[Avaliação] Volkswagen Nivus está mais para Polo que para T-Cross

Modelo é, na verdade, uma derivação do hatch, o que traz qualidades para a dirigibilidade e inconvenientes para o interior

Por Alexandre Carneiro 28/08/20 às 08h44

“Olha, esse é o Nivus?” A pergunta foi feita por uma jovem enquanto eu estacionava em frente a uma loja. Diante da resposta positiva, ela prosseguiu: “Eu acabei de comprar um T-Cross, mas, se soubesse que a Volkswagen iria lançar o Nivus, teria esperado. Ele é muito bonito!”

VEJA TAMBÉM:

Não que a opinião da simpática moça possa ser utilizada para julgar o mercado como um todo, mas é verdade que os dois modelos da marca alemã estão bem próximos em preço, porte e proposta. Por isso, evitar a canibalização será, aparentemente, um desafio para o fabricante.

Ambos os ditos SUVs (termo que banalizou-se a ponto de não dizer muita coisa atualmente) utilizam plataforma e mecânica provenientes do Polo. Só que, no Volkswagen Nivus, esse compartilhamento vai além: inclui ainda peças de estamparia, como as quatro portas, além do para-brisa. O entre-eixos e todas as chapas do assoalho também são as mesmas, de modo que o espaço interno não mudou.

volkswagen nivus highline 2021 cinza dianteira
Estilo que mescla traços de SUVs e cupês caracteriza o Volkswagen Nivus

Interior do Volkswagen Nivus é igual ao do Polo

Espaço, inclusive, é o fator que mais diferencia o T-Cross do Nivus. Quem precisa de mais amplitude, principalmente no banco traseiro, deve optar pelo primeiro ou por algum outro concorrente. Não que o modelo mais recente seja apertado, mas há limitações típicas de hatches compactos, como pouca área para as pernas, em especial quando os bancos dianteiros estão muito recuados, e acomodação desconfortável para um quinto ocupante.

Por outro lado, o porta-malas do Nivus supera (por pouco) o do T-Cross e o de alguns outros modelos. São 415 litros, o que torna o compartimento suficiente para a maioria das famílias. Nesse sentido, o único ponto negativo é o vão de abertura com base muito alta, o que dificulta o manuseio de volumes. Por outro lado, o banco traseiro bipartido torna mais versátil e prática a operação de rebatimento.

Nota-se grande compartilhamento de peças entre os irmãos da Volkswagen também no interior. O painel é o mesmo, assim como console, forrações das portas… Isso implica em um padrão de acabamento semelhante. No Polo, que atua em uma faixa de mercado inferior e, consequentemente, custa menos, o resultado é aceitável.

Já o Nivus, mais caro e concorrente de modelos mais sofisticados, mostra-se simplório demais. Ainda que o padrão de montagem seja muito bom, os materiais de revestimento têm aspecto barato. O que se vê é uma profusão de plásticos duros, vez ou outra disfarçados com apliques metalizados ou pintados de preto brilhante.

O habitáculo só não é digno de modelo popular porque a Volkswagen disponibilizou alguns mimos, como saída de ar-condicionado e entrada USB para o banco traseiro (há mais uma para os ocupantes dianteiros). Na versão Highline, avaliada, bancos e volante multifuncional são revestidos em material que imita couro, o que também ajuda a trazer alguma sofisticação para bordo.

Ergonomia e conectividade agradam

É verdade, contudo, que a essência de Polo trouxe também algumas qualidades ao Volkswagen Nivus. Os bancos, assim como no hatch, são confortáveis e apoiam muito bem o corpo: o do motorista é ajustável em altura.

E a posição de dirigir manteve-se ergonômica e agradável, com ótimo acesso aos comandos e visualização fácil dos instrumentos. A visibilidade também agrada, embora, para trás, a caída do teto atrapalhe. O volante tem ótima pegada e traz regulagens horizontal e vertical.

volkswagen nivus highline 2021 painel
Volante é igual ao do Golf de oitava geração, lançado ano passado na Europa

Mas o maior destaque do interior fica por conta dos recursos tecnológicos. Além do painel com instrumentação digital em uma tela personalizável de 10,5 polegadas, já conhecido de outros modelos Volkswagen, o Nivus traz uma nova central multimídia, que em breve também deverá se popularizar na gama do fabricante.

Com tela de 10,1 polegadas e interface parecida com a de um tablet, o equipamento traz o manual cognitivo e um aplicativo batizado de “Meu VW”, por meio do qual é possível agendar revisões. Há ainda conectividade sem fio com as plataformas Apple CarPlay e Android Auto. O sistema é muito intuitivo e fácil de operar.

Bom de dirigir

Outra herança positiva do Polo é o comportamento dinâmico. Apesar de ter 2,7 cm a mais de altura em relação ao solo, o Volkswagen Nivus entrega estabilidade quase tão boa quanto a do hatch. O modelo encara curvas de diferentes diâmetros sem inclinar demais a carroceria ou sair da trajetória precocemente. Além do bom acerto de suspensão, contribui também a boa calibragem da direção elétrica, que é muito precisa e progressiva.

Assim como a maioria dos ditos SUVs atuais, o Volkswagen Nivus não se sente à vontade na terra. Em estradas rurais, o rodar mostra-se um tanto desconfortável, mas pelo menos o veículo não toca o solo com facilidade. Já em vias pavimentadas, mesmo em condições ruins, a suspensão consegue absorver as irregularidades com eficiência. Obstáculos urbanos, como valetas e lombadas, não constituem qualquer problema.

Motor 1.0 TSI proporciona bom desempenho ao Volkswagen Nivus

O motor 1.0 TSI é um dos pontos altos do Volkswagen Nivus. Graças ao generoso torque de 20,4 kgfm tanto com gasolina quanto com etanol, entregue integralmente entre 2.000 rpm e 3.500 rpm, sendo que 90% do valor total está disponível já a 1.500 rpm, há grande agilidade em arrancadas e retomadas de velocidade.

O ímpeto inicial perde-se, em parte, à medida que o conta-giros sobre, uma vez que a potência máxima é de 116 cv com gasolina e de 128 cv com etanol, números não mais que razoáveis para os padrões atuais. Entretanto, ainda assim não falta fôlego na estrada, onde é possível fazer ultrapassagens com bastante segurança.

Quem não está acostumado com a nova geração de propulsores turboalimentados surpreende-se com a boa performance extraída de uma cilindrada tão baixa. Além disso, apesar de ter três cilindros, o que torna o funcionamento menos suave que os de quatro, o modelo exibe isolamento muito bom contra vibrações. Outra vantagem é que a injeção direta dispensa sistemas auxiliares de partida a frio.

volkswagen nivus highline 2021 motor 200 tsi
Oferta de torque é ponto alto do motor 1.0 turboalimentado

O câmbio automático de seis velocidades, por sua vez, cumpre bem sua função. Bem-casada com o motor, a caixa de marchas entrega trocas suaves e em momentos oportunos. O toque de esportividade fica por conta das borboletas no volante, que permitem operar o sistema de modo sequencial. Os freios, com discos nas quatro rodas, são excelentes e sobram para os 1.199 kg de peso do modelo.

Consumo

O consumo também agrada. O AutoPapo cravou médias de 8,4 km/l na cidade e de 10 km/l na estrada, com etanol. Desse modo, o tanque de 52 litros permite uma autonomia superior a 500 km em viagens.

Os números aferidos são parecidos com os divulgados pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE), que indica 7,7 km/l no ciclo urbano e 9,4 km/l no rodoviário, com o mesmo combustível. Com gasolina, segundo o PBE, são 10,7 km/l e 13,2 km/l, respectivamente.

Preço do Volkswagen Nivus Highline é de R$ 98.290

O Volkswagen Nivus Highline é o topo de linha: tem preço de R$ 98.290. Nessa versão, todo o conteúdo é de série: o único opcional é a pintura metálica, que adiciona até R$ 1.570. Entre os equipamentos, há controle de cruzeiro adaptativo, ar-condicionado automático, sensores de chuva e crepuscular, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros com câmera de ré, rodas de liga leve de 17 polegadas e chave presencial com botão de partida.

O pacote de segurança inclui sistemas de alerta de colisão e de frenagem autônoma de emergência, frenagem automática pós colisão, detector de fadiga, seis airbags (frontais, laterais e do tipo de cortina), assistente de partida em rampa, controles eletrônicos de estabilidade e tração, faróis e lanternas de LED, ganchos Isofix com top tether para fixação de cadeirinha infantil.

volkswagen nivus highline 2021 cinza lateral
Rodas de 17 polegadas vêm de série na versão Highline

O Nivus é um bom carro? Sem dúvida, mas, racionalmente, parece ter menos apelo que outros modelos Volkswagen. Afinal, apesar dos atributos convincentes, não passa de uma derivação do Polo, que entrega conjunto mecânico, espaço interno e até acabamento idênticos por um preço menor.

Os maiores diferenciais do Nivus em relação ao Polo são a suspensão elevada e o porta-malas maior: mas isso o comprador também encontra no T-Cross, que tem melhor espaço interno e valor de compra só um pouquinho mais alto.

Portanto, a escolha por um ou outro acaba sendo mais ligada a questões subjetivas. No caso do Nivus, um dos maiores apelos é o design ao estilão “SUV cupê”: a exemplo do que fez com a jovem citada no início do texto, ele promete ser o mais forte fator de sedução para os consumidores.

Garantia e manutenção

A Volkswagen oferece três anos de garantia sem limite de quilometragem para o Nivus. As três primeiras revisões, aos 10 mil, 20 mil e 30 mil quilômetros, são totalmente gratuitas. A revisão de 40 mil quilômetros tem preço tabelado em R$ 1.020,90, enquanto a de 50 mil quilômetros custa R$ 508,80. Por enquanto, o plano divulgado pelo fabricante vai só até os 60 mil quilômetros, quando está prevista uma manutenção preventiva ao custo de R$ 582,90.

Pontos fortes do Volkswagen Nivus Highline

  • Dirigibilidade
  • Equipamentos
  • Ergonomia

Pontos fracos do Volkswagen Nivus Highline

  • Espaço interno
  • Acabamento
Ficha técnica Volkswagen Nivus Highline 2021
Motor Dianteiro, transversal, flex, 999 cm³, com três cilindros em linha, de 74,5 mm de diâmetro e 76,4 mm de curso, 12 válvulas com duplo comando variável, injeção direta de combustível e turbocompressor
Potência 116 cv (gasolina) e 128 cv (etanol) a 5.500 rpm
Torque 20,4 kgfm (gasolina/etanol) entre 2.000 rpm e 3.500 rpm
Transmissão automática de seis velocidades, tração dianteira
Suspensão McPherson na dianteira e barra de torção na traseira
Rodas e pneus rodas de liga leve 6” x 17”; pneus 205/55 R17”
Freios disco ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira, com ABS
Direção assistida eletricamente
Dimensões 4,266 m de comprimento, 1,493 m de altura, 1,757 m de largura e 2,566 m de distância entre-eixos
Vão livre do solo 176 mm
Peso 1.199 kg
Tanque de combustível 52 litros
Porta-malas 415 litros
Carga útil 451 kg

Fotos: Alexandre Carneiro | AutoPapo

14 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Marcos Luiz Ribeiro de Barros 5 de setembro de 2020

    Uma pergunta: quais as alturas do banco dianteiro ao solo da Tracker 2021 e do Nivus?

  • Avatar
    Pablo 2 de setembro de 2020

    A VW tem que fazer um upgrade em sua gama de assentos , o design de bancos dos carros da VW parecem do século passado…

  • Avatar
    EDSON ANTUNES BARBOSA 29 de agosto de 2020

    Estou com um Highline prata fazem 2 semanas. Super contente com o carro. Com gasolina tá fazendo 15-17 km/l. Tenho tb um Cruze 1.8 2013, e o desempenho é equivalente. O carro é muito ágil e gostoso de dirigir. Tecnologia nem se fala! É um espetáculo. Me lembra uma Mercedes A200 Shotting Brake que aluguei na Espanha. E é lindo! Falar de plástico por tudo é bobagem, pois a maioria dos carros são assim. O acabamento é perfeito, mesmo usando plástico. Outra: antes de comprar pesquisei outras opções, e se você quer um carro moderno, com porta malas e espaço para 4, não tem igual.

  • Avatar
    Gerarock 28 de agosto de 2020

    Só seria minha escolha se fosse acima de um Polo ou Onix.
    De resto, é muita grana por um carro com acabamento repleto de “prástico”.

  • Avatar
    Jonatha 28 de agosto de 2020

    Fiz um pedido do nivus até hoje não chegou .

  • Avatar
    Andre 28 de agosto de 2020

    Tenho um Ecliose Hpe é não tem tanta tecnologia qto esse carro. Famoso pé duro Japonês feito os Toyotas

  • Avatar
    lucio 28 de agosto de 2020

    olhando de lado parece um focus, é só rebaixar um pouco!

  • Avatar
    Lauro Magno Agrizzi 28 de agosto de 2020

    Aguem tinha alguma dúvida do afirmado?????? Afinal ele é um Polo remendado.

  • Avatar
    Mario 28 de agosto de 2020

    Nivus tem design , tamanho interessante para urbano e viagens com família pequena , altura chão agradável , porta malas justo , tecnologia de ponta , segurança nota máxima e tem algo que soh se encontra em carros acima de 150k. Eh volks , seguro barato , econômico , toque 20 e 0-100 abaixo de 9,9 coisa que uma Creta 2.0 não faz , revisões grátis até 30k , rodas lindas aro 17, faróis e lanternas led , multimídia 10 com top , enfim …. abaixo de 100k, melhor opção hoje no mercado na minha opinião

    • Avatar
      André 28 de agosto de 2020

      Eu entro em Volks e GM só obrigado.
      São carros com plástico demais e acabamento de 5 categoria.
      Acho realmente ridículos neste aspecto.

  • Avatar
    RENATO CARLOS GARCIA 28 de agosto de 2020

    Olha, não concordo quando a matéria fala que a diferença de preço entre o Nivus e o T-Cross é pouca, pois o Nivus top de linha custa 98mil enquanto que o T-Cross top custa na faixa de 120 a 130mil. Outra coisa, o Nivus entrega muito mais tecnologia embarcada que o Polo, exemplo é o novo Multimídia VW-Play e o ACC – Controle de Velocidade e Distância. Eu sempre sonhei com o ACC em um carro, pois uso muito piloto automático na estrada e agora não preciso nem por o pé no freio mais. Esses detalhes o Polo não tem. Para concluir, acredito que o Nivus é um carro que tem um preço até justo pelo tanto de tecnologia embarcada, sem contar a beleza e o bom desempenho.

    • Avatar
      Marcelo 28 de agosto de 2020

      Entendo seu comentário, mas acho que ele quer dizer que a diferença de valores do Nivus está mais para o mais simples do T-Cross, pois o T-Cross top usa motos 1.4 turbo e não este 1.0 turbo do Nivus. O Nivus TOP custa 98 mil e o T-Cross automático mais em conta custa 99 mil, onde ambos utilizam o mesmo motor, sendo que o Nivus tem mais tecnologia implantada que o T-Cross automático de entrada.

    • Avatar
      Tiago 28 de agosto de 2020

      Eu vivi pra ver um polo aumentado (porque dividem tudo) por 98 mil.. amigos sei que gosto é gosto cada faz o que quer com o dinheiro, mas com 98 vc compra um civic top com 1 ano de uso, corolla, jetta.. 98 mil nesse carro não existe

      • Avatar
        João Gaspar Farias 2 de setembro de 2020

        Para acomodar telas cada vez maiores, as saídas de ar vão cada vez mais para baixo. O resultado são cotovelos cada vez mais gelados e pouca brisa na altura do rosto.

Avatar
Deixe um comentário