Carro nas férias: viagem ou corrida de obstáculos?

As próprias autoridades de trânsito transgridem a legislação das ondulações transversais: lombadas são completamente fora do parâmetro

buraco na estrada foto shutterstock
Mesmo pagando pedágio (caro), rodovias estão esburacadas (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
22 de janeiro de 2022 07:36

Quase dois anos de afastamento social compulsório. E a chance de duas semanas na praia, em férias: irrefreável compulsão de mineiro cercado de montanhas.

Casa alugada no litoral norte do Rio, bagagem acomodada no (imenso) porta-malas do Passat e vamos aos 560 km que nos separam do mar. Tempo de viagem previsto pelo Waze de 7:00h (sem paradas) e a Cristina como navegadora.

Tantos anos sem viajar de carro que nem me lembrava dos obstáculos.

VEJA TAMBÉM:

Crateras: omissão bem remunerada

A começar pelos pedágios, na BR-040 (BH-Rio). O primeiro deles logo com meia hora de viagem. Não era final de semana, nem horário de rush, mas longas filas nas poucas cabines (em operação). E, quanto mais longas, maior o número de simpáticas vendedoras do passe livre (Sem Parar). Faz até supor uma mafiosa integracão entre a concessionária e a opção afixada no parabrisa.

Aí vem o capitulo das crateras. Você as percebe, mas nem sempre tem como escapar, pois pode ter outro carro ao lado. Mergulhei numa delas, profunda. A mais de 100 por hora é uma pancada forte, seca, sonora, que quebra roda, pneu e suspensão. Já fui me preparando para encostar e fiquei esperando a tremedeira do volante. E imaginando a mão de obra para remover toda a bagagem (na chuva) e retirar o estepe. Mas, roda original, pneu de perfil razoável e pressão 3 libras acima da recomendada, ainda não foi nessa…

Estrada regiamente pedagiada: R$ 0,15 por km. Custo de cerca de R$ 170 ida/volta (1.100 km). Difícil entender como, ao invés de uma manutenção de Primeiro Mundo, pois cobra como tal, tem-se que enfrentar tantas irregularidades no piso e sinalização deficiente, danificando veículos e ameaçando a segurança dos usuários.

Verdadeira vergonha a indiferença, descaso e omissão do governo federal, que só se preocupa em faturar, leiloar trechos de estradas entre empresas candidatas a concessionária e radares para flagrar motoristas distraídos. Acredite se quiser: num trecho da BR-040, próximo a Ewbank da Câmara, máxima de 30 km/h.

‘Ondulações transversais’

Capítulo à parte são as “ondulações transversais”. Lombadas ou quebra-molas para reduzir a velocidade construidas por autoridades de trânsito incompetentes e sem criatividade. A maioria desrespeita a regulamentação do Contran, tanto em dimensões, como na distância mínima entre elas e nas vias em que podem ser implantadas.

Entre outras irregularidades, sua exagerada altura que ultrapassa todas as normas, danifica cárter, travessa, silencioso e outros componentes da parte inferior do carro. Num ponto da estrada, uma lombada eletrônica exatamente acima da física, no asfalto.

Fascínio pela esquerda

Não bastassem o descaso e ânsia por faturamento do governo para implantar sua máquina de tortura para carros e motoristas, tem também a incompetência e ignorância dos que estão ao volante.

A começar com a inexplicável paixão pela faixa da esquerda, mesmo estando (muito) abaixo da velocidade máxima permitida. Entre outros, deparei-me com um Toyota Corolla nessa situação. Pisquei faróis. Nada. Liguei seta para a esquerda. Nada. Forcei a situação aproximando-me do Vovorolla, que finalmente rumou para a direita. Enquanto eu o ultrapassava, ele buzinava freneticamente, indignado por ter sido forçado a deixar a esquerda.

carro na faixa da esquerda

A viagem prevista para sete horas durou quase dez, pois um caminhão tombado na pista parou o trânsito mais de duas horas. Como o final já foi à noite, ainda tive o dissabor de enfrentar dezenas de motoristas com faróis altos ofuscando quem vinha em sentido contrário. E pelo retrovisor, os que iam à sua frente.

Não faltaram também, em trechos com chuva mais forte, idiotas acionando (irregularmente) o piscalerta com o carro em movimento e perturbando os demais.

Gran Finale: ao cruzar a cidade de Saquarema, próximo ao destino, mais um perigo: ao arrancar num semáforo que acabara de se tornar verde para mim, tive que frear subitamente, pois uma picape Renault Oroch, com o logotipo da prefeitura local na porta, avançou o cruzamento no vermelho. Belo exemplo de falta de cidadania e desrespeito à legislação pela municipalidade de Saquarema. Coerente com a postura das demais autoridades de trânsito e administrativas nos níveis estadual e federal.

Cereja do bolo? A prefeitura de Arraial do Cabo não se envergonha de cobrar R$ 20 para se estacionar numa praia do Pontal de Atalaia. Até poderia, fosse um estacionamento organizado, bem calçado e sinalizado. Mas jamais nos toscos acostamentos com vasto matagal de uma estrada estreita, de terra, esburacada, sem demarcação de vagas, com carros atolando ou derrapando na lama e nas poças formadas pelas chuvas.

E la nave va…

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
6 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Yuri 27 de janeiro de 2022

Quando eu tiver a idade do Boris, meus filhos estarão se queixando da mesma coisa. Solução? Abolir a Constituição atual e comprar uma pronta de um país de primeiro mundo.

Avatar
Raphael 27 de janeiro de 2022

trecho da BR-040, próximo a Ewbank da Câmara, máxima de 30 km/h. Sim. Eu já passei pelo local várias vezes a 20 ou 30km/h. Parece incrível mas é verdade.

Avatar
Carlos 27 de janeiro de 2022

Só existe cara esperto porque existem milhões de otários dando sopa por aí. Essas taxas absurdas cobradas para estacionar próximo as praias é um absurdo. Quem frequenta esse tipo de lugar e paga, é otario. Tem muitos outros lugares onde nada é cobrado. Vale lembrar que ainda estamos bem no centro de uma pandemia. Ficar em casa ainda é a melhor opção.

Avatar
Polvo 25 de janeiro de 2022

Eu gosto muito de viajar de carro, mas a situação das estradas e as barbeiragens dos motoristas desanimam. Agora quanta cara de pau dessa prefeitura de Arraial do Cabo, hein? Cobrar R$20,00 para deixar o carro estacionado no mato da beira da estrada! Pra mim isso é PICARETAGEM!!

Avatar
Rick Ball 22 de janeiro de 2022

É por isso que viagens de carro para mim não podem ter mais que 100km. Mais que isso só pensamos coisa ruins das pessoas, governo e tudo de mais negativo que existe e ficamos muito mal com tudo isso. É um estresse que não vale a pena.
Passou de 100km é avião e depois aluguel de carro no destino.

Avatar
Yuri 27 de janeiro de 2022

E você sequer cuida o que acontece à sua volta: tem que ficar caçando os pardais no meio do mato.

Avatar
Deixe um comentário