Harley-Davidson chuta o balde e levanta poeira com a Pan America 1250

Primeira big trail da marca chega com motor V2 de 152 cv, muita eletrônica e, na versão Special, suspensão semiativa e outras mordomias

Por Teo Mascarenhas 23/03/21 às 08h56
harley davidson pan america 1250 11
A Harley-Davidson Pan America 1250 deve desembarcar no Brasil em 2022 (Harley-Davidson | Divulgação)

Conhecida por seus clássicos modelos estradeiros de grande porte, a Harley-Davidson “chutou o balde” em uma guinada que levantou poeira, lançando sua primeira big trail batizada de Pan America 1250 em duas versões. Ambas com o inédito motor Revolution Max de 1.252 cm3, equipado com arrefecimento líquido e comando de válvulas variável, que conservou a tradicional arquitetura de dois cilindros em V, porém, com inclinação de 60 graus.

As versões Standard e Special se diferenciam no emprego da eletrônica: suspensão semiativa e recursos de assistência à pilotagem adicionais vês apenas na Special. O visual também chutou o balde, mas é quase idêntico para as duas,com uma exótica carenagem frontal que abriga o conjunto óptico, com farol retangular horizontal, composto por uma bateria de LEDs.

VEJA TAMBÉM:

A Pan America 1250, ainda como protótipo, apareceu em 2018, dentro do programa de expansão da marca, chamado de New Roads, ou novos caminhos. O planejamento visava lançar diferentes modelos com o tecnológico motor Revolution Max e suas variações. Porém, a estratégia global mudou junto com novas diretrizes internas.

O lançamento da naked Bronx 975 foi abortado, restando uma custom cruiser 1250 para 2021, e a big trail Pan America 1250, que vai encarar um segmento inexplorado pela marca, repleto de “cachorros grandes” tradicionais no mercado mundial, como a BMW GS 1250, a Triumph Tiger 1200 (deve ser renovada em breve), a Ducati Multistrada 1260 e a KTM 1290 Adventure, por exemplo.

Briga com a balança

Todos esse modelos são comercializados no Brasil: a Pan America 1250 deve desembarcar por aqui em 2022. Para enfrentar a “pedreira”, buscar novos consumidores e reverter o dogma que os modelos da marca só andam no asfalto (embora a marca já tenha flertado com a poeira no passado), a Harley-Davidson usou as mesmas armas da concorrência na concepção da Pan America 1250.

Para reduzir peso, fator valioso em uma big trail, além de afastar o estigma da obesidade dos modelos estradeiros da marca, a engenharia da Harley-Davidson desenvolveu um quadro compacto, com 1580 mm de entre eixos: o motor é parte central integrante, aparafusado diretamente na seção dianteira e no sub-quadro, eliminando os tubos extras. Além disso, o braço da suspensão traseira é em alumínio e oferece escape em titânio como acessório.

Na balança, a Harley-Davidson Pan America 1250 Standard acusa 228 kg a seco e 242 kg em ordem de marcha, enquanto a versão Special atinge 239 kg e 254 kg, respectivamente. A diferença está nas rodas em liga leve no modelo Standard, enquanto a Pan America Special tem a opção de rodas raiadas, mais apropriadas para o fora-de-estrada, calçadas com pneus sem câmara (desenvolvido em colaboração com a Michelin), para pisos mais radicais. Porém, a medida da roda dianteira é de 19 polegadas, mais para asfalto do que para terra. Na traseira a medida é de 17 polegadas de diâmetro.

O modelo Special conta também com adicionais de cavalete central, barras de proteção do motor, peito de aço (em alumínio), protetores de punhos e amortecedor de direção.

Coração da Harley-Davidson Pan America 1250

Ao contrário dos modelos dos modelos Touring, Softail, CVO e Sportster da linha tradicional, em que a marca olimpicamente omite os dados de potência, revelando apenas o torque, na Pan America 1250, a Harley-Davidson fez questão de enfatizar “ambos os dois”. O novo motor Revolution Max 1250, montado nas instalações de Pilgrim Road Powertrain da marca, em Wisconsin, EUA, entrega bons 152 cv a 8.750 rpm e um vigoroso torque de 13,1 kgfm a 6.750.

Os cilindros ficam ligeiramente deslocados, com intervalo de ignição de 90 graus. Entretanto a eletrônica dá mais uma forcinha na otimização do desempenho com o controle variável de válvulas, mudando o tempo de abertura (duas de admissão e duas de exaustão por cilindro) para oferecer mais torque em baixos giros e mais potência em alta.

Além disso, a versão Standard conta com quatro modos de pilotagem padrão: Road, Sport, Rain e Off-Road  e mais um personalizável, Off-Road  Plus. O modelo Special tem ainda os modos adicionais e também personalizáveis, Custom Off-Road e Custom Off-Road Plus para um fora de estrada casca grossa. Porém, nestas situações, o radiador de óleo muito baixo fica vulnerável.

Cada modo de pilotagem padrão faz a combinação dos níveis de entrega de potência e interferência do freio motor, controle de tração e freios ABS de curvas. Os modos personalizáveis permitem ao piloto combinar ao seu modo, os níveis de atuação dos sistemas, montando a preparação da “a sua moto”. Toda a operação é realizada através de comandos no punho direito do guidão.

Suspensão da Harley-Davidson Pan America 1250

A versão Special tem suspensão eletrônica semi-ativa Showa. Na dianteira, garfo invertido com tubos de 47 mm e 190 mm de curso. Na traseira, sistema mono, também com 190 mm de curso. O sistema eletrônico detecta o peso do piloto, passageiro e bagagem, além da velocidade e inclinação, para se ajustar automaticamente em cinco níveis que são incorporados aos modos de condução.

Confort (conforto), Balanced (misto de conforto e esporte), Sport (esporte, com suspensão mais dura, Off-Road Soft (fora de estrada mais leve, com menor compressão e retorno) e Off-Road (maior compressão inicial). Depois de selecionar o modo de condução personalizável, o piloto também pode escolher o tipo de suspensão mais adequado para o piso que vai encarar.

Normalmente mais altas, as big trails maltratam os aventureiros com pernas curtas. A Pan America 1250 tem banco a 850 mm de altura (que pode ser ajustado sem ferramentas em 26 mm) e 210 mm de distância livre do solo, mas incluiu um inédito dispositivo eletrônico que minimiza ainda mais “seus problemas”. O Adaptative Ride Height, ARH, que reduz automaticamente a altura da moto entre 25,4 e 50,8 mm nas paradas. O sistema não compromete o curso da suspensão, o ângulo de inclinação e a distância do solo.

O piloto pode escolher quatro ajustes de velocidade de rebaixamento: Automático, Atraso Curto (o rebaixamento é mais rápido quando a moto estiver parando), Atraso longo (rebaixamento mais demorado, para entrar em um local com desníveis em baixa velocidade, por exemplo), ou Bloqueado.

Auxílio

O modelo Special tem ainda sistema de partida em subidas (Hill Hold), que não deixa a moto voltar, pedal de freio ajustável em duas posições, aquecimento de punhos, pára-brisa regulável mecanicamente na altura em 45 mm e em quatro posições e farol adaptativo. O sistema tem três LEDs de cada lado do farol Daymaker, que acendem gradativamente conforme o ângulo de inclinação da moto, em 8, 15 e 23 graus, iluminando a parte interna das curvas.

O freio conta com dois discos de 320 mm de diâmetro na dianteira, mordido por pinças Brembo monobloco de quatro pistões. O disco traseiro tem 280 mm de diâmetros. O sistema ABS de curvas está presente nas duas versões.

O painel segue a tendência mundial, com tela em TFT colorida de 6,8 polegadas. Todas as informações de praxe – velocidade, rotações, hodômetro, computador de bordo, além dos modos de pilotagem selecionados e ajustes da suspensão, assim como as funções de entretenimento – são exibidas em destaque e podem ser selecionadas através da tela sensível ao toque.

Por questão de segurança, quando em movimento, as informações só ficam disponíveis pelos controles manuais. O celular pode ser espelhado, via Bluetooth, fornecendo, por exemplo, acesso a chamadas, músicas e ao aplicativo de navegação da Harley-Davidson de modo gratuito, compatível com IOS e Android.

Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas
15 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
LUIZ OTAVIO CAMPOS BARROSO MAGALHAES 30 de março de 2021

Com corrente, não será páreo para Tiger 1200 e BMW, sobretudo, os 3 cilindros da Tiger, outra dinâmica/ciclística.

Avatar
Hsl 26 de março de 2021

Essa te leva onde nenhum reboque é capaz de chegar ! Boa sorte compradores…

Avatar
Marcelo Jose Gonçalves Melo 24 de março de 2021

Certamente virá ao Brasil por um preço absurdo, esperem e verão! Neste país não existe isso ou aquilo, MAIS BARATO e sim isso ou aquilo MENOS CARO…..

Avatar
Luiz Alfredo Dupré 24 de março de 2021

Conseguiram enfeiar a moto com essa frente horrorosa , pelamooor !! Será que ninguém falou nada p o desenhista ??!!

Avatar
MOTOCICLISTA 24 de março de 2021

Pelo menos a Harley acertou a mão na altura de solo, apesar de que acho que seria bom mais uns 50mm de distância livre de solo pra ser considerada uma big trail, mas já tá bem mais aceitável que as concorrentes que fazem crossover e chamam de big trail
Agora é ver se o preço será condizente com o q entrega

Avatar
Alexandre 24 de março de 2021

Ela quebra cardam também

Avatar
A7BERI 29 de março de 2021

O cardam não quebra . Porque ela é com corrente . Olha bem as fotos. Mas a corrente vai quebrar..kkkkkk

Avatar
A7BERI 29 de março de 2021

Ou melhor com correia tradicionalmente da Harley e não corrente.
Ķkķkkkkk

Avatar
Henrique 23 de março de 2021

Parece-me ótima para quem gosta de perder parafusos fora de estrada.

Avatar
Martin Mendes 23 de março de 2021

Fantástica!!!! Linda!!!

Avatar
Comentarista 23 de março de 2021

Moto cara é muito visada por ladrões. É melhor ter uma moto mais barata. E lembrando pra quem anda de moto que em caso de acidente, o parachoque é o próprio peito do motoqueiro . Kkk

Avatar
Maurício Brisolara 23 de março de 2021

Motos de média/alta cilindrada são para quem gosta, realmente é mais perigoso que um carro, mas é pelo prazer da pilotagem que se tem esse tipo de moto. O roubo deste tipo de moto é maior nos grandes centros, além de que historicamente a HD tem fama de seguro barato.

Avatar
Paulo 24 de março de 2021

Parabéns pela paciência! Rs

Avatar
Sergio Reinert 26 de março de 2021

Tiv várias Harleys (ultra limites) e os seguros sempre foram extremamente baixos, se comparado ao preço das motos, mais baixos até que seguro de carro, pois bsndido não rouba Harley Davidson por não haver mercado de peça usada e chamar atenção demais na rua.

Avatar
Djalma 28 de março de 2021

Não tem essa de que é melhor ter moto mais barata. Se você tem grana, você compra. Com esse pensamento aí, é melhor você comprar um Monza.

Avatar
Deixe um comentário