Toyota, Nissan e Renault paralisam produção de carros no Brasil

Agravamento da pandemia e pressão dos sindicatos levaram as empresas a suspenderem as atividades por algum tempo

Por AutoPapo 26/03/21 às 10h07
fabrica da nissan em resende
Atividades da Nissan voltarão ao normal no dia 12 de abril (Foto: Nissan | Divulgação)

O AutoPapo tem noticiado com alguma frequência que fabricantes de automóveis têm paralisado a produção de carros no Brasil. Desta vez, Toyota, Renault e Nissan anunciaram a suspensão da atividade por tempo determinado. Entenda como funcionará a medida que visa contribuir com o isolamento social.

LEIA MAIS

Em nota, a Toyota informou que tomou a decisão, em conjunto com os sindicatos locais, com o objetivo contribuir com a redução de circulação de pessoas no momento mais crítico da pandemia do novo coronavírus. A suspensão da produção de carros da japonesa terá início na próxima segunda-feira, dia 29 de março.

As plantas da Toyota em São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz têm retorno previsto para o dia 05 de abril, enquanto a unidade de Indaiatuba retornará no dia 06 de abril.

A Renault, por sua vez, explicou que irá suspender a produção na fábrica de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, também a partir de segunda-feira (29). A produção de carros da francesa voltará à normalidade no dia 5 de abril. A decisão atinge cerca de 5 mil funcionários.

O objetivo, segundo a Renault, é contribuir com o isolamento social. A decisão foi alinhada com o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, que já havia solicitado a medida.

Por meio de comunicado à imprensa, a Nissan declarou uma pausa de duas semanas para a equipe de funcionários da fábrica em Resende (RJ). A empresa concederá férias coletivas aos colaboradores entre os dias 26 de março até 12 de abril, medida similar à adotada pela Mercedes, que dispensará os trabalhadores até o dia 05 de abril e, posteriormente, dará férias para grupos alternados, diminuindo a quantidade de funcionários dentro da fábrica.

“O pessoal está bastante preocupado, a maioria já perdeu parentes, amigos, inclusive colegas de trabalho”, declarou Max Pinho, coordenador do comitê sindical na Mercedes-Benz, ao justificar a pausa na produção.

0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário