7 motivos que decretaram o fim do VW Gol

Projeto antigo, baixas vendas no varejo e segmento em queda explicam a morte do carro de maior sucesso da indústria brasileira

Gol é um dos modelos da Volkswagen que vai cair do telhado em breve
Linha de produção do Gol dará espaço para o Polo Track (Fotos: Volkswagen | Divulgação)
Por Fernando Miragaya
Publicado em 08/10/2022 às 11h03
Atualizado em 10/10/2022 às 18h52

O VW Gol está pela hora da morte. E sem trocadilhos. O veterano compacto, líder inquestionável do mercado automotivo por quase três décadas, está perto do fim. Três gerações, muitas remodelações e versões e mais de 8 milhões de unidades produzidas depois, o hatch compacto da Volkswagen deixará de existir até o início de 2023.

Mas quais foram os motivos que levaram a VW a optar pelo fim do Gol? O que está por trás da decisão – ousada e equivocada para muitos – de encerrar a produção deste fenômeno de vendas, sinônimo de carro robusto, valorizado e fácil de manter?

VEJA TAMBÉM:

Separamos 7 pontos que decretaram o fim do VW Gol

1. Plataforma velha

O Gol é um projeto datado, mesmo nesta terceira geração, lançada em 2008. O hatch compacto atual usa a plataforma PQ24, que vem a ser a base do falecido Fox, então uma arquitetura simplificada do primeiro Polo brasileiro – de 2001 -, sem uso de soldas a laser e com menor aplicação de aços de ultra resistência.

É comum ouvir que um projeto desta idade e com tanta escala está “pago”, o que aumentaria as margens de lucro para a montadora. Só que um veículo com tanta idade muitas vezes também exige um ferramental e componentes específicos, mais mão de obra e ainda ocupa a linha de montagem da fábrica.

2. Defasado em relação aos concorrentes

Essa fase derradeira do Gol foi lançada em 2008, mas logo ficou “velha” em termos de conceito. Com o surgimento de modelos como o Chevrolet Onix e Hyundai HB20, o Volks – de cara – já parecia menor, tinha espaço interno mais acanhado e posição de dirigir ruim.

Para piorar, no custo de manutenção, passou a ter concorrentes com preços de revisões mais competitivos, como o próprio HB20, além de Nissan March e Toyota Etios. E enquanto os adversários da GM e da Hyundai ganharam gerações novas em 2019, o Gol sobreviveu à base de remodelações.

3. Não vale o investimento

A legislação exige que, a partir de 2024, os automóveis produzidos e vendidos no país tenham o controle eletrônico de estabilidade (ESC). O que valerá para todos os projetos, novos ou velhos – a norma que começou a vigorar em 2020 só diz respeito a novos lançamentos desde então.

Não é impossível colocar um ESC no VW Gol. Só que o custo é alto e o preço do modelo ficará mais caro do que os já salgados R$ 77.250 cobrados pela versão única vendida atualmente.

gol vw 2023 portal
Foto: VW | Divulgação

4. Baixas vendas do VW Gol no varejo

Só este ano, o VW Gol entregou pouco mais de 53 mil unidades de janeiro a setembro, segundo dados da Fenabrave. Atualmente é o terceiro carro de passeio mais vendido do país e, por dois meses, liderou o ranking de emplacamentos. Só que sete em cada 10 negociações do carro da Volks são no modelo de vendas diretas.

São aquelas negociações geralmente para frotistas ou empresas. Inclusive, em meio à falta de componentes e semicondutores, a Volks teve de dar uma atenção ao Gol nesses últimos meses justamente para atender às encomendas de grandes locadoras, o que explica, em parte, esse primeiro lugar nas vendas.

Para se ter ideia, deste montante de VW Gol vendidos no acumulado de 2022, 39 mil unidades comercializadas foram para vendas diretas. Isso representa 73,5% de todos os emplacamentos do hatch da Volkswagen em um modelo de negócio em que, via de regra, as montadoras dão descontos generosos e reduzem significativamente suas margens.

5. Baixa margem para a VW

A ordem na indústria é focar em produtos com alto valor agregado. E o Gol está longe de ser um modelo que ofereça margens generosas à Volkswagen. Mesmo com o ganho de volume, o custo para produzir o modelo, como dito, não é tão vantajoso. As vendas diretas ainda reduzem mais qualquer lucro. Melhor abrir espaço para modelos mais modernos e com ganhos maiores.

6. Precisa abrir espaço na fábrica

Entre os fatos que decretaram o fim do VW Gol está um com razões logísticas. Produzido em Taubaté (SP), o veterano hatch precisa abrir espaço para o Polo Track, a opção espartana da linha do compacto que vai servir de carro de entrada da Volkswagen no Brasil a partir do primeiro trimestre de 2023, justamente no lugar do Gol.

Mas ainda em Taubaté será feito o que muitos chamam de SUV do Gol. Denominado Projeto VW246, trata-se de um crossover pequeno para ficar abaixo do Nivus. Porém, ele usará a plataforma MQB e só vai chegar lá para o fim de 2024.

7. Brasileiro quer SUV

Pois é, a marca alemã, que foi uma das últimas a lançar SUVs compactos no mercado brasileiro, agora não quer saber de outra coisa. Ciente de que hatch e sedã entrarão em extinção a médio prazo, a Volks vai concentrar esforços nesta nova linha de crossovers de entrada que será lançada em 2024.

Newsletter
Receba semanalmente notícias, dicas e conteúdos exclusivos que foram destaque no AutoPapo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook X X Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
34 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
lucas 5 de dezembro de 2022

o gol não morreu, só ganhou um novo nome: polo kkkkkkkkkkkk

Avatar
Flavio 28 de novembro de 2022

Se a VW mata o polo, que já nasceu quase morto, e pega o novo polo com o nome de Gol, o gol teria mais uma década de vida! Falta de planejamento e visão!

Avatar
Geraldo 15 de outubro de 2022

Sempre cito aqui, nossa economia é muito fraca e estamos passando por um período q toda massa salarial foi achatada, cpf q compra carro zero são pouquissimos, se continuar assim vai fechar uma montadora atrás da outra ou redirecionar a produção em grande parte para exportação…e os q tem pouca grana vão comprar carro usado…qdo estes SUVs ficarem antugos vão estourar nas mãos dos q tem menos grana, estas porcarias de motores 3 cilindros turbo e outras baboseiras….e o Gol q apesar de caro ainda é fácil de manter além de outros como uno saem de linha .. fazer o que…

Avatar
Marcell 14 de outubro de 2022

O único ítem obrigatório deveria ser o bom senso, coisa que mané idiota tupiniquim está longe de ter na direção de um carro.

Avatar
Paulinho 15 de outubro de 2022

É verdade!!

Avatar
Oscar Souza 14 de outubro de 2022

Já devia ter saído de linha há uns 15 anos.

Avatar
Paulinho 13 de outubro de 2022

É fantástica a falta de observação do mercado brasileiro por parte da VW, não precisava matar o gol era só colocar o emblema no do gol no polo e correr para o abraço.

Mas os idiótas da VW ressucitaram o polo, e agora nem gol, nem polo e nem VW.

Tchau VW!!!! Deu pra tua bola, segue o rumo da Ford.

E que venham as cópias asiáticas baratas do fuca, para estourar feito bomba no bolso tupiniquim.

Avatar
Fabio Silva 15 de outubro de 2022

O polo sempre existiu, nasceu quase junto com o golf, é um projeto global, o gol não…

Avatar
Paulinho 15 de outubro de 2022

Sim eu sei, mas aqui no Brasil eles poderiam ter lançado o polo como sendo um “novo gol” gerãção 50.KKKK
Ia vender normalmente como se fosse outro modelo de gol, mais moderno.
Simplis assim.
Não , mas a VW prefere parar de fabricar o gol que liderou as vendas em agosto e set/22 e fechar as portas e ir embiora, feito a Ford.
Sim, fechar porque único carro VW que vende bem é o gol, os outros modelos,T cross e o diabo a quatro é só uma questão de tempo feito o santana que ninguém mais lembra.
Vide vendas do Virtus, recem lançado, 75 na colocação das vendas no mes de setembro/22

Avatar
Flavio 28 de novembro de 2022

Concordo! Se a VW mata o polo, que já nasceu quase morto, e pega o novo polo com o nome de Gol, o gol teria mais uma década de vida! Falta de planejamento e visão!

Avatar
Paulinho 28 de novembro de 2022

É bem isso mesmo!!!

Avatar
elioricardoalvex 13 de outubro de 2022

Vão tirar de linha para pôr um com um monte de parafernália eletrônica e agregar o valor ao modelo mais de fato o gol não e barato hoje tem muitos veículos de manutenção cara e é nisso que as concessionárias querem ganhar

Avatar
Gilson Soares 13 de outubro de 2022

Tive dois e não deixou saudade, os plásticos vibram e batem mais que a rota em baile funk na favela. Hoje feliz com um Honda.

Avatar
JOUBERT BONILHA 13 de outubro de 2022

Não prestaram o Gol 1.0 refrigerado a ar do século passado, o 16 válvulas , o G5 1.0, tive vários dos outros modelos e todos muito bons.
Carros nacionais de hoje são carregados de penduricalhos eletrônicos desnecessários e a preço inacessível; isto porque para os fabricantes compensa fabricar um carro caríssimo maqueado do que dois simples mais baratos.
O brasileiro continua pagando o que não vale.

Avatar
Gil Almeida 13 de outubro de 2022

Na Europa e nos Estados Unidos a Volkswagen fabrica um carro muito top. O VW PHAETHON 6.0 W12 , 12 CILINDROS, 420 HPsM Cambio automatico, cinco marchas, tração integral permanente. O fato é que os impostos por lá , IPVA, IPI, ICMS, não escapela o povo. No entanto por aqui, fabricam carros inferiores e pagamos muito para te-los na nossa garagem.
Acho que para rodar no interior do Brasil em estradas horrivéis e esburacadas, o Gol seria o carro ideal, para aguentar os solavancos brasileiros!

Avatar
Gustavo André Silva Sales 11 de outubro de 2022

Sim acho besta esse negócio desses sistema de segurança.
Não tem jeito se o carro não tiver isso não teremos esses carros a venda e fabricado por aqui.
Eu te entendo cara?

Avatar
Lucas 11 de outubro de 2022

Tive um gol g7 1.6 2018 confortiline por 2 anos…. nada a reclamar! Carro resistente, tem força e economia no combustível…

Avatar
Joelson J C Dantas 13 de outubro de 2022

Eu ja tive um Gol Special modelo 2003 e posso dizer que aquele Gol foi um dos piores carros que eu já possuí. Apesar de ser um carro muito resistente e econômico ele era extremamente pelado em termos de equipamentos e era muito desconfortável. Muito ruim de se dirigir. Sinceramente eu não tenho a menor saudade daquele carro

Avatar
Augusto José de 10 de outubro de 2022

Uma pena eles tomarem essa trágica decisão,o gol é um dos melhores modelos feitos no Brasil. Espero que continuem com o Voyage.

Avatar
Jox 10 de outubro de 2022

A VWB demorou muito a tirar a linha Gol, Voyage de linha!
A VWB tem que vender os mesmos carros produzidos para o mercado europeu. O consumidor merece isso e não carros Tupiniquins.

Avatar
Luiz 9 de outubro de 2022

Compra uma caroço não tem fiação

Avatar
Gustavo André Silva Sales 11 de outubro de 2022

Pois é né kkkk?

Avatar
Jo 9 de outubro de 2022

Já vai tarde. Praticamente todos concorrentes são melhores em vários pontos. Se fosse preço de kwid e Mobi ainda poderia fazer algum sentido.

Avatar
Claudio Colla 8 de outubro de 2022

Depois de colocar motor ea111, virou uma bomba, motor não presta,,tive gol G4 e polo 1.6, totalmente arrependido.

Avatar
Rafael 13 de outubro de 2022

EA 111 1.6 não tem nada de bomba, inclusive tem vários sendo utilizados por um monte de taxista e motorista de app com 400 mil kms rodados. O 1.0 é que teve problema.

Avatar
ze lucas 18 de outubro de 2022

Desenha pra ele entender

Avatar
walmir 8 de outubro de 2022

Fusca não tinha nada disso de tantos fios, airbags,componentes eletronicos, etc… Manutenção basica e só. Hoje voce refem ,fica sem carro em caso de pane ou morre pelo air bag na fuça tambem……Fusca é o melhor motor de todos os tempos, inclusive da guerra.

Avatar
Gustavo André Silva Sales 11 de outubro de 2022

Sim acho besta esse negócio desses sistema de segurança.
Não tem jeito se o carro não tiver isso não teremos esses carros a venda e fabricado por aqui.
Eu te entendo cara?

Avatar
Handerson 8 de outubro de 2022

Eu tambem não entendo essa tecnologia, melhor tirar Airbags e ESC mais ai só nao pode bater kkkkk #ironia

Avatar
Roberto Henry Ebelt 8 de outubro de 2022

Não existe um nicho de mercado, no Brasil, para carros desdigitalizados? Um carro em que você possa abrir o capô e entender o que existe alí dentro? Um carro que não venha contaminado com chips e outros penduricalhos eletrônicos asiáticos, e que podem, faltar a qualquer hora do dia ou da noite? Um carro com carburador, ar condicionado analógico e direção hidráulica e não elétrica?

Avatar
Gilberto 8 de outubro de 2022

Carburador?

Avatar
alecs 8 de outubro de 2022

Tirei minha CNH em outubro de 1977 ,comprei meu primeiro carro em fevereiro de 1980,os carros de hj em dia não sei porque tanto fio,caixinha,tubo ,etc,etc,etc,tb não entendo de + nd !!!

Avatar
Gustavo André Silva Sales 11 de outubro de 2022

Vai a mesma coisa que aconteceu com a Kombi.
Instalação de sistema elétrico como freio ABS, airbags e entre outros.
E tem mais ainda em breve vai ter mais itens obrigatórios ainda, ou seja vários modelos vão sair de linhas por alguns desses motivos. Então sobre esse negócio de SUV pra minha até que é ok porque se a fabricante quer aumentar a venda de seus veículos ela tem q seguir essa mudança de mercado, não adianta o povo brasileiro sempre vai querer algo na moda.
Mais resumindo a plataforma do gol é muito velha pra esses tipos de sistema de segurança. Ainda sim o Gol e Voyage (talvez também a Saveiro) vão deixar muitas saudades eu sei q é difícil um negócio desses na cabeça do fabricante, não q eu saiba mas enfim.

Avatar
Paul Muadib 13 de outubro de 2022

O nicho pode até existir porém a legislação proíbe a venda de carros assim.

Avatar
Deixe um comentário