Volkswagen paralisa fábrica devido à crise dos semicondutores

Empresa concederá férias coletivas para os funcionários da unidade industrial São Bernardo do Campo a partir do próximo dia 9

nivus em producao na fabrica volkswagen anchieta
Fábrica de Anchieta produz cerca de 800 veículos por dia (Foto: Volkswagen | Divulgação)
Por AutoPapo
04 de maio de 2022 20:02
*Com informações da Agência Brasil

A crise global de semicondutores ainda gera reflexos para a indústria automobilística. A Volkswagen está entre as afetadas pelo desabastecimento e,  partir do dia 9 de maio, concederá 20 dias de férias coletivas para os funcionários dois turnos da fábrica de Anchieta, em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo.

VEJA TAMBÉM:

Apesar de a multinacional não informar o número de funcionários envolvidos, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo diz que serão cerca de 2,5 mil trabalhadores. Atualmente a fábrica de Anchieta produz cerca de 800 veículos Volkswagen por dia. No último mês de março, a empresa já havia suspenso as atividades na unidade do ABC paulista devido à escassez de chips.

O coordenador-geral da representação do sindicato na Volkswagen, José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho, destacou o acordo firmado entre o sindicato e a direção da fábrica que garante previsibilidade em situações de crise.

“Estamos usando todas as ferramentas de flexibilidade discutidas no acordo firmado pelo sindicato. Esse acordo abrange momentos bons e ruins para atravessar crises como essa. O acordo dá previsibilidade tanto para a fábrica como para os trabalhadores e certa tranquilidade para atravessar momentos como este”, afirmou Bigodinho.

Ele reforçou ainda que a situação é semelhante ao que está acontecendo em outras fábricas e que há demanda de produção, mas a escassez de peças inviabiliza o atendimento. “Estamos na expectativa da retomada o mais breve possível”, concluiu.

Fábrica da Volkswagen não é a única afetada

Em março e abril a Mercedes-Benz também colocou trabalhadores da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) em férias coletivas, devido à falta de componentes eletrônicos. Os funcionários ficaram fora da unidade entre 14 e 25 de março e de 18 de abril a 3 de maio. O sindicato informou que, em março, 1.200 trabalhadores foram afetados pela medida e, em abril, 5.000.

Volkswagen tirou vários carros de linha nos últimos anos e, em 2022, será a vez de Gol e Voyage: Boris Feldman explica o motivo em vídeo!

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Rodrigo MARTINIANO 5 de maio de 2022

NOTA:
“… No último mês de março, a empresa já havia SUSPENDIDO as atividades na unidade do ABC paulista devido à escassez de chips.”.

Avatar
Antonio Pereira 4 de maio de 2022

Renault, Peugeot, Citroen, Jeep, Caoa e Fiat com tudo normal, a propósito Fiat vendendo carro como pão quente pela manhã e só a Volkswagem, Toyota e Honda que vem com essa conversa fiada?
Como diz os mais novos “tá metendo o Loko” para a linha, tira equipamentos e cobra mais caro por isso.
Volkswagem sendo Volkswagem, nada de anormal.

Passar bem!

Avatar
Deixe um comentário