem chamou a atenção para a (falta de) conteúdo do panfleto foi o pai de um dos alunos. Mas o caso acabou ganhando notoriedade porque a Toyota é um dos fabricantes de veículos que menos investiu em carros elétricos nos últimos anos. A marca japonesa investe pesado é nos híbridos, que mesclam motores elétricos e a combustão, e nos veículos a hidrogênio, com tecnologia de célula de combustível.

Porém, vale lembrar que esses modelos têm propulsão elétrica: a diferença é que, em vez de necessitarem de recargas em tomadas e de baterias, eles produzem a própria eletricidade a partir do hidrogênio, por meio de reações químicas.

Foi só recentemente recentemente que a Toyota entrou no segmento dos carros elétricos tradicionais com o bZ4X. Ele utiliza baterias que, segundo o fabricante, têm vida útil mínima de 10 anos. O modelo será produzido no Japão e chegará ao mercado global em 2022: por enquanto, ainda está na fase de protótipo.

Por que panfleto da Toyota ignorou carros elétricos?

Não está claro se a Toyota ignorou os carros elétricos no tal folheto devido aos citados interesses comerciais ou se a questão foi apenas cultural. É que a empresa adota estratégias de marketing totalmente distintas para os mercados doméstico e mundial. Isso porque o Japão tem uma sociedade bastante particular.

O país é tão conservador que, apesar do alto poder aquisitivo da população e do desenvolvimento tecnológico, ainda apostará no motor a combustão por mais algum tempo. Enquanto algumas nações da Europa vão banir os veículos que emitem gases poluentes em 2030, o Japão permitirá a produção de híbridos até, pelo menos, 2035. As informações são do site Observador.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Thales 20 de janeiro de 2022

Acho um baita erro por parte da toyota investir em hidrogenio, visto que pra se obter o produto demanda quantidades absurdas de energia elétrica.
Se a razão é focar no meio ambiente essa estrategia tá bastante equivocada…

Avatar
Santiago 20 de novembro de 2021

Concordo com a Toyota!
Acredito que os híbridos e os fell-cell, bem como os e-powers, sejam muito mais amigáveis com o meio ambiente – especialmente se utilizarem combustiveis renováveis.
Os veículos movidos a bateria têm ainda muitas incógnitas e limitações, já amplamente debatidas, relativas à sustentabilidade e ao meio ambiente. Afinal tratar-se-ia de uma frota futura com milhões e milhões de automóveis demandando constantes recargas de eletricidade.

Avatar
Deixe um comentário