5 motos que não têm manete de embreagem: para não ficar refém das scooters ou elétricas

Além das scooters que são sempre automáticas, existem algumas motos brasileiras que também não necessitam do manete de embreagem

pop 110i es det 49
A Pop 2025 foi a última que passou para o time sem manete de embreagem (Foto: Honda | Divulgação)
Por Lucas Silvério
Publicado em 30/04/2024 às 09h02
Atualizado em 30/04/2024 às 10h43

A Honda atualizou a Pop 110i para a linha 2025 e o modelo que agora é partida elétrica também deixou pra traz o manete de embreagem. Com um novo câmbio basta bater o pé para que ela pule para a próxima velocidade, mas esta não é a única moto da Honda que possui essa tecnologia ou uma parecida.

VEJA TAMBÉM:

honda nc 750x dct 2022 18
O câmbio DCT é uma exclusividade Honda (Foto: Honda | Divulgação)

A japonesa Honda é a única no Brasil que possui três tipos de câmbio de moto que não tem manete de embreagem. O primeiro e mais conhecido é o CVT, que é o verdadeiro automático e comum em vários tipos de marcas e veículos. Mas ela também tem câmbios próprios que não precisam do manete, sendo eles o semiautomático e o DCT.

O semiautomático rotativo é um câmbio que o condutor ainda tem que fazer metade da tarefa, que é a de passar as marchas no pé, porém não precisa mais apertar a embreagem – as motos nem contam com o manete. Além disso, um ponto interessante dele é que não há necessidade de, ao parar a moto, reduzir as marchas para cair no neutro. Basta jogar para frente que ela vai para o ponto morto. Isso economiza em ter que reduzir as marchas em uma frenagem.

O outro câmbio da Honda que não tem manete de embreagem é o DCT. Este é um tipo automatizado, ou seja, possui as marchas e tudo mais, mas um robô passa elas sem que o condutor precise. Basta acelerar e reduzir para pilotar. As motos Honda que o possuem nem contam com manete de embreagem nem pedal de marchas, apenas botões no punho esquerdo caso o piloto queira passar ou reduzir com um simples toque. Ele também conta com duas embreagens, uma para as marchas pares e outra para as ímpares e isso evita com que a moto engasgue já que a próxima velocidade está sempre pré engatada.

Honda Africa Twin – motos sem manete de embreagem

A Africa Twin é a  maior da Honda que conta com o automatizado DCT. Esta 1.084 cm³ capaz de uma potência máxima de 99,3 cv a 7.500 rpm e torque máximo de 10,5 kgfm a 6.000 rpm é uma big trail com chassis de aço em berço semi-duplo e subchassi de alumínio, sendo própria para offroads mais pesados. Ela recebeu atualização em 2023 e agora com opções em azul metálico, preto fosco e branco perolizado.

Honda Africa Twin
A Honda Africa Twin é a maior trilheira da marca (Foto: Honda | Divulgação)

Honda X-ADV

Mesmo com esta aparência de scooter não tinha como excluir essa gigante da lista. Sendo praticamente uma crossover, a X-ADV é uma DCT aventureira que também é feita para embarcar no offroad pesado. Está, além de ter várias tecnologias para a terra e demais tipos de condução, também consegue levar objetos embaixo do banco.

honda x adv 2022 estatica 1
A X-ADV é a maior scooter da japonesa (Foto: Honda | Divulgação)

Honda NC 750X – motos sem manete de embreagem

A NC 750X é um verdadeiro crossover, entre naked e trail, mas na verdade conta com o chassi de scooter. Feita sob a mesma base da X-ADV, está automatizada que pode se aventurar tanto na terra quanto no asfalto – embora seja melhor no asfalto – também oferece um bagageiro no lugar do tanque e se caracteriza como única moto com essa qualidade. O modelo já testado por nós aqui no AutoPapo é uma opção para quem quer viajar em uma moto grande e até econômica para a categoria.

honda nc 750x dct 2
A Honda NC 750X é feita na base da X-ADV (Foto: Honda | Caio Mattos)

Honda Biz

A Biz é uma clássica da Honda e talvez a mais conhecida moto que não precisa de passar marcha com o auxílio do manete de embreagem. Contando com o conjunto semi automático da Honda é um modelo pequeno e acessível para os consumidores iniciantes ou que não querem usar tanto a mão esquerda e ainda aproveitar um banco com bagageiro.

  • A Honda Biz não é uma scooter. Embora o design lembra uma este modelo não se caracteriza assim por causa do seu modo de pilotagem e seu câmbio.
Honda Biz 2023
Uma vantagem da Biz é o tamanho da sua roda dianteira (Foto: Honda | Divulgação)

Honda POP – motos sem manete de embreagem

Como já falamos, a Pop é a mais nova Honda que não precisa passar marcha com o auxílio da mão esquerda. Esta que nem tem mais o manete de embreagem ganhou a tão pedida partida elétrica, além de uma mexida no motor que a deixou mais forte e potente

pop 110i es est 17
A Honda Pop 110i ES acaba de ganhar também partida elétrica (Foto: Honda | Divulgação)

Bônus: Honda Gold Wing

Esta é a única da japonesa que conta com um câmbio CVT e não é uma scooter. Sem puxar sardinha para o lado da Honda, a gigante turing que custa mais de R$ 300.000 é uma tecnologia feita para viajar da melhor forma possível em duas rodas, contando com vários modos de pilotagem, controle de tração, assistente de partida, som e até air bag, entre outros.

gl 1800 gold wing bikefest rafael gagliano 10380 20
A Gold Wing é a maior moto da Honda (Foto: Honda | Divulgação)
Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify YouTube PodCasts YouTube PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário