Carro camuflado: qual é a lógica dos disfarces usados pelos fabricantes?

Veículos podem exibir disfarces mais leves ou mais pesados: utilização de um ou de outro está relacionada à proximidade do lançamento

flagra fiat strada camuflada em testes foto alexandre carneiro autopapo
Na fase inicial dos testes de rodagem, veículos circulam completamente encobertos (foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo)
Por Alexandre Carneiro
24 de julho de 2021 08:03

Quem reside em regiões onde existem fábricas automotivas já pode ter visto algum carro camuflado circulando pelas ruas. Esses veículos geralmente utilizam pinturas e apliques foscos, ou então tramas quadriculadas em preto e branco, que encobrem toda a lataria: apenas para-brisa, faróis e lanternas ficam de fora. E, claro, eles não exibem quaisquer emblemas de identificação. Mas qual é a lógica disso?

VEJA TAMBÉM:

É simples: os fabricantes não querem que imagens ou informações sobre futuros modelos circulem antes do lançamento. Primeiramente, para que a novidade cause surpresa e impacto ao ser apresentada.

Em segundo lugar, porque quando o consumidor descobre que determinado veículo será substituído por uma segunda geração ou até por outro inédito, ele tende a adiar a compra. E as montadoras não querem que as próprias vendas sofram quedas enquanto os novos produtos não chegam às lojas.

Como um carro pode ser camuflado?

O assessor técnico Ricardo Dilser explica que as marcas do Grupo Stellantis utilizam dois padrões de disfarces quando desenvolvem novos veículos. Na fase inicial, quando há apenas informações extraoficiais em circulação, os protótipos rodam quase completamente encobertos, com pintura em preto fosco e até apliques sobre a lataria. O objetivo é impedir a percepção de todos os detalhes de design e das formas da carroceria.

flagra novo suv jeep 7 lugares camuflado em testes tras foto anna terra honorato
À medida que o lançamento se aproxima, os veículos vão “tirando a roupa”, como já ocorre com o Commander, novo SUV de 7 lugares da Jeep (foto: Anna Terra Honorato | Especial para o AutoPapo)

Em um segundo momento, quando o lançamento já está confirmado e próximo, o carro é camuflado de maneira mais leve. Nessa fase, o disfarce compõe-se de adesivos plásticos, geralmente dispostos em uma trama quadriculada, conhecida como “zebrada”. Esse tipo de estampa também dificulta a percepção de volumes e das linhas gerais do veículo, mas já permite antever algumas características.

Dilser cita como exemplo o Pulse, novo SUV da Fiat, baseado no Argo: o modelo teve o nome revelado na última edição do programa Big Brother Brasil, está com lançamento confirmado para o próximo mês de agosto e já teve até algumas fotos oficiais divulgadas. Desse modo, as unidades que efetuam os testes finais de rodagem exibem a roupagem zebrada, mais leve. Porém, antes disso, o carro ainda rodava camuflado ao máximo.

7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Vitor 31 de julho de 2021

Eu acho que é uma veraneio..

Avatar
Francisco 31 de julho de 2021

Fiat demora mais de 7 meses para entregar carro.

Avatar
Anisio 29 de julho de 2021

Todas essas placas são do estado de MG deve ser veículos Fiat

Avatar
Airton Aquino Ramos 26 de julho de 2021

Esses veiculos novos estao ficando todos semelhantes as marcas a GM copiou a frente do veiculo da toyota e a cara de um e fucinho do outro! Sempre no estilo de enganar o consumidor!

Avatar
Rogério Nogueira da Silva 25 de julho de 2021

Sempre pensei que fosse para atiçar a curiosidade onde acaba tendo esse tipo de reportagem.

Avatar
FELIPE 25 de julho de 2021

Essa “reportagem” é para pessoas totalmente leigas e que, só por acidente, entrarão no site…

Avatar
Edu 24 de julho de 2021

Ah, que legal…

Avatar
Deixe um comentário